Picciani recebeu R$ 11 milhões da Odebrecht, aponta denúncia | Gazeta Digital

Quinta, 07 de dezembro de 2017, 13h59

acusado de evasão de divisas

Picciani recebeu R$ 11 milhões da Odebrecht, aponta denúncia


Estadao

O presidente afastado da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani (PMDB) teria recebido R$ 11,1 milhões da construtora Odebrecht. Deste valor, R$ 4,5 milhões foram depositados no exterior. Por causa disso, o Ministério Público Federal (MPF) denunciou Picciani à Justiça pelo crime de evasão de divisas na noite de quarta-feira, 6, além dos crimes de cartel, fraude a licitações, corrupção, lavagem de ativos e organização criminosa.

De acordo com a denúncia, Picciani recebeu a propina da Odebrecht de 2008 a 2014. A informação está em uma planilha recebida pelo órgão, após a formalização do acordo de leniência com a Odebrecht. Os dados sobre o parlamentar foram repassados ao MPF pelo executivo da empresa Benedicto Júnior, que firmou acordo de colaboração premiada com o MPF.

Benedicto Jr. informou que a alcunha de ‘Grego‘ na planilha se referia a Picciani. O empresário, que integrava o núcleo econômico responsável por realizar o pagamento de propina aos deputados estaduais, afirmou que o repasse se dava por meio de doações oficiais a campanhas políticas e por meio de pagamentos clandestinos. Muitos foram registrados no sistema de contabilidade paralela desenvolvido pela empresa, conhecido por Drousys.

No Rio, os pagamentos de propina pela Odebrecht a Picciani seriam feitos pelo doleiro Álvaro Novis. Teriam sido recebidos por Jorge Luiz Ribeiro, operador financeiro de Picciani, a quem cabia receber e ocultar o dinheiro da corrupção, segundo a denúncia.

De acordo com o MPF, os pagamentos de propina a Picciani tiveram por objetivo garantir que o deputado intercedesse por interesses da empresa. Isso teria ocorrido por meio da edição de atos normativos pelo Legislativo ou pelo direcionamento de eventuais licitações e contratos a serem realizados pelo executivo durante a gestão do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), dentre outras vantagens de interesse do grupo empresarial.

‘Vale anotar que no caso de Jorge Picciani, os pagamentos não cessaram, mesmo quando ficou sem mandato (2011/2014). De um lado, por configurarem-se em dividendos de ’serviços’ já prestados. De outro, pela inegável necessidade do apoio desse influente político que, mesmo sem mandato, presidia o diretório estadual do PMDB-RJ. Para que a Organização Criminosa operante no governo de Sérgio Cabral pudesse prosseguir na prática dos seus crimes, era necessário continuar contando com o apoio de Jorge Picciani, cuja ascendência e liderança sobre os parlamentares estaduais sempre foi notória‘, afirmaram os procuradores.

Defesas

A reportagem está tentando ouvir as defesas de Picciani e Cabral. Ambos estão presos na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, com outros políticos do Rio investigados pela Lava Jato. O espaço está aberto para manifestações dos advogados. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sábado, 03 de fevereiro de 2018

10:35 - MP pede que Suzane faça 'teste do borrão' antes de decidir soltura

Quarta, 13 de dezembro de 2017

14:32 - IFMT deve publicar membros de banca nos seus concursos públicos

Quinta, 07 de dezembro de 2017

13:44 - MPF denuncia Picciani, Albertassi e Paulo Melo à Justiça

Sábado, 18 de novembro de 2017

17:26 - Ministério Público investiga desvio de R$ 200 milhões na PM paulista

Quinta, 16 de novembro de 2017

18:24 - Advogado de Picciani questiona decisão do TRF; MPF espera manutenção de prisão

Terça, 14 de novembro de 2017

14:04 - Raquel vai receber sugestões sobre resolução de Janot que dá superpoderes ao MP

Terça, 07 de novembro de 2017

17:31 - Conselho de Procuradores aprova documento contra PEC que dá autonomia à PF

Terça, 03 de outubro de 2017

16:25 - Justiça condena Bolsonaro por ofensas a quilombolas e negros

Terça, 26 de setembro de 2017

16:35 - Tribunal nega liberdade e mantém Aldemir Bendine atrás das grades

Segunda, 06 de março de 2017

15:27 - MPF garante indenização à comunidade indígena Terena


// leia também

Segunda, 23 de abril de 2018

18:30 - Lula diz em carta que PT pode ficar à vontade para decidir sobre candidatura

17:17 - PSDB expulsa prefeito de Bariri suspeito de abusar de menina de 8 anos

16:54 - Justiça proíbe visitas de Dilma e outros 'amigos' a Lula em carceragem na PF

15:04 - Prisão ocorre em 16% dos inquéritos por corrupção

14:32 - Dominadas por indicações políticas, agências têm 11 vagas na prateleira

08:55 - Pré-candidatos ao governo de SP fazem romaria a Temer na capital

08:51 - Autoridades cometerão crime se impedirem visita de comissão a Lula, diz Pimenta

Domingo, 22 de abril de 2018

08:45 - Medo de escândalos inibe doações de eleitores

08:38 - Sem consenso, Câmara discute reforma do Código de Processo Penal

Sábado, 21 de abril de 2018

17:00 - Senador não atendeu a interesses, afirma defesa


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 23/04/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 23/04/2018
341f42bd8a1ff7d0703a6e07e44980a2 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Brasil deveria fechar a fronteira com a Venezuela?




Logo_classifacil









Loja Virtual