Quinta, 04 de agosto de 2016, 00h00

Onofre Ribeiro

Constrangimentos

Onofre Ribeiro


Está mais do que claro que o Brasil entrou numa nova onda que considera a ética como um valor fundamental da sociedade e da cidadania. Demorou muito, mas como tudo obedece a ciclos, começou o ciclo do respeito à ética. A propósito, a ética gera muitos constrangimentos. Coisa até então desconhecida no Brasil, quando se tratava de relacionar figuras importantes da política, da economia ou do mundo social dentro desse tipo de valor.
 Em Mato Grosso estamos assistindo o começo do ciclo de respeito à ética. Confesso que jamais esperaria ver isso em pelo menos 20 anos. No entanto, temos hoje presos um ex-governador, vários ex-secretários de estado, ex-deputado e funcionários de vários escalões da administração pública, além de empresários a eles ligados. De um lado a sociedade aplaude. Ver princípios de uma possível justiça corriqueira no futuro aplicados agora é motivo de satisfação. Mas de outro, parte da sociedade admite que ainda causa um enorme constrangimento ver-se ex-autoridades públicas e empresários das colunas sociais da mídia presos por meses seguidos.
Como se trata de uma cultura histórica que apareceu agora como a forma de construir a política que temos, espera-se que daqui pra frente muitos outros passarão pelo mesmo constrangimento. Ao longo do tempo a economia brasileira e a política foram construídas com o dinheiro público desviado. No lugar sempre tivemos uma educação pobre e medíocre, uma saúde vergonhosa, cadeias lamentáveis, segurança horrível e uma cidadania muito ruim. Uma coisa foi se amarrando na outra e o Brasil construiu uma nação torta e crente de que ética é bobagem defendida por intelectuais frustrados.
Agora que descobrimos nessa onda ser possível aplicar a ética nos negócios públicos, temos que conviver com constrangimentos de ver amigos presos. E no futuro imediato outro monte de gente presa porque prevaricou com o dinheiro público que deveria construir e manter os serviços públicos. Melhor assim. Mesmo convivendo com o constrangimento, temos uma onda forte que não vai recuar mais. Quem sabe teremos uma nação justa?


Onofre Ribeiro é jornalista em Mato Grosso.E-mail:onofreribeiro@onofreribeiro.com.br www.onofreribeiro.com.br
 



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Quinta, 19 de janeiro de 2017

00:00 - Compasso atrasado

Quinta, 12 de janeiro de 2017

00:00 - Debateção

Quinta, 29 de dezembro de 2016

00:00 - Já vai, 2016? - I

Quinta, 08 de dezembro de 2016

00:00 - Social ou econômico

Quinta, 24 de novembro de 2016

00:00 - O mundo e nós

Quinta, 17 de novembro de 2016

00:00 - Pedido de socorro

Quinta, 10 de novembro de 2016

00:00 - Depois dos tsunamis

Quinta, 27 de outubro de 2016

00:00 - Ilusões e desilusões

Quinta, 20 de outubro de 2016

00:00 - Desafios e desgastes

Quinta, 06 de outubro de 2016

00:00 - Crises e a história


 veja mais
Cuiabá, Sexta, 20/01/2017
 

WhatsApp


Fogo Cruzado waze

titulo_jornal Sexta, 20/01/2017
4fa6f0aa8dc554a3a883d344d91b9b74 anteriores




Rádios ao vivo
  • cbn
  • cbn
Indicadores Financeiros
Dólar Comercial 3,2193 +0,25%
Ouro - BM&F (à vista) 125,00 +0,81%
+ veja mais
Mercado Agropecuário
Boi Gordo @ 131,00
Soja - saca 60 kg 66,50
+ veja mais
Mais Lidas Enquete

Uma lei municipal de 2016 determina que todos os assentos do transporte coletivo de Cuiabá são preferenciais para idosos, gestantes e deficientes. Você concorda com isso?



Logo_classifacil