O perigo da atitude | Gazeta Digital

Quinta, 21 de julho de 2016, 00h00

Claudinet Coltri Júnior

O perigo da atitude

Claudinet Coltri Júnior


Ter atitude é bom. O problema é quando o ignorante toma a atitude. A melhor coisa de quem não tem preparo é tentar gerar competência antes de fazer algo. Se não quiser pagar o preço da aprendizagem e do tempo que se leva a isso, a melhor decisão é ficar quieto.
Na semana passada, Robson Braga de Andrade, presidente da Confederação Nacional das Indústrias, CNI, defendeu medidas duras da presidência da República em relação à Previdência Social e as leis trabalhistas. Para as segundas, defendeu a ideia de elevarmos a jornada de trabalho no Brasil para 80 horas, levando em consideração a mudança proposta na França.
Pior que isso, é que ainda tentam nos fazer de bobos. Logo após a polêmica instalada, a CNI divulgou nota dizendo que seu presidente não defendeu essa ideia. Defendeu sim. Basta saber ler. Disse ele: “A França perdeu a competitividade de sua indústria com relação aos demais países da Europa. Agora, está revertendo e revendo suas medidas para criar competitividade. O mundo é assim e temos de estar abertos para fazer essas mudanças. Ficamos ansiosos para que essas mudanças sejam apresentadas no menor tempo possível”.Quando ele diz “essas mudanças”, fala sobre medidas francesas. E quais são as medidas francesas?
A questão é a seguinte: não é de hoje que, em termos de produtividade, sabemos que as 40 horas semanais é a jornada que mais gera resultado. Menos que isso, o resultado cai. Acima desse limite, a médio e longo prazo, a produtividade também cai. Por isso temos férias, fim de semana e descanso de 11 horas entre uma jornada e outra. São recarregadores de energia. São em prol da produtividade.
Assim, um pensamento desse tipo só tem duas justificativas: desconhecimento total dos princípios e das leis tempo/produtividade, como a Lei da Contra-Produtividade do Tempo para Além de Certo Limite que diz que, para além de um certo limite horário, a produtividade do tempo investido decresce e torna-se negativa, ou, se conhecê-las, o foco deve estar na perversidade de transformar o trabalho, cada vez mais, em castigo, tirando o tempo em que a pessoa possa ser dona de si mesma, ou seja, uma prisão.
Cada vez mais creio ser preciso cuidado ao sairmos por aí falando em atitude. Os ignorantes também ouvem e se estimulam a fazê-lo. E é aí que mora o perigo. Pense nisso, se quiser, é claro!


Claudinet Coltri Júnior é palestrante, consultor organizacional e educacional, professor e diretor da Nova Hévila Treinamentos. Website: www.coltri.com.br - E-mail: coltri@coltri.com.br - facebook.com/coltrijunior.
 



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Quinta, 09 de fevereiro de 2017

00:00 - Educação, Truco e Dourada

Quinta, 02 de fevereiro de 2017

00:00 - O erro da enganação como marketing

Quinta, 22 de dezembro de 2016

00:00 - É só o amor

Quinta, 15 de dezembro de 2016

00:00 - Para que serve a Lei de Responsabilidade Fiscal?

Quinta, 08 de dezembro de 2016

00:00 - República Federativa da Lamia

Quinta, 01 de dezembro de 2016

00:00 - Enquanto isso, nas salas de justiça

Quinta, 24 de novembro de 2016

00:00 - O nosso Vale dos Leprosos

Quinta, 17 de novembro de 2016

00:00 - Lumiar

Quinta, 10 de novembro de 2016

00:00 - O conhecimento faliu

Quinta, 27 de outubro de 2016

00:00 - Triste eleição


 veja mais
Cuiabá, Terça, 27/06/2017
 

GD Empregos

WhatsApp Twuitter
WhatsApp

Fogo Cruzado
titulo_jornal Terça, 27/06/2017
Dddff6c44661c0b0079161a551188933 anteriores




Indicadores Econômicos

Indicadores Agropecuário

Mais Lidas Enquete

Tramita no Senado projeto de lei que concede prioridade para pessoas acima de 80 anos em relação aos demais idosos.




waze

Logo_classifacil









Loja Virtual