Cuiabá, Quarta-feira 19/09/2018

Aparte - A | + A

17.04.2018 | 00h00

Do contra

Facebook Print google plus

Único vereador do PP na Câmara de Cuiabá que adota uma postura de oposição ao prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), Diego Guimarães está prestes a assumir a vaga de presidente do Intermat, na gestão Pedro Taques (PSDB), quando seu partido, enfim, define que vai ficar do lado da oposição ao tucano nas eleições de outubro. A postura do parlamentar até faz pensar que Diego perdeu o time da janela partidária. Deveria ter aproveitado a oportunidade para trocar de partido, já que não concorda com quase nada que é definido por sua legenda.

Articulação


Por outro lado, tem quem diga que a possível ida de Diego Guimarães para o Intermat é, na verdade, uma articulação de Emanuel Pinheiro com o governador Pedro Taques, que passaram de adversários políticos a aliados, quando o emedebista assumiu a Prefeitura de Cuiabá.
A tal articulação ainda teria contado com o aval do Progressistas e o objetivo seria, justamente, tirar Diego Guimarães de dentro da Câmara de Cuiabá. O motivo? A CPI do Paletó, da qual ele não é membro, mas é um dos mais atuantes.
 

Retorno marcado

Diego Guimarães - que vale ressaltar, ainda não aceitou o convite de Pedro Taques -, no entanto, teria um plano B pronto para executá-lo. Autor do pedido judicial para que a CPI do Paletó tenha sua composição reformulada, o vereador estaria disposto a abrir mão do cargo no governo do Estado, se a Justiça acatar sua solicitação.
Ele voltaria para a Câmara de Cuiabá no mesmo dia para poder estar entre os novos membros da CPI que vão dar continuidade à investigação contra Emanuel Pinheiro.

Delação


Quando se fala em investigação, em delação, em desvio de dinheiro, os escândalos revelados pelo ex-governador Silval Barbosa são, sem dúvida, os mais vívidos na memória dos mato-grossenses. E, dentro dos próximos dias, essa lembrança deve ser revivida. Há quem diga que os citados na delação do ex-governador podem ter surpresas desagradáveis ao longo da semana.
E a julgar pela quantidade de pessoas que foram citadas na delação, a tendência é que esse período de más notícias - pelo menos para os acusados de alguma coisa - dure um bom tempo. Ou, ao contrário, seja curto, mas turbulento, como quando os depoimentos de Silval vieram à tona trazendo, de uma só vez, uma enxurrada de denúncias.
 

Novos aliados

Enquanto ganha novos aliados, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), estaria deixando de lado alguns dos antigos. Nos bastidores, a informação que circula é que o presidente da Câmara, Justino Malheiros (PV), rompeu com o emedebista porque não recebeu de volta o apoio que esperava para a disputa pelo comando da Mesa Diretora, cuja eleição acontece no semestre que vem.

Colhendo frutos


Entre os motivos para a ruptura entre Justino Malheiros e Emanuel Pinheiro, estaria o fato de o presidente da Câmara estar incomodado por ter segurado a barra ao longo do último ano de todo o desgaste da gestão do emedebista - desde que veio à tona a delação do ex-governador Silval Barbosa - e, supostamente, não estar recebendo apoio do prefeito quando mais precisa, ou seja, quando tiveram início as articulações para a eleição da Mesa Diretora.
Na lista de “barras” que Justino segurou para Emanuel pode-se citar a própria CPI do Paletó, que tem sido motivo de notícias quase sempre desfavoráveis para o Legislativo municipal, e a frustração da suplementação à Câmara que resultou na demissão de todos os servidores faltando pouco para terminar o ano passado.
 

Antes tarde...

Dono do título ‘o resolvedor de problemas‘, adquirido quando o escândalo da Operação Ararath veio à tona em Mato Grosso, o ex-secretário de Estado Eder Moraes - condenado a mais de 80 anos de prisão em processo penais oriundos desta investigação - agora quer apresentar ao governo Pedro Taques (PSDB) uma sugestão para tirar Mato Grosso da crise.
 A explanação formal do projeto vai ser na Assembleia Legislativa, na tarde desta terça-feira (17).

... do que nunca


A ideia vem amadurecendo na mente de Eder Moraes desde meados do ano passado, quando ele falou dela à reportagem do Gazeta Digital. Se for mesmo boa, pelo menos, dessa vez, o ex-secretário - que teria sido a mente que arquitetou todo o esquema de desvio e lavagem de dinheiro, alvo da Operação Ararath - agora estará usando o conhecimento que tem (e ninguém duvida que é muito) para o bem de Mato Grosso.
 

Voltar Imprimir

Comentários

Enquete

Você sabe o que é o voto útil?

Parcial

Edição digital

Quarta-feira, 19/09/2018

imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
imagem
btn-4

Indicadores

Milho Disponível R$ 23.000 0.000

Algodão R$ 120.840 0.130

Boi a Vista R$ 132.450 0.110

Soja Disponível R$ 70.740 -0.830

Classi fácil
btn-loja-virtual

Mais lidas

O Grupo Gazeta reúne veículos de comunicação em Mato Grosso. Foi fundado em 1990 com o lançamento de A Gazeta, jornal de maior circulação e influência no Estado. Integram o Grupo as emissoras Gazeta FM, FM Alta Floresta, FM Barra do Garças, FM Poxoréu, Cultura FM, Vila Real FM, TV Vila Real, o Instituto de Pesquisa Gazeta Dados, Gráfica Millenium e o Portal Gazeta Digital.

Copyright© 2018 - Gazeta Digital - Todos os direitos reservados Logo Trinix Internet

É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem a devida citação da fonte.