Assuntos do exterior | Gazeta Digital

Quinta, 20 de outubro de 2016, 00h00

Assuntos do exterior


Na campanha eleitoral nos EUA está valendo tudo. Os ataques são fortes. Alguns exemplos. Soltaram conversas degradantes de Donald Trump sobre mulheres. Ele rebateu mostrando vídeo de uma mulher que disse ter sido estuprada por Bill Clinton, esposo da Hillary. E que, quando aquela senhora da denuncia foi falar sobre isso com a hoje candidata, quase apanhou dela.
O lado da Hillary acusa Trump de estar sendo ajudado pela Rússia na campanha. Apareceram e-mails complicados da candidata Democrata e se fala que tenham sido vazados pelo governo russo.
Trump acusou ainda a candidata Hillary de ter tomado algum tipo de droga no último debate que tiveram. Por mais absurdo que pareça, ele pediu publicamente que no próximo debate os dois se submetessem a teste toxicológico antes. Em Cuiabá, se um candidato a prefeito falar que o outro é feio, a justiça se alvoroça.
Por que Donald Trump, mesmo com suas maluquices, é competitivo na eleição norte americana? A base dele é o americano com pouco estudo, protestante, branco, do interior, conservador. É uma gente que ficou para trás com o avanço tecnológico.
Eles culpam a estagnação em seus salários e perda de emprego ao imigrante e a ida de fábricas americanas para outros países. Culpam ainda os acordos de livre comércio que permite a entrada de bens no país por preço menor. Trump explora isso muito bem.
Um jornal mostrou, como exemplo do eleitorado do Trump, uma pequena cidade nos EUA que antes vivia da exploração de carvão. Tinha à época mais de 100 mil habitantes, hoje tem menos de 20 mil. Desemprego, pouco estudo e pobreza juntos faz aquela gente acreditar que Trump vai resolver os seus problemas. Esse é o grande eleitorado dele.
Poucos dias depois que Juan Manuel Santos, presidente da Colômbia, recebeu o prêmio Nobel da Paz, a Venezuela de Nicolas Maduro criou um Prêmio da Paz. A ideia é competir como aquele da academia sueca.
 É por essa e outras que a América Latina é vista como pitoresca em muitos lugares do mundo. O pior é que a região é olhada em bloco. Uma maluquice daquela é como se fosse comum em todos os países da área, Brasil incluído.
 Bob Dylan recebeu o Premio Nobel de Literatura. A academia sueca baseou mais em suas letras de música do que nos livros que ele publicou. E por que não? Por que deve receber um Nobel de Literatura somente o poeta que coloca seus poemas em livros específicos? Não tem poesia nas letras das músicas do roqueiro?
As letras de música de Vinicius de Moraes não valem como poesias? Somente as que ele colocou em livros? Ou outro que escreveu ‘tu pisavas os astros distraída‘. E as de Chico Buarque, veja se pode ter poesia melhor? Por que não as do Bob Dylan?

Alfredo da Mota Menezes e-mail: pox@terra.com.br site: www.alfredomenezes.com



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Quinta, 09 de fevereiro de 2017

00:00 - Assuntos polêmicos

Quinta, 02 de fevereiro de 2017

00:00 - Os culpados

Quinta, 26 de janeiro de 2017

18:10 - Que livro

Quinta, 19 de janeiro de 2017

00:00 - Crise e mortes anunciadas

Quinta, 12 de janeiro de 2017

00:00 - A Odebrecht e a esquerda regional

Quinta, 15 de dezembro de 2016

00:00 - Repense o assunto, senador

Quinta, 08 de dezembro de 2016

00:00 - Ferrovia pela Bolívia?

Quinta, 01 de dezembro de 2016

00:00 - A Cuba de Fidel

Quinta, 24 de novembro de 2016

00:00 - História

Quinta, 17 de novembro de 2016

00:00 - Assuntos da visita do Serra


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 26/06/2017
 

GD Empregos

WhatsApp Twuitter
WhatsApp

Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 26/06/2017
D771e0e6794ed6a17fab0eebeab86994 anteriores




Indicadores Econômicos

Indicadores Agropecuário

Mais Lidas Enquete

Tramita no Senado projeto de lei que concede prioridade para pessoas acima de 80 anos em relação aos demais idosos.




waze

Logo_classifacil









Loja Virtual