Juiz libera ex-assessor de deputado de usar tornozeleira | Gazeta Digital

Quarta, 06 de dezembro de 2017, 14h50

operação ventríloquo

Juiz libera ex-assessor de deputado de usar tornozeleira

Celly Silva, repórter do GD


O juiz Marcos Faleiros, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, atendeu a um pedido do réu Francisvaldo Mendes Pacheco, ex-assessor do deputado estadual Romoaldo Júnior (PMDB), e revogou algumas das medidas cautelares a que estava imposto. São elas: proibição de se ausentar do país sem autorização judicial, recolhimento domiciliar noturno e integral aos sábados, domingos e feriados e uso da tornozeleira eletrônica.

Otmar de Oliveira

O réu Francisvaldo Mendes Pacheco

Francisvaldo é réu em ação penal oriunda da operação Ventríloquo, que apura crimes de desvio de recursos da Assembleia Legislativa, lavagem de dinheiro e peculato. Ele foi preso em outubro do ano passado, na operação Filhos de Gepeto, acusado de receber dinheiro como “laranja” do deputado Romoaldo Júnior.

Na mesma sentença, Faleiros negou outros requerimentos do réu e manteve a obrigação dele em comparecer mensalmente em juízo, para informar e justificar suas atividades e de comunicar previamente a eventual necessidade de se ausentar da cidade para trabalhar; a proibição de ir à Assembleia Legislativa de Mato Grosso e de manter contato, por qualquer meio, com testemunhas e demais acusados no processo, mesmo que em outras instâncias.

O magistrado deixou destacado e em letras garrafais que em caso de descumprimento das medidas cautelares que permaneceram, Francisvaldo Pacheco poderá ser preso preventivamente mais uma vez. A decisão é desta quarta-feira (6).

A decisão foi contra o parecer do Ministério Público Estadual (MPE), que apura o caso e que opinou pela manutenção de todas as medidas restritivas, com o argumento de que elas são necessárias para aplicação da lei penal, uma vez que em caso de condenação, o réu poderá cumprir a sanção de maneira adequada e esperada.


Juiz Marcos Faleiros

O MPE ainda lembrou que Francisvaldo descumpriu medidas, pois estaria participando de shows, frequentando bares e restaurantes sem autorização.

Leia mais - Réu desobedece cautelar e juíza endurece regras

Apesar disso, no caso das medidas revogadas, o juiz Marcos Faleiros entendeu que são menos graves e que não persistem mais os motivos para sua manutenção.

O magistrado aproveitou ainda para agendar a audiência de instrução e julgamento do caso, que será no dia 27 de abril de 2018, às 14 horas, no Fórum de Cuiabá.

Operação Ventríloquo

Francisvaldo Mendes Pacheco, o “Dico”, como é chamado no meio político, foi preso no dia 5 de outubro do ano passado, na operação “Filhos de Gepeto”, continuação da operação Ventríloquo, que apura desvio de R$ 9,4 milhões da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), por meio de transação fraudada com o antigo Banco Bamerindus.

Ele foi preso no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC) e solto em dezembro passado, mediante uso de tornozeleira eletrônica e cumprimento de outras imposições.

De acordo com denúncia do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), o ex-assessor parlamentar, juntamente com outros agentes, constituíram uma organização criminosa que agiu entre fevereiro e abril de 2014 para se beneficiar pessoalmente com dinheiro da AL.

Dentre os valores que seriam repassados aos envolvidos no esquema, pelo menos R$ 300,9 mil teriam sido direcionados a Francisvaldo. O deputado para quem ele trabalhava, Romoaldo Júnior, conforme depoimento do ex-deputado José Riva, teria recebido R$ 1,5 milhão no esquema, por isso, é alvo de inquérito que tramita no Tribunal de Justiça.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quarta, 20 de setembro de 2017

08:30 - MP pede bloqueio de bens de 3 deputados para ressarcimento de R$ 9,5 milhões

Terça, 19 de setembro de 2017

19:41 - MP pede que juíza anule delação de advogado que 'blindou' deputado

Segunda, 07 de agosto de 2017

11:28 - Réu desobedece cautelar e juíza endurece regras

Domingo, 11 de junho de 2017

10:39 - Delator corre risco de perder benefícios ao final do processo

Quinta, 08 de junho de 2017

11:38 - Juíza cobra R$ 250 mil de advogado que delatou esquema na AL

Segunda, 22 de maio de 2017

12:01 - Juiz nega pedido de réu para viajar em vendas de shows de dupla sertaneja

Domingo, 05 de fevereiro de 2017

17:09 - Suspeito de receber R$ 300 mil, ex-chefe da AL depõe hoje

Segunda, 23 de janeiro de 2017

09:00 - Ex-chefe de gabinete da AL usa tornozeleira eletrônica

Quarta, 14 de dezembro de 2016

10:14 - STF mantém prisão de ex-chefe de gabinete

Sexta, 09 de dezembro de 2016

19:25 - Provas contra deputado e assessor são válidas


// leia também

Sábado, 20 de janeiro de 2018

08:05 - Transsexual consegue mudar o nome masculino para feminino e o gênero

08:00 - Operário aparece bêbado no serviço, xinga todo mundo e leva justa causa

07:50 - Auxílio-alimentação só é considerado salário se não houver contrapartida do trabalhador

Sexta, 19 de janeiro de 2018

13:53 - Juiz de Colniza se declara suspeito para julgar réus por morte de prefeito

11:53 - MPE ingressa com ação para Paranaíta ofertar vagas em creches

10:08 - TJ aumenta indenização que clínica odontológica terá que pagar a paciente

07:00 - MPE entra com ação para impedir suspensão de serviços em hospital

Quinta, 18 de janeiro de 2018

18:15 - Por suspeita de fraude, MPE exige anulação de concurso em Alto Garças

17:23 - Inclusão de pessoas com deficiência é tema de palestra no TJMT

16:42 - Juiz libera 36 imóveis, veículos e avião de 2 delatores da Ararath


 veja mais
Cuiabá, Domingo, 21/01/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Domingo, 21/01/2018
82cfd4bb38272f34788fa39cd9df2cd4 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Algum novato, de fora da política, pode surpreender nas eleições para presidente da República?




Logo_classifacil









Loja Virtual