PF deflagra Torniquete contra desvio de R$ 100 milhões em São Sebastião (SP) | Gazeta Digital

Quarta, 29 de novembro de 2017, 09h12

Saúde e obras públicas

PF deflagra Torniquete contra desvio de R$ 100 milhões em São Sebastião (SP)


Estadao

A Polícia Federal, a Controladoria-Geral da União e o Ministério Público Federal deflagraram nesta quarta-feira, 29 de novembro, a Operação Torniquete, contra supostas irregularidades cometidas em São Sebastião (SP) durante as duas gestões do prefeito Ernane Primazzi (PSC), que exerceu mandatos entre os anos de 2009 a 2016. A investigação mira recursos da saúde e obras públicas.

Chico Ferreira

Em nota, a PF informou que a Torniquete apura um esquema de propina em contratos da Prefeitura de São Sebastião entre 2009 e 2016. ‘Fraudes envolviam alto escalão do governo municipal e eram coordenadas pelo então prefeito‘, diz a nota.

A investigação iniciou-se em 2016 com a finalidade de apurar denúncias de desvios de recursos públicos repassados pelo Município de São Sebastião ao Hospital de Clínicas de São Sebastião, sob intervenção municipal desde 21 de agosto de 2007.

No decorrer da investigação, contudo, além de irregularidades na intervenção havida no Hospital de Clínicas, descortinou-se um cenário de corrupção sistêmica, envolvendo secretarias municipais e contratos firmados com diversas empresas prestadoras de serviços. Os indícios apontam os prováveis envolvimentos dos responsáveis pelas secretarias municipais de Saúde, de Habitação e Planejamento, de Obras, das Administrações Regionais, de Administração, de Assuntos Jurídicos e de Fazenda e de outros servidores de menor escalão hierárquico, sob o comando do então prefeito e de empresas que mantinham contratos com o poder público municipal.

Interceptações telefônicas e escutas ambientais feitas pela Polícia Federal (PF) indicaram a participação direta de integrantes do primeiro escalão do governo municipal nas negociatas e de outros servidores públicos municipais. O então prefeito era quem coordenava as fraudes e o desvio de recursos públicos.

Foram detectados, até o momento, aproximadamente R$ 400 milhões em contratos públicos suspeitos e estima-se um desvio de mais de R$ 100 milhões por meio do superfaturamento de serviços, serviços remunerados porém não realizados, ou serviços prestados com qualidade/quantidade inferior à estipulada no contrato.

Foram afastados temporariamente da função pública dez servidores públicos; 16 investigados foram proibidos de frequentarem as dependências de órgãos municipais e de se ausentarem do país, estipulando até 24 horas para a entrega de seus passaportes na Polícia Federal.

Estão sendo cumpridos 39 mandados de busca e apreensão em órgãos públicos municipais, empresas e residências de investigados nas cidades de São Sebastião, Ilhabela, Caraguatatuba, São José dos Campos e da capital, São Paulo.

As medidas cautelares deferidas incluem também a indisponibilidade de bens dos investigados, entre eles o ex-prefeito e seus familiares, ex-secretários municipais, servidores públicos e empresários. Para cada um, o bloqueio pode ser de até R$ 118,3 milhões.

A quantia corresponde ao valor total já apurado de repasses de recursos públicos federais da saúde e contratos ilegais firmados no período entre órgãos da prefeitura e as empresas investigadas para a prestação de diversos serviços à população.

Como parte da atuação conjunta, o Ministério Público de Contas do Estado de São Paulo também ofereceu nesta quarta seis representações ao Tribunal de Contas paulista contra empresas contratadas por São Sebastião durante o período investigado. Quatro delas se referem à construção de centros de saúde e a obras de urbanização. As demais correspondem a firmas que prestaram serviços ao Hospital das Clínicas da cidade e para edificação e reforma de três Unidades Básicas de Saúde.

O MPF, a PF e a CGU pretendem colher mais provas e indícios a partir de documentos e equipamentos apreendidos nesta quarta-feira. Além de serem alvo dos mandados cumpridos e do bloqueio de bens, os investigados tiveram seus sigilos bancário e fiscal quebrados, o que poderá revelar os detalhes da movimentação financeira entre os participantes do esquema.

Estão envolvidos diretamente na Operação 177 policiais federais e 14 auditores da Controladoria Geral da União.

O nome da Operação faz referência ao instrumento utilizado emergencialmente para estancar casos graves de hemorragia.

A reportagem está tentando contato com os citados. O espaço está aberto para manifestações. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 24 de abril de 2018

09:59 - Morador de rua é espancado com taco em frente a padaria em SP

Domingo, 22 de abril de 2018

11:00 - Em fuga num campinho de futebol, adolescente morre com tiro no tórax

Sábado, 21 de abril de 2018

14:00 - Advogado pede à Justiça que barre quadro de R$ 85 mil de Serra no Bandeirantes

09:24 - Polícia Civil encerra inquérito de agredido em frente a Instituto Lula

Sexta, 20 de abril de 2018

09:27 - Tiroteio em ônibus mata 2 e fere 5 na zona sul de São Paulo

Quinta, 19 de abril de 2018

19:30 - Polícia procura suspeitos de latrocínio em Osasco

09:55 - Polícia Civil prende quadrilha suspeita de roubar celulares em SP

Quarta, 18 de abril de 2018

14:14 - Teto de escola infantil desaba e deixa pelo menos 19 feridos

Segunda, 16 de abril de 2018

17:00 - Morador de rua é encontrado morto no centro de São Paulo

Domingo, 15 de abril de 2018

10:44 - Justiça manda prefeitura devolver documentos e objetos de morador de rua


// leia também

Quarta, 25 de abril de 2018

19:30 - Convenção decidirá entre Temer e eu quem será o candidato do MDB, diz Meirelles

19:00 - Joesley confirma na PF R$ 500 mil para Ciro Nogueira 'na garagem de casa'

17:00 - PGR avalia recorrer da decisão que tirou de Moro menções da Odebrecht a Lula

16:46 - Raquel pede ao STF que investigação sobre Mantega fique na Justiça Federal

14:05 - Resultado das eleições definirá as próximas décadas do País, diz Rubens Barbosa

13:54 - PEN desiste de liminar no Supremo para impedir prisão em 2ª instância

13:04 - Maia diz que projetos de crédito suplementar terão restrição na Câmara

11:45 - Transferência de Lula pedida por PF antecipa discussão sobre cárcere definitivo

08:53 - MP investiga viagens em helicóptero do RJ após Cabral deixar cargo

08:49 - Decisão do STF pode tirar de Moro investigação sobre Lula


 veja mais
Cuiabá, Quinta, 26/04/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quinta, 26/04/2018
2f8a4ad01ac2cdfd8dde377dc7eb1047 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Proposta sugere que presos ainda não condenados tenham prisão substituída por atividades escolares




Logo_classifacil









Loja Virtual