Com denúncias, Temer orienta equipe a ir para o enfrentamento | Gazeta Digital

Sexta, 19 de maio de 2017, 10h00

Estratégia desesperada

Com denúncias, Temer orienta equipe a ir para o enfrentamento


Estadao

O presidente Michel Temer orientou a equipe a “partir para o enfrentamento”, na tentativa de mostrar que não está acuado com as delações feitas pela JBS nem com o inquérito autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para investigá-lo.

Nas conversas desta quinta-feira, 18, em seu gabinete, no Palácio do Planalto, ele pediu “resistência” aos partidos da base aliada, do PSDB ao PP, e cobrou apoio à agenda das reformas.

Temer chegou a ser aconselhado a renunciar por pelo menos dois assessores de sua extrema confiança e reagiu com nervosismo. “Não sou homem de cair de joelhos. Caio de pé”, afirmou.

“Michel, você está passando pelo que eu passei. A diferença é que eu era senador e podia responder e você é presidente e não pode falar tudo o que pensa”, disse-lhe mais tarde o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR). Presidente do PMDB, Jucá deixou o Ministério do Planejamento em maio do ano passado, após 12 dias no cargo, quando vieram à tona gravações em que ele dizia ser preciso impedir a “sangria” da Lava Jato.

A portas fechadas, Temer usou termos como “conspiração” e “ação orquestrada” para se referir ao vazamento das delações do empresário Joesley Batista e de ex-executivos da JBS. O governo responsabilizou a Procuradoria-Geral da República pela divulgação dos depoimentos. Irritado, Temer disse que toda vez que a economia dá sinais de recuperação, aparece delação.

Temer telefonou logo cedo para a presidente do STF, Cármen Lúcia, avisando-lhe de que pediria acesso aos áudios. A conversa entre os dois foi protocolar. Ao longo do dia, o presidente recebeu 14 dos 28 ministros e lamentou o destino do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG). “Sem o PSDB, o governo acaba”, disse um ministro ao Estado.

Discurso

Foi a equipe de comunicação que estipulou 16 horas como horário-limite do pronunciamento, porque pipocavam notícias sobre uma possível renúncia e o mercado estava agitado. “Não poderíamos deixar essa onda crescer”, disse Jucá.

O discurso passou pelo ministro-chefe da Secretaria-Geral, Moreira Franco, mas na última hora Temer fez retoques, reforçando o tom de indignação. Questionado se haveria clima para aprovar mudanças na Previdência e na lei trabalhista, Jucá disse que o governo votará as “reformas possíveis”. Apesar da tensão, um aliado não perdeu o bom humor e disse que era “mais fácil cair o Trump do que o Michel”.

 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 15 de agosto de 2017

22:43 - Supremo retira de Moro delações da JBS sobre Lula e Mantega

20:47 - Julgamento de denúncia contra Collor é interrompido e será retomado dia 22

15:43 - Supremo começa a julgar denúncia da PGR contra Collor

12:15 - Defesa insiste que pedido de prisão contra Aécio seja levado ao plenário do STF

08:37 - MPF afirma que Joesley omitiu crime no BNDES e quer cobrar R$ 1 bilhão

Segunda, 14 de agosto de 2017

20:44 - Fachin mantém para amanhã julgamento de denúncia da PGR contra Collor

08:25 - João Santana e Monica dizem a Moro que 'estão passando por dificuldades'

Domingo, 13 de agosto de 2017

10:58 - Berço da Lava Jato vê divórcio entre Polícia Federal e procuradores

Sexta, 11 de agosto de 2017

16:34 - Sérgio Zveiter, relator da denúncia contra Temer, pede desfiliação do PMDB

Quinta, 10 de agosto de 2017

20:00 - Fachin decide não incluir Temer em inquérito do 'quadrilhão'


// leia também

Quarta, 16 de agosto de 2017

08:41 - Líderes marcam votação da reforma política em plenário para esta quarta-feira

08:36 - STJ aprova condenação de Bolsonaro por danos morais a Maria do Rosário

Terça, 15 de agosto de 2017

23:00 - CCJ aprova PEC que pode ampliar licença-maternidade para mães de gêmeos

20:31 - Aécio diz que PSDB permanece no governo mesmo que perca ministérios

16:10 - Por determinação de Temer anúncio da nova meta é antecipado

14:11 - Ética é a única forma de viver sem o caos, diz Cármen Lúcia

14:08 - Comissão concluiu votação que cria 'distritão' e fundo público para campanha

13:55 - Comissão aprova convite para que Meirelles explique alterações na meta fiscal

13:30 - Moro defende 'vontade política' para que medidas anticorrupção avancem

13:00 - Nova meta de déficit fiscal será anunciada nesta quarta-feira


 veja mais
Cuiabá, Quarta, 16/08/2017
 

GD Empregos

Facebook Instagram
GDEnem

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 16/08/2017
30998172bf1924e518b296591876fac2 anteriores

WhatsApp




Indicadores Econômicos

Indicadores Agropecuário

Mais Lidas Enquete

Proposta prevê espera máxima de 30 minutos para atendimento nos cartórios.




waze

Logo_classifacil









Loja Virtual