Tit_ico Variedadess
Domingo, 17 de junho de 2007, 03h00

Arsenal recebe grupo de percussão baiano

O Sesc Mato Grosso recebe neste domingo (17), às 19h uma nova etapa do Circuito Nacional de Música Sonora Brasil, com o tema Tradições Contemporâneas. A apresentação será do Grupo de Percussão da Universidade Federal da Bahia (UFBA), que mostrará a música de compositores baianos e nordestinos, e fará uma homenagem ao compositor Lindembergue Cardoso. Marimba, vibrafone, atabaques, matraca, ganzá, clave, pandeiro (sinfônico e popular), bongô, afoxé, berimbau, bombo, entre outros instrumentos serão utilizados no espetáculo.

Com o objetivo de difundir o desenvolvimento histórico da música em todo território nacional, o Sonora Brasil existe desde 1998. O projeto prioriza a produção musical brasileira, através de grupos de raiz, de diversas partes do país, que têm trabalhos de referência neste campo, e mesmo com a alta qualidade técnica, nem sempre conquistam espaços na mídia.

Sobre o grupo - O Núcleo de Percussão da UFBA, coordenado pelo professor Jorge Sacramento, mestre e doutorando em Educação Musical, é um setor da Escola de Música da Universidade Federal da Bahia, que vem desenvolvendo um trabalho diversificado, ousado e rico na área da percussão. Sacramento, com a sua filosofia de trabalho no processo de ensino/aprendizagem, têm aumentado em qualidade e quantidade os alunos de percussão.

Atualmente o núcleo tem 13 alunos no curso superior, 13 alunos no curso básico, 40 na oficina de bateria e 40 na oficina de percussão. Este é o resultado de 14 anos de trabalho na área de ensino, pesquisa e extensão do professor Jorge Sacramento.

O Grupo de Percussão é resgate de um expressivo movimento de criação musical contemporânea do Brasil que aconteceu na Escola de Música da Universidade Federal da Bahia, entre o final da década de 60 e os primeiros anos de 70. O grupo foi um dos principais grupos instrumentais da cidade e mola propulsora para o internacionalmente aclamado Grupo de Compositores da Bahia e serviu para a experimentação de composições e foi responsável pela estréia de inúmeras obras.

Repertório - Em 2003, o grupo apresentou o projeto Tributo a Pixinguinha, onde foi ensaiado um repertório só com músicas do compositor e instrumentista Pixinguinha, executadas nos instrumentos de teclas da percussão (marimba, xilofone, vibrafone), onde foram e acompanhados por uma violonista e contrabaixista. Com este show, conquistou a premiação na categoria especial do ano de 2003/2004 no prêmio Troféu Caymmi.

No ano de 2004, apresentou o show Tributo a Waldir Azevedo, também com interpretações dos alunos nos teclados da percussão. No mesmo ano, participou do Festival da Uesb, em Vitória da Conquista e da abertura dos Seminários Internacionais, no ano do cinqüentenário da Escola de Música da UFBA.

Por três anos apresentou o show Brasil Musical, com músicas do repertório de música popular brasileira, como: "Brasileirinho", "Aquarela do Brasil", "Morro", "Vou Vivendo", "Na Ilha Grande", "Quando o Ilê Passar", "Bebê", "Vassourinhas", "Chame Gente", entre outros. Neste show, os arranjos foram preparados para a formação característica do grupo com marimba, vibrafone, xilofone e glockenspiel, na função melódica e harmônica e também a percussão tradicional brasileira.

Em 2005, participou da abertura do Fórum Mundial, que aconteceu em Salvador, executando a música "Aquarela do Brasil", regidos pelo músico Sergio Souto. Atualmente o Grupo de Percussão é formado: Jorge Sacramento (professor/coordenador) Aquim Sacramento, Eduardo Mota e Emanuel Magno (alunos do curso básico), Antenor Cardoso, Everton Isidoro, Erica Pereira, Poliana Coelho e Raul Pitanga (alunos da graduação).

Serviço - O projeto Sonora Brasil traz o espetáculo Tradições Contemporâneas, do Grupo de Percussão da Universidade Federal da Bahia neste domingo (17), às 19h no Sesc Arsenal. A entrada é franca. Informações: 3616-6900