MPE apura esquema entre Silval Barbosa e a Petrobras | Gazeta Digital

Sexta, 12 de janeiro de 2018, 11h42

improbidade

MPE apura esquema entre Silval Barbosa e a Petrobras

Celly Silva, repórter do GD


O Ministério Público Estadual (MPE) instaurou inquérito civil público contra o ex-governador Silval Barbosa para apurar possíveis atos de improbidade administrativa praticados por ele enquanto esteve na gestão do Poder Executivo, mais especificamente destinação ilegal dada a produtos entregues pela Petrobrás Distribuidora S/A.

A prática teria ocorrido por meio de execuções fiscais promovidas pelo Estado de Mato Grosso, bem como em manobra “supostamente ardilosa” para o levantamento extemporâneo de verba destinada ao fundo de Aperfeiçoamento dos Serviços Jurídicos do Estado (Funjus).

Chico Ferreira

Ex-governador Silval Barbosa

Em relação a isso, já tramita na Vara Especializada de Executivo Fiscal um processo movido pela Fazenda Pública de Mato Grosso contra a Petrobrás Distribuidora S/A, Luiz Rodolfo Landim Machado, Luiz Cláudio Caseira Sanches, Nelson José Guitti Guimarães, Marco Antônio Vaz Capute, Reinaldo José Belotti Vargas, José Lima de Andrade Neto, Fernando José Cunha e José Zonis.

A portaria de abertura do inquérito foi assinada pelo promotor de justiça Clóvis de Almeida Júnior, coordenador do Núcleo de Ações de Competência Originária (Naco Cível). A investigação tem previsão de 1 ano para ser concluída.

Conforme o Gazeta Digital já noticiou, em sua delação premiada firmada com o Ministério Público Federal (MPF), Silval Barbosa afirmou que foi operado no Estado, em 2012, um esquema de propina junto a executivos da Petrobras, correspondente a 6% das obras do programa de pavimentação MT Integrado.

No programa, o Estado, ao invés de remunerar as obras, concedia créditos dos valores gastos nas obras para tais empresas abaterem do ICMS. “O programa funcionava da seguinte forma: as construtoras ficavam responsáveis em executar as obras de infraestrutura, o Estado fazia as medições e informava o valor devido e a referida empresa que a Petrobrás deveria pagar, sendo que o valor pago pela Petrobras era descontado do valor que ela deveria recolher de ICMS para o Estado de Mato Grosso”, disse Silval em delação.

João Vieira

Promotor Clóvis de Almeida é responsável pelo inquérito

Leia também - Silval confirma esquema de propina através da Petrobras

O ex-governador relatou também que não chegou a acertar diretamente a propina com os executivos da Petrobras, o que teria sido feito posteriormente pelo então secretário-adjunto de Infraestrutura Valdísio Juliano Viriato.

Ainda segundo Silval, a propina combinada tanto com os diretores da Petrobras, como também com as construtoras, era de 4% a 6% do valor que a Petrobras pagava. Desses valores, metade era destinada para os servidores da Petrobras e metade ficaria com Valdísio, que repassaria a propina para o ex-chefe de gabinete do Silval, Sílvio César Corrêa Araújo ou para o próprio ex-governador. Era com esse dinheiro que Silval fazia os pagamentos dos “compromissos” de seu grupo político. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 24 de abril de 2018

10:51 - MP pede bloqueio de R$ 37 milhões de 3 deputados e mais 9 políticos

00:15 - MP denuncia 7 políticos flagrados em vídeos de Silval recebendo maços de dinheiro

Segunda, 16 de abril de 2018

18:54 - Conselheiro afastado do TCE alega viver 'um inferno'

Segunda, 09 de abril de 2018

07:47 - STF autoriza novas diligências em inquérito da delação de Silval

Terça, 03 de abril de 2018

15:26 - Supremo mantém suspenso processo de aposentadoria de Antonio Joaquim

08:23 - Novelli tenta reverter decisão contra retorno ao TCE

Quarta, 28 de março de 2018

12:36 - Não sou corrupto e nem ladrão, reage Antônio Joaquim contra Dodge

Terça, 27 de março de 2018

11:15 - Sem pressa, Dodge sugere que Antonio Joaquim se demita para ser candidato

Quinta, 22 de março de 2018

11:28 - Valter Albano se diz humilhado e pede retorno ao TCE

07:20 - Delatado, Novelli vê excessos no STF e afirma que MPE arquivou investigações


// leia também

Quarta, 25 de abril de 2018

12:05 - Empresa Viação Xavante teria pago propina de R$ 6 milhões a Silval

10:45 - Esse é o modo de fazer política do Pedro Taques, diz Eduardo Moura sobre operação

Terça, 24 de abril de 2018

19:12 - MPE notifica prefeito e vereadores sobre irregularidades na concessão de RGA

18:51 - Juiz alega se declara suspeito para julgar ação de golpe milionário

13:24 - MPE cobra do governo conclusão de concurso para patologistas e necrópsia

13:10 - TJ analisa pedido de segurança para a juíza aposentada Selma Arruda

10:55 - MPE ingressa com ação para empresa implantar área verde em residencial

10:04 - Juíza manda MST desocupar fazenda de Silval entregue em delação

08:41 - Liminar obriga empresas a sinalizar instalações que mataram trabalhador

08:13 - MPE investiga fraudes em licitação de R$ 4 milhões para pontes na MT-010


 veja mais
Cuiabá, Quinta, 26/04/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quinta, 26/04/2018
2f8a4ad01ac2cdfd8dde377dc7eb1047 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Proposta sugere que presos ainda não condenados tenham prisão substituída por atividades escolares




Logo_classifacil









Loja Virtual