Juiz dá 15 dias para MTU pagar condenação por prejuízos a estudantes | Gazeta Digital

Terça, 05 de dezembro de 2017, 09h00

filas quilométricas

Juiz dá 15 dias para MTU pagar condenação por prejuízos a estudantes

Celly Silva, repórter do GD


O juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior, da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular, deu 15 dias de prazo para que a Associação Mato-grossense dos Transportadores Urbanos (MTU) efetue o pagamento de R$ 114, 2 mil ao Fundo Estadual de Defesa do Consumidor. O valor é oriundo de uma condenação proferida no início de 2014 e que não foi cumprida até hoje, mesmo tendo transitado em julgado no início deste ano.

Conforme assessoria da MTU, a defesa apresentou impugnação e aguarda julgamento.

Com o trânsito em julgado no início deste ano, o Ministério Público Estadual (MPE) ingressou com novo pedido, para que o Município e a MTU cumprissem a sentença proferida há 3 anos, o que foi concedido pelo magistrado. Além do prazo, Bortolussi também determinou multa e honorários de 10% em caso de descumprimento. A decisão foi publicada no Diário de Justiça.

Na ação civil pública que tramita há mais de 10 anos, o MPE acusa Prefeitura de Cuiabá e a MTU de atentarem contra os direitos dos estudantes beneficiários do cartão de transporte que lhes assegura o chamado “passe livre”, ou seja, a gratuidade no serviço de transporte coletivo.

Leia também - Juiz parcela perícia de R$ 69 mil no transporte coletivo

João Vieira

Fila para cadastramento de estudantes em 2008

Conforme a o MPE, as denúncias dos usuários eram relativas ao período de volta às aulas de 2005 e 2006, quando cerca de 60 mil estudantes teriam sofrido prejuízos decorrentes da forma de gestão da modalidade de passe por parte da AMTU, que estaria obrigando os estudantes a enfrentar enormes filas para se cadastrarem, permanecendo durante horas “sob o sol escaldante” a espera de atendimento.

Leia também - Alunos enfrentam fila para renovar Cartão Transporte

Além disso, estaria cancelando cartões de gratuidade de forma abrupta e unilateral, sem dar a chance aos usuários de recorrer contra tal medida. Também foi apontada a burocracia imposta àqueles que possuíam alguma deficiência física, impedindo-os de se cadastrar e obter o benefício do cartão gratuito.

Em 2011, as partes firmaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), porém, consta nos autos que durante mais de 1 ano, a Prefeitura se manteve inerte em relação ao pacto.

Já em 2014, quando o processo chegou à fase de sentença, a AMTU se defendeu dizendo que os fatos narrados pelo Ministério Público não mais existiam, uma vez que houve evolução no sistema de bilhetagem eletrônica, além de outras modificações que facilitaram o cadastramento dos estudantes, como a instalação de postos de recargas nos próprios estabelecimentos de ensino e necessidade de comparecimento do aluno na sede da AMTU somente no primeiro cadastro. A empresa alegou ainda que as filas quilométricas ocorreram por culpa dos próprios beneficiários, que deixaram para fazer o cadastramento nos últimos dias.

Leia também - Mudança vai diminuir filas na MTU

Diante dos fatos, o magistrado julgou parcialmente procedentes os pedidos do MPE e condenou a AMTU a indenizar à coletividade por danos morais difusos no valor de R$ 100 mi, pelos prejuízos causados aos usuários do transporte público coletivo, no período entre 2005 e 2009, valor que deveria ser repassado ao Fundo Estadual de Defesa do Consumidor.

Naquele mesmo ano, após embargo de declaração interposto pelo MPE, também foi determinado que a AMTU atendesse a todos os seus usuários no tempo máximo de 45 minutos.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quinta, 11 de janeiro de 2018

18:13 - Taxistas terão ponto definitivo na rua 13 de Junho

08:00 - Estação Alencastro oferece serviços de recarga e consulta de saldo de cartão

Terça, 09 de janeiro de 2018

11:13 - Estação Alencastro gera crítica, dúvidas e apresenta problemas

Quinta, 04 de janeiro de 2018

16:56 - Prefeitura inaugura a primeira estação de ônibus climatizada de Cuiabá

09:41 - Tarifa de ônibus sobe para R$ 3,85 em Várzea Grande

Quarta, 03 de janeiro de 2018

14:12 - Novo valor da tarifa de ônibus é publicada e passa a valer nesta quinta

Terça, 02 de janeiro de 2018

10:16 - Mantida multa para ônibus com elevador defeituoso

Sexta, 29 de dezembro de 2017

10:39 - Procon estadual é contra reajuste de tarifa do transporte urbano

Quarta, 27 de dezembro de 2017

11:28 - Tarifa de ônibus pode subir para R$ 3,85 em 2018

Quarta, 06 de dezembro de 2017

11:34 - Sem abrigos de ônibus, usuários de Cuiabá 'padecem'


// leia também

Sábado, 20 de janeiro de 2018

08:05 - Transsexual consegue mudar o nome masculino para feminino e o gênero

08:00 - Operário aparece bêbado no serviço, xinga todo mundo e leva justa causa

07:50 - Auxílio-alimentação só é considerado salário se não houver contrapartida do trabalhador

Sexta, 19 de janeiro de 2018

13:53 - Juiz de Colniza se declara suspeito para julgar réus por morte de prefeito

11:53 - MPE ingressa com ação para Paranaíta ofertar vagas em creches

10:08 - TJ aumenta indenização que clínica odontológica terá que pagar a paciente

07:00 - MPE entra com ação para impedir suspensão de serviços em hospital

Quinta, 18 de janeiro de 2018

18:15 - Por suspeita de fraude, MPE exige anulação de concurso em Alto Garças

17:23 - Inclusão de pessoas com deficiência é tema de palestra no TJMT

16:42 - Juiz libera 36 imóveis, veículos e avião de 2 delatores da Ararath


 veja mais
Cuiabá, Domingo, 21/01/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Domingo, 21/01/2018
82cfd4bb38272f34788fa39cd9df2cd4 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Algum novato, de fora da política, pode surpreender nas eleições para presidente da República?




Logo_classifacil









Loja Virtual