Aécio e Temer têm atuado para impedir avanço da Lava Jato, diz Janot | Gazeta Digital

Sexta, 19 de maio de 2017, 14h22

Aécio e Temer têm atuado para impedir avanço da Lava Jato, diz Janot


Estadao

A delação da JBS aponta que o presidente Michel Temer (PMDB) e o senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) têm atuado para impedir o avanço das investigações da Lava Jato, disse o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao pedir a abertura de inquérito para investigar os dois.

‘Verifica-se que Aécio Neves, em articulação, dentre outros, com o presidente Michel Temer, tem buscado impedir que as investigações da Lava Jato avancem, seja por meio de medidas legislativas, seja por meio do controle de indicação de delegados de polícia que conduzirão os inquéritos‘, escreveu o procurador-geral da República, em despacho assinado no dia 7 de abril.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato, levantou o sigilo da delação da JBS. Nesta sexta-feira, 19, foram tornados públicos os depoimentos de delatores, os despachos de Fachin e os pedidos de abertura de inquérito formulados pela Procuradoria-Geral da República.

De acordo com o Janot, os elementos já colhidos apontam pagamentos de propinas ao doleiro Lúcio Funaro e ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), ambos presos em decorrência de desdobramentos do caso Lava Jato.

‘Eduardo Cunha, ex-deputado federal e ex-presidente da Câmara dos Deputados, era do mesmo partido do presidente da República, PMDB, e se tornou pública a tentativa de Cunha arrolar o presidente da República como uma de suas testemunhas, fato reconhecido pelo próprio presidente como uma tentativa de constrangê-lo. Depreende-se dos elementos colhidos o interesse de Temer em manter Cunha controlado‘, ressaltou Janot.

Peculiaridade

Em seu despacho, Janot destaca a ‘peculiaridade‘ dos episódios narrados na delação da JBS.

‘Diferentemente de episódios anteriores nos quais a colaboração cingia-se a fatos criminosos pretéritos, a presente negociação de acordo trouxe à baila crimes cuja prática ou seu exaurimento estão ocorrendo ou por ocorrer, em datas previstas ou previsíveis. Isso torna obrigatória, em respeito à missão constitucional do Ministério Público, a intervenção imediata para propiciar a cessação das condutas e sua induvidosa e rigorosa apuração‘, afirmou Janot.

De acordo com Janot, as provas já colhidas indicam o cometimento de crimes de corrupção ativa por Joesley Batista e passiva por Aécio.

‘Verificou-se que, por intermédio de sua irmã, Andrea Neves da Cunha, Aécio Neves solicitou propina para Joesley em pelo menos uma oportunidade, consistente no pagamento de R$ 2 milhões, acertado a ser efetivado em parcelas‘, afirmou Janot.

Andrea foi presa nesta quinta-feira, 18, por determinação de Fachin.
 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sexta, 17 de novembro de 2017

17:43 - Lava Jato no Rio já denunciou 134 pessoas e pediu devolução de R$ 2,3 bilhões

09:36 - Manifestantes comemoram 1 ano de prisão de Cabral no Rio de Janeiro

08:05 - Penas de até 300 anos ameaçam o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral

07:54 - Deputados cariocas vão decidir destino de Jorge Picciani na prisão

Quinta, 16 de novembro de 2017

20:55 - Justiça determina nova prisão do empresário Jacob Barata Filho

14:18 - MPF pede restabelecimento da prisão de Jacob Barata Filho

08:37 - Tribunal deve julgar hoje prisão de Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi

Terça, 14 de novembro de 2017

08:12 - Ação da PF prende filho de Picciani e mira em cúpula da Assembleia do Rio

Segunda, 13 de novembro de 2017

11:41 - Em convenção paulista, militantes do PSDB gritam 'fora, Aécio'

Sábado, 11 de novembro de 2017

09:36 - Moro vai ouvir Glaucos e contador sobre recibos de Lula


// leia também

Sábado, 18 de novembro de 2017

08:49 - Huck está vivendo a pressão de ser candidato, diz Freire

08:26 - Luiz Marinho é denunciado pela segunda vez

Sexta, 17 de novembro de 2017

22:40 - Picciani, Melo e Albertassi deixam prisão, mas têm bens bloqueados

21:36 - Raquel Dodge vai ao STF para suspender depoimento de Pelella

21:05 - Decisão de deputados no Rio é amostra do que pode acontecer em Brasília

20:18 - PSL vai acionar STF para anular sessão que revogou prisão de deputados

19:44 - Jorge Picciani é solto enquanto o filho tem prisão prorrogada pelo TRF-2

19:36 - PSOL pede expulsão de deputado que votou pela libertação de Picciani

16:52 - Assembleia do Rio ignora protestos e vota pela libertação de deputados presos

15:47 - CCJ da Assembleia do RJ vota pela revogação da prisão de deputados


 veja mais
Cuiabá, Sábado, 18/11/2017
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Sábado, 18/11/2017
89f01fd46cf172899e90ae8ec15cf338 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Que palavra melhor resume o ano de 2017 para os mato-grossenses?




Logo_classifacil









Loja Virtual