Enfim, 2016 acabou! | Gazeta Digital

Sexta, 30 de dezembro de 2016, 00h00

Enfim, 2016 acabou!


Foram 365 dias de muito sofrimento, muitas dores, muitos dissabores, muitas tragédias, muitas incertezas e muitas angústias ao redor do mundo e também em nosso país. Conflitos, guerras, violência crescente, fome, pobreza, tudo isto afetando centenas de milhões de pessoas.
No contexto internacional talvez ou melhor, sem sombra de dúvida a Guerra civil na Síria,com dezenas de milhares de vítimas inocentes e milhões de pessoas, principalmente crianças e idosos tendo que fugir dos horrores da Guerra para enfrentarem o sofrimento de uma longa jornada em busca de dias melhores, mas que nem sempre teve um final feliz. O terrorismo continuou fustigando ao redor do mundo matando e levando o medo a vítimas inocentes.
No aspecto politico internacional depois de uma longa campanha, de meses de debates, nos EUA acabou sendo eleito um verdadeiro azarão, cuja eleição chocou o mundo e desacreditou os institutos de pesquisas de opinião. A eleição de Trump passou a ser um verdadeiro tormento no cenário internacional e indica que novos conflitos tanto abertos quanto de natureza econômica quanto social deverão eclodir tanto naquele país quanto ao redor do mundo.
No Brasil, 2016 vai ficar marcado também por um grave crise econômica, política, social, ética e moral. Uma presidente da República foi afastada e depois cassada pelo Congresso, um partido que tanto se orgulhava de seu poder e influência na sociedade praticamente está a caminho de desaparecer do cenário politico ou se transformar em um anão entre outros partidos de menor significância.O novo presidente carece de legitimidade e está sob investigação e a chapa Dilma/Temer poderá ser cassada e as incertezas políticas continuam.
Ex-Governadores, ex-ministros, ex senadores, ex-deputados federais, ex-secretários estaduais, ex-deputados estaduais, ex-gestores importantes, empresários de peso, milionários ou até mesmo bilionários acabaram pegos pelo braço poderoso da Justiça foram ou continuam presos e outros mais continuam na marca do pênalti, incluindo um ex-presidente da República.
A operação LAVA JATO continuou firme e forte em sua jornada de limpeza ética, se bem que a parte que continua a cargo dos tribunais superiores ainda caminha a passos de tartaruga e tem contribuindo para que suspeitos de corrupção, gente famosa, principalmente com mandatos ou cargos que lhes propiciam o famigerado ‘foro especial‘ ou foro privilegiado continuem rindo da cara do povo,como se paladinos da democracia e pessoas honestas fossem.
Não podemos nos esquecer que o número de desempregados já ultrapassa dos doze milhões e os subempregados já superam 15 milhões. São mais de 60 milhões de pessoas afetadas pela insegurança no trabalho ou fora do Mercado de trabalho e que estão a beira da fome, da miséria, sem esperanças e sem perspectivas, sem futuro, enquanto nossos políticos e governantes continuam em suas vidas nababescas proferindo discursos demagógicos e zombando da inteligência e do sofrimento do povo. Pior ainda é perceber que o desemprego continua crescendo.
A crise econômica e financeira chegou de forma cruel tanto no meio empresarial, com falências, antigas concordatas ou atualmente recuperação judicial, endividamento do setor privado, endividamento de mais de 65 milhões de pessoas inadimplentes e com o nome ‘sujo‘ , não podendo comprar a prazo, milhares de pessoas perdendo seus bens, confiscados por dividas astronômicas, causadas inclusive por taxas de juros que ultrapassam a agiotagem, ante o olhar plácido de nossos governantes que compactuam com a rapinagem econômica e financeira.
A desorganização das finanças tanto da União quanto dos Estados e municípios está contribuindo para ampliar o caos nos serviços públicos afetando de uma forma mais dura as camadas excluídas da sociedade que dependem única e exclusivamente dos organismos públicos para terem atendidas suas necessidades básicas na saúde, na segurança, na educação, no saneamento e na habitação, além dos servidores públicos que estão a beira do trabalho escravo, trabalham e não recebem ao final do mês o justo salário, situação vergonhosa.
Enfim, 2016 está terminando, mas os prenúncios, os estudos de tendências, os prognósticos tanto no Brasil quanto em diversas partes do mundo indicam que 2017 não será um ano maravilhoso, por mais que alguns assim imaginam. Os mesmos dramas que vivemos neste ano que se finda podem se agravar e outros acontecimentos negativos podem surgir. Não existe muito espaço para a esperança e motivos para comemorarmos. Muita gente gostaria que a realidade fosse diferente, mas tudo continua muito sombrio!

Juacy da Silva, professor universitário, titular e aposentado UFMT, mestre em sociologia, articulista e colaborador de jornais, sites, blogs e outros veículos de comunicação. E-mail professor.juacy@yahoo.com.br Blog www.professorjuacy.blogspot.com Twitter@profjuacy

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Sexta, 10 de fevereiro de 2017

00:00 - O Brasil visto de fora

Sexta, 03 de fevereiro de 2017

00:00 - Desemprego, o drama de milhões

Sexta, 27 de janeiro de 2017

00:00 - Corrupção na ordem do dia

Sexta, 20 de janeiro de 2017

00:00 - Futuro incerto (1)

Sexta, 13 de janeiro de 2017

00:00 - Antessala do inferno 2

Sexta, 06 de janeiro de 2017

00:00 - Ante sala do inferno I

Sexta, 23 de dezembro de 2016

00:00 - Tempo de compaixão e solidariedade

Sexta, 16 de dezembro de 2016

00:00 - Avaliação do governo Temer

Sexta, 09 de dezembro de 2016

00:00 - Unidos contra a corrupção

Sexta, 02 de dezembro de 2016

00:00 - A corrupção não pode prevalecer


 veja mais
Cuiabá, Quarta, 20/09/2017
 
Facebook Instagram
GDEnem

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 20/09/2017
Ca366c85786e904951ca9343d5674919 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Deputados citados nas delações de Silval Barbosa não farão mais parte da Comissão de Ética da AL




Logo_classifacil









Loja Virtual