Por compra de vaga, Riva segue com as contas bloqueadas em R$ 4 mi | Gazeta Digital

Quarta, 02 de agosto de 2017, 11h37

R$ 4 milhões

Por compra de vaga, Riva segue com as contas bloqueadas em R$ 4 mi

Flávia Borges, repórter do GD


Chico Ferreira

José Geraldo Riva

O desembargador Luiz Carlos da Costa, da 2ª Câmara de Direito Público Coletivo do Tribunal de Justiça, negou provimento ao recurso interposto pelo ex-presidente da Assembleia Legislativa José Geraldo Riva por improbidade administrativa, dano ao erário, enriquecimento ilícito e violação aos princípios administrativos.

Riva tentava desbloquear R$ 4 milhões em bens e suspender a decisão que recebeu a denúncia contra ele e mais 8 pela compra de uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT) por parte de Sérgio Ricardo de Almeida que está afastado do cargo de conselheiro por causa da mesma decisão que bloqueou as contas de todos os réus em janeiro deste ano.

Também são réus na ação por improbidade o ex-secretário de Fazenda Eder Moraes, o ex-governador Silval Barbosa (PMDB), o empresário Gércio Marcelino Mendonça Júnior, o Júnior Mendonça, o ministro de Agricultura, Blairo Maggi (PP), os ex-conselheiros do TCE Humberto Bosaipo, Alencar Soares Filho, além de Leandro Soares (filho de Alencar Soares) e também o conselheiro afastado, Sérgio Ricardo. 

"Para o recebimento da inicial e indisponibilidade de bens, bastam indícios suficientes de cometimento de atos ímprobos, dispensável a demonstração do perigo da demora na prestação jurisdicional. Portanto, presente conjunto probatório seguro a evidenciar a solidez da imputação, o recebimento da inicial e a indisponibilidade de bens são consequências lógicas. A impugnação aos depoimentos colhidos, bem como aos documentos juntados, será medida e pesada depois de regular instrução", decidiu o desembargador.

O recurso de Riva é relativo à decisão do juiz Luís Aparecido Bertolussi Júnior, da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular, que em janeiro deste ano determinou o bloqueio de R$ 4 milhões das contas de Riva e afastou o conselheiro Sérgio Ricardo do cargo. A suspeita sobre a negociação da vaga surgiu após depoimentos do empresário Júnior Mendonça, em delação premiada, e do ex-secretário Éder Moraes.

Conforme Júnior Mendonça, em 2008 Sérgio Ricardo, que à época era presidente da Assembleia Legislativa, com o auxílio de Riva, utilizou dinheiro dele e do BicBanco para comprar a cadeira até então ocupada por Alencar Soares. Em 2009, o então governador Blairo Maggi (PR), obteve dele, por meio de Éder Moraes, R$ 4 milhões para pagar o então conselheiro Alencar Soares.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quarta, 07 de fevereiro de 2018

14:23 - Recurso de Blairo Maggi contra bloqueio de R$ 4 milhões sobe para o STJ

Terça, 14 de novembro de 2017

20:48 - TJ nega pedido de Blairo Maggi para afastar juiz

Terça, 01 de agosto de 2017

15:12 - Ministra do STF manda Procuradoria e TCE se manifestarem em 3 dias

Quinta, 27 de julho de 2017

18:36 - TCE tenta anular no STF o afastamento de conselheiro

Quarta, 26 de julho de 2017

12:20 - Sérgio Ricardo acusa conselheiro substituto de manobra para 'tomar' vaga

Terça, 25 de julho de 2017

15:39 - Juíza proíbe Sérgio Ricardo de entrar no prédio do TCE

Quinta, 13 de julho de 2017

09:07 - Sérgio Ricardo diz que não pode pagar advogado, mas juiz nega Justiça gratuita

Quarta, 24 de maio de 2017

15:11 - TJ nega recurso de Sérgio Ricardo e mantém afastamento e bloqueio de bens

Terça, 16 de maio de 2017

18:38 - Dois desembargadores votam contra o retorno de Sérgio Ricardo

Quinta, 13 de abril de 2017

16:57 - Desembargadora mantém Sérgio Ricardo afastado do TCE


// leia também

Domingo, 25 de fevereiro de 2018

08:30 - Ex-secretário da Copa e empresário recorrem ao STF para acessar delação

Sábado, 24 de fevereiro de 2018

15:20 - TJ autoriza entrada de crianças e adolescentes com jogadores no Fla-Flu

13:48 - TAM é condenada a indenizar funcionário obrigado a transportar valores sem segurança

13:41 - TRT anula multa aplicada a empresa que não preenchia cota de deficientes

09:45 - Governo de MT paga dívida e STF descarta intervenção no Estado

07:29 - Ministro manda PF periciar documentos apreendidos na empreiteira da família Avalone

Sexta, 23 de fevereiro de 2018

13:32 - Assembleia que afastou presidente da Fecomércio é anulada pela Justiça

10:30 - Gaeco e Defaz começam interrogar 240 testemunhas sobre desvios no Detran

07:59 - João Emanuel vai ao Supremo para afastar juíza Selma

07:35 - STF autoriza investigação contra Bezerra por suspeita de fraude em licitação


 veja mais
Cuiabá, Domingo, 25/02/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Domingo, 25/02/2018
39b9c063e83a7a7ffb2f5dc9ad998ca8 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Segundo pesquisa, 67% apoiam intervenção na área de segurança pública em suas cidades




Logo_classifacil









Loja Virtual