10 países criam força-tarefa para investigar casos de corrupção da Odebrecht | Gazeta Digital

Sexta, 17 de fevereiro de 2017, 08h38

Se aliando com o Brasil

10 países criam força-tarefa para investigar casos de corrupção da Odebrecht


Estadao

BRASÍLIA - Em uma reunião conjunta de trabalho realizada em Brasília nesta quinta-feira, representantes do Ministério Público de dez países e do Brasil decidiram formar equipes conjuntas de investigação sobre os esquemas de corrupção que envolvem a Odebrecht. No encontro, no entanto, os países foram informados que o sigilo dos acordos de delação premiada dos executivos da empresa não permite o compartilhamento do material neste momento.

A Procuradoria-Geral da República explicou aos dez países presentes que há uma cláusula de confidencialidade no acordo celebrado com a Odebrecht. Por isso, ainda que parte da delação seja conhecida nas próximas semanas quando forem enviados inquéritos ao Supremo Tribunal Federal (STF), os fatos relacionados a atos de corrupção praticados pela empresa fora do País devem permanecer em sigilo até junho.

A informação sobre o sigilo consta no texto elaborado pelo grupo de procuradores na reunião de hoje, denominado “Declaração de Brasília sobre a cooperação jurídica internacional contra a corrupção”. “Considerando que os acordos de leniência e os acordos de colaboração premiada estão sujeitos a dever de confidencialidade, conforme a legislação brasileira e cláusulas contratuais ali incluídas”, diz o texto, que informa que o sigilo tem vigência por seis meses a contar de 1º de dezembro de 2016, quando os acordos foram assinados. Isso indica que o dever de manter o segredo de justiça esbarra em pedidos de cooperação já feitos pelos demais países ao Brasil.

Os países concordaram com um pedido feito pela empresa para “escutar posição” dos advogados da empreiteira sobre a “disposição de cooperar”. A Odebrecht negocia acordos de delação em outros países, como o Peru. Se os acordos forem confirmados, o sigilo imposto ao Brasil pode ser derrubado. Assim, Brasil e Peru podem ficar livres para compartilhar as informações.

A intenção do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, é enviar ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedidos de abertura de inquérito, arquivamentos e cisão das investigações da Odebrecht até o início do mês de março. Isso abarca crimes cometidos dentro do Brasil. Com isso, a maior parte do conteúdo da delação deve se tornar pública, mas as revelações sobre atos cometidos fora do País devem se manter em segredo até 1º de junho – período durante o qual a empresa tenta negociar acordos internacionais.

Nesta quinta-feira, Janot, recebeu procuradores-gerais e fiscais da Argentina, Chile, Colômbia, Equador, México, Panamá, Peru, Portugal, República Dominicana e Venezuela em reunião que se estendeu por toda a tarde.

Após a celebração do acordo de delação premiada de executivos da Odebrecht e da divulgação, pelo departamento de Justiça dos Estados Unidos, de informação sobre pagamento de propina pela empreiteira em ao menos 12 países, o Brasil tem recebido diversos pedidos de cooperação jurídica. Por conta disso, os países foram convidados pelo Brasil para participar da reunião conjunta.

Na reunião de hoje, os procuradores dos 11 países concordaram em formar grupos de investigação bilaterais ou multilaterais para avançar nas apurações sobre o caso Odebrecht ou casos de corrupção cometidos por outras empresas no âmbito da Lava Jato. Neste momento, o Brasil pode compartilhar informações com os outros países que foram obtidas antes dos acordos de delação ou que não derivaram das confissões dos delatores – ou ainda passar informações sobre outras empresas investigadas na Lava Jato que ajudarão os demais países a desvendar esquemas de corrupção.

A Odebrecht tem encontrado problemas fora do Brasil desde que informações sobre corrupção fora do País foram divulgadas pelos Estados Unidos. A Venezuela, por exemplo, congelou bens e contas bancárias ligadas à empresa. No texto assinado nesta quinta-feira, os procuradores se comprometeram a “Assumir o compromisso de brindar-se com a mais ampla, célere e eficaz cooperação jurídica internacional no caso Odebrecht e no caso Lava Jato, em geral”.
 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quinta, 15 de fevereiro de 2018

09:43 - Odebrecht tem dificuldade para conseguir empréstimo

Sexta, 22 de dezembro de 2017

11:20 - Odebrecht Óleo e gás conclui reestruturação financeira

Terça, 19 de dezembro de 2017

18:00 - Marcelo Odebrecht já está em sua residência em SP

11:42 - Odebrecht confessa cartel em infraestrutura e sistema viário de SP

Segunda, 18 de dezembro de 2017

15:45 - Defesa de Marcelo Odebrecht entrega documentos à Justiça

Sábado, 16 de dezembro de 2017

09:17 - Odebrecht faz ofensiva para pagar dívida

Sexta, 15 de dezembro de 2017

17:30 - Juiz negou a Marcelo Odebrecht sigilo no processo de execução de sua pena

09:13 - Presidente do Peru diz que não vai renunciar após revelações sobre Odebrecht

Quinta, 14 de dezembro de 2017

09:43 - Vice-presidente do Equador é condenado em caso Odebrecht

Quarta, 13 de dezembro de 2017

10:12 - México proíbe Odebrecht de obter contratos públicos no país por quatro anos


// leia também

Quarta, 21 de fevereiro de 2018

08:43 - Exonerada, Luislinda irá a Suíça representar governo em evento

08:20 - Wesley Batista deixa carceragem da Polícia Federal em São Paulo

Terça, 20 de fevereiro de 2018

20:30 - Justiça bloqueia R$ 1,67 milhão de prefeito amazonense acusado de improbidade

20:12 - STJ manda soltar os irmãos e delatores Wesley e Joesley Batista

20:10 - PGR defende detalhamento de decreto sobre intervenção

18:42 - PTB desiste de indicar Cristiane Brasil para o Ministério do Trabalho

14:04 - Suplente de Maluf pode tomar posse ainda hoje

13:53 - 'Temer já roubou muita coisa, mas meu discurso ele não vai roubar', diz Bolsonaro

11:53 - Comandante da Marinha diz que Lava Jato não atrasou construção de submarinos

11:48 - Justiça bloqueia R$ 31,5 milhões de Dudu, ex-prefeito de Belém


 veja mais
Cuiabá, Quarta, 21/02/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 21/02/2018
8f70e213f4be8d228fc2aa2916150244 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Preço da gasolina em MT custa o triplo do preço da refinaria




Logo_classifacil









Loja Virtual