A segurança na educação | Gazeta Digital

Quinta, 09 de junho de 2016, 00h00

A segurança na educação


Um dos grandes problemas da educação, hoje, é a segurança de seus profissionais. Além da educação escolas públicas, na área privada, também, a coisa está ficando cada vez mais séria.
Nesta semana nos chamou a atenção a notícia da denúncia de agressão de um pai de aluno insatisfeito com a correção do trabalho do filho à coordenadora de curso de direito. Não julgo o caso, aqui, porque não tenho subsídios. Vou sim, aproveitá-lo para falar sobre o que tem provocado esse tipo de situação relatada.
O problema é que o brasileiro, via de regra, não se preocupa com a educação. Quer título, nota, etc. Além disso, temos um problema muito mais sério: gestores incompetentes e inconsequentes (volto a afirmar que não falo do caso específico ocorrido, porque pode não ter sido assim, lá). Tiram a autoridade de coordenadores e professores em nome do medo de perder alunos. Infelizmente, essa permissividade foi se infiltrando em várias instituições de ensino, contaminando a relação aluno/pais-professor. E, é óbvio, esse comportamento coloca em risco a integridade física dos professores.
Pois bem, o fato é que, hoje, precisamos realinhar com o ‘cliente‘, o produto ‘educação‘. Certa feita um aluno, querendo me pressionar para facilitar a sua vida, me disse que estava lá só pelo diploma. O que eu disse a ele? Nós não vendemos diplomas aqui.
Enquanto a instituição sabe o que está ‘vendendo‘, que é a oferta das melhores condições para a relação ensino-aprendizagem, tudo ótimo. O problema é quando ela, efetivamente, passa a se preocupar com a pressão do aluno com medo de perdê-lo, da imprensa etc. Quando uma escola cede a isso, outras pessoas se veem no direito de repetir o modelo de pressão de modo generalizado (e acaba fazendo, inclusive, nas instituições onde essa prática não é tolerada).
Ceder quando se faz o que é certo, fragiliza o processo. Aí, chegamos a uma situação em que pais e alunos enfrentam e pressionam professores e coordenadores de curso em função da exigência de qualidade, pasmem, cobradas pelos segundos. Se a responsabilidade da qualidade da educação cabe em grande parte aos professores e coordenação, a autoridade de ação também deveria caber a eles. E mais: se estão fazendo o que é certo, só há uma chance: apoio da direção. Se não apoia, que assuma toda a responsabilidade pelo resultado do processo. Simples assim.

Claudinet Coltri Junior é palestrante, consultor organizacional e educacional, professor e diretor da Nova Hévila Treinamentos. Website: www.coltri.com.br - E-mail: coltri@coltri.com.br - facebook.com/coltrijunior.



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Quinta, 09 de fevereiro de 2017

00:00 - Educação, Truco e Dourada

Quinta, 02 de fevereiro de 2017

00:00 - O erro da enganação como marketing

Quinta, 22 de dezembro de 2016

00:00 - É só o amor

Quinta, 15 de dezembro de 2016

00:00 - Para que serve a Lei de Responsabilidade Fiscal?

Quinta, 08 de dezembro de 2016

00:00 - República Federativa da Lamia

Quinta, 01 de dezembro de 2016

00:00 - Enquanto isso, nas salas de justiça

Quinta, 24 de novembro de 2016

00:00 - O nosso Vale dos Leprosos

Quinta, 17 de novembro de 2016

00:00 - Lumiar

Quinta, 10 de novembro de 2016

00:00 - O conhecimento faliu

Quinta, 27 de outubro de 2016

00:00 - Triste eleição


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 26/06/2017
 

GD Empregos

WhatsApp Twuitter
WhatsApp

Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 26/06/2017
D771e0e6794ed6a17fab0eebeab86994 anteriores




Indicadores Econômicos

Indicadores Agropecuário

Mais Lidas Enquete

Tramita no Senado projeto de lei que concede prioridade para pessoas acima de 80 anos em relação aos demais idosos.




waze

Logo_classifacil









Loja Virtual