Tit_ico Viva Bem
Quinta, 25 de agosto de 2005, 03h00

Hipnose auxilia na área de saúde

Por algum tempo era possível se ver em diversos palcos de programas de auditório um espetáculo chamado hipnose. Pessoas que chamavam alguém do público para ser hipnotizado ao vivo. Este fato passou a deixar a prática com um ar banalizado, sem credibilidade, o que foi uma infelicidade para muitos psicólogos.

Mas agora a hipnose está novamente voltando a ser utilizada no meio médico. O psicanalista e hipnológo Mahab El-Aowar estará ministrando um curso de hipnose a partir de amanhã (26/08) para profissionais da área de odontologia, psicologia, medicina, terapia e outros que sejam ligados à saúde.

"A hipnose é um estado natural da mente humana assim como é o sono e a vigília", observa. Para quem não sabe vigília é quando estamos acordados. "É um procedimento que induz o paciente a entrar em um transe psíquico. E a partir de então essa pessoa estará vivendo em um mundo simbólico, obedecendo às palavras do hipnotizador", explica.

Quando se fala em obedecer as palavras é fácil surgir aquele medo de que se estivermos hipnotizados faremos qualquer coisa que o hipnotizador nos pedir. Mas não é exatamente assim que funciona. A hipnose não é um estado de completa obediência. "Ela é um estado de vivência da palavra. Mas ninguém faz nada que seja contra seus princípios éticos e morais nem mesmo hipnotizado. A pessoa sabe o que está sendo dito a ela", esclarece Mahab.

"A hipnose é o melhor método auxiliar que existe na área da saúde. É uma ferramenta importantíssima", afirma. Um psicólogo e um médico por exemplo, com a ajuda da hipnose, podem instantaneamente retirar de seus pacientes sintomas psicossomáticos e deficiências emocionais. E desta maneira tratar da doença com mais facilidade.

"Um dentista pode fazer uso da hipnoanestesia e fazer uma cirurgia dentária sem dor alguma sem ser necessário aplicar uma anestesia", diz o psicanalista. "O ginecologista e o obstreta podem abolir todos os sintomas desconfortáveis da gestação e inclusive realizar um parto sem dor sem medicamento algum", completa.

O hipnotista pára o estado psíquico da pessoa em um determinado momento que seja de seu interesse. "Muitos leigos e charlatões sabendo que a hipnose é um estado natural do corpo e que uma pessoa pode entrar em transe apenas com certos estímulos, se aproveitam e levam isso ao palco", argumenta.

"Essa atitude pode colocar em risco a vida das pessoas. Pois após o estado hipnótico, se o hipnotizador não tiver experiência pode deixar sequelas no hipnotizado. Um profissional responsável não faz uma cosia dessas", critica.

Mahab conta que a hipnose era usada na antiga Grécia e no antigo Egito para cirurgias de crânio. Com a invenção da anestesia o método foi deixado um pouco de lado. Mas na 1ª e na 2ª Guerra Mundial houve uma escassez de anestesia e o uso da hipnose retornou.

"A hipnose é muito desconhecida na sua base científica e psicolinguística. O profissional que tem essse conhecimento se destaca dentre os outros porque ela é uma ferramenta insubstituível em certos casos", ressalta.

Serviço - o curso de hipnose ministrado por Mahab tem início amanhã e termina no dia 10 do próximo mês. Mais informações: (65) 322-4651 ou (65) 9974-4942.