MPE ingressa com ação requerendo interdição de motel localizado no CPA 2 | Gazeta Digital

Quinta, 07 de dezembro de 2017, 10h03

MPE ingressa com ação requerendo interdição de motel localizado no CPA 2

Janã Pinheiro, redação MPE/MT


O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 17ª Promotoria de Justiça de Defesa Ambiental, da Ordem Urbanística e do patrimônio Cultural de Cuiabá, ingressou com ação civil pública, pedindo a interdição de um motel construído no bairro CPA 2, em Cuiabá. O MPE requer, ainda, a suspensão das atividades, tendo em vista que o empreendimento está completamente irregular e incompatível para o local.

Assessoria

Na ação o MPE pleiteia, também, que o proprietário do estabelecimento comercial elabore e execute projeto de adequação do imóvel à legislação municipal (no que diz respeito a índice de permeabilidade, acessibilidade, calçada padrão, arborização, correto tratamento e destinação final dos efluentes e resíduos sólidos, etc), com as eventuais necessárias demolições, devendo o projeto ser submetido à apreciação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano.

Conforme a ação, o projeto aprovado na Prefeitura de Cuiabá foi para a construção de um Apart Hotel, “enquanto que as características do imóvel são de motel, tratando-se de atividade classificada pela legislação de médio impacto, com necessidade de relatório de atividade e análise de localização”.

Dos 24 imóveis que existem no entorno do empreendimento, 14 são residenciais (58,33%) e 10 comerciais (41,66%), o que, segundo a ação do MPE, torna a atividade incompatível com o local, “consoante o parâmetro aceitável de que pelo menos 60% dos imóveis lindeiros também tenham uso não residencial, mencionado na lei complementar 389/2015. Outrossim foi confirmado que segundo a legislação vigente à época da aprovação do projeto não era permitida a instalação de motel nesse local”.

Segundo o MPE, o proprietário do imóvel já assinou TAC com o município de Cuiabá, em 2006, no qual se comprometeu, dentre outras obrigações, a regularizar a situação do seu imóvel, adequando e executando os projetos técnicos necessários. “Contudo, o referido acordo não foi cumprido. Demonstra-se, portanto, a total irregularidade do estabelecimento e infração às normas de ordenamento urbano, urgindo uma decisão judicial, tendo em vista a recalcitrância do infrator”. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 05 de junho de 2018

10:05 - Apae terá que prestar conta de doações em site institucional

Sexta, 16 de março de 2018

12:52 - Discussão no MPE tem até ordem para ficar quieto

Quarta, 07 de março de 2018

18:00 - Comissão aprova relatório de MP de fundos exclusivos por 13 votos a zero

Terça, 23 de janeiro de 2018

17:45 - Depois de 9 anos, MP tenta derrubar lei em VG

Segunda, 04 de dezembro de 2017

15:10 - MPE e Siemens buscam acordo de R$ 1 bilhão

Quinta, 30 de novembro de 2017

17:20 - Imagens mostram uso de armas de choque contra detentos em presídios goianos

Domingo, 08 de outubro de 2017

10:15 - MP vai analisar improbidade

Segunda, 24 de julho de 2017

10:21 - Paulo Prado diz que não volta para presidência do MP

Terça, 13 de junho de 2017

10:30 - MPE pede demolição imediata de estrutura da antiga lanchonete Portão do Inferno

09:56 - MPE aciona atual e ex-prefeitos por descumprimento de decisão judicial


// leia também

Segunda, 18 de junho de 2018

19:44 - Supremo mantém Paulo Taques preso 51 dias após operação

17:30 - Ex-deputado confirma ter recebido R$ 50 mil gravado em vídeo de delator

14:16 - PF sugere 144 novos inquéritos por delações de família Barbosa

11:15 - Emanuel diz à PF que aliado de Silval o gravou para fazer chantagem

08:29 - Juiz suspende escolta concedida à juíza Selma Arruda e não afasta Taques

08:01 - Empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré pede liberdade no STJ

06:00 - Perícia da PF confirma mensagens apagadas do celular de Blairo após apreensão

Domingo, 17 de junho de 2018

11:40 - Metalúrgica de Alta Floresta é condenada por trabalho infantil

11:31 - Menor que trabalhava como mecânico de automóveis receberá R$ 10 mil em indenização

11:21 - Rede de supermercados é condenada em R$ 5 milhões por descumprir normas


 veja mais
Cuiabá, Terça, 19/06/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Terça, 19/06/2018
469cf77038290f16bf38d5b8552ee12d anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Reino Unido firma pacto com empresas para reduzir uso de plástico e poluição




Logo_classifacil









Loja Virtual