Auxílio-alimentação só é considerado salário se não houver contrapartida do trabalhador | Gazeta Digital

Sábado, 20 de janeiro de 2018, 07h50

Auxílio-alimentação só é considerado salário se não houver contrapartida do trabalhador

Sinara Alvares, repórter do TRT-MT


Ao julgar um processo de um trabalhador de uma empresa agrícola em Primavera do Leste, o Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso (TRT-MT) decidiu que a alimentação fornecida ao empregado não integra o salário quando houver contrapartida do trabalhador, mesmo que o valor seja irrisório, conforme entendimento das cortes superiores.

Foi esse o entendimento da 1ª Turma do TRT ao julgar um caso no qual o trabalhador recebia almoço e tickets alimentação, mas tinha descontos mensais de R$ 10,25 como contrapartida a estes benefícios.

Otmar de Oliveira

Segundo o trabalhador, ele recebeu durante todo o tempo em que trabalhou na empresa uma cesta básica no valor de 200 reais, resultado de um Acordo Coletivo de Trabalho, além do fornecimento de almoço/janta no local de trabalho.

Conforme contou ele ao magistrado, desde que fora admitido na empresa houve a cobrança apenas de um valor irrisório, que não seria suficiente para afastar a obrigação da empresa de inserir aqueles benefícios em seu salário. Por isso, buscou a integração de R$ 400 por mês em seu salário, referentes aos salários utilidades.

Em primeira instância foi reconhecida a natureza salarial da alimentação fornecida ao trabalhador com base na súmula 241 do TST. A normativa afirma que o vale refeição, fornecido por força do contrato de trabalho, tem caráter salarial, integrando a remuneração do empregado para todos os efeitos legais.

A decisão, no entanto, foi reformada pela 1ª Turma do Tribunal. Conforme o relator do processo, desembargador Tarcísio Valente, para que a alimentação fornecida pelo empregador configure salário, são necessários dois requisitos: a habitualidade e a gratuidade. Assim, se o benefício for oferecido eventualmente ou se for descontada uma contrapartida no holerite, a parcela não será considerada salário in natura.

Segundo o desembargador, mesmo que ínfimo o valor do desconto, a cobrança é suficiente para demonstrar a participação do trabalhador no custeio, o que afasta a natureza salarial da parcela, conforme entendimento do Tribunal Superior do Trabalho. “A interpretação da doutrina conduz à conclusão de que acaso se verifique desconto no salário do empregado o referido valor não tem natureza salarial”, explicou.

Por fim, o relator ressalta que, embora a decisão não tenha sido proferida com base neste fundamento, com a entrada em vigor da Reforma Trabalhista em novembro de 2017, a alimentação recebida pelo trabalhador deixou de ser considerada salário, ou seja, não integra mais a base de cálculo para a percepção de outras verbas trabalhistas, de acordo com o art. 457, § 2º. da CLT. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quinta, 17 de maio de 2018

13:59 - Juíza mantém válida eleição do Sincofarma, que havia sido anulada pela Fecomércio

11:45 - Trabalhadora perde direito à estabilidade por não avisar que estava grávida

Quarta, 16 de maio de 2018

13:32 - Itaú é condenado a pagar tempo gasto por trabalhador em treinamentos fora do expediente

Domingo, 13 de maio de 2018

11:34 - TRT condena frigorífico a pagar danos futuros a trabalhadora com depressão

11:19 - Cozinheira demitida na gravidez consegue estabilidade após ação

Terça, 08 de maio de 2018

14:08 - Edital do TRT convoca entidades para receber recursos oriundos de condenações

13:56 - Prefeitura de VG assina acordo para melhorar condições de trabalho no Pronto Socorro

Segunda, 07 de maio de 2018

11:30 - Um acidente de trabalho é registrado a cada 52 minutos em Mato Grosso

Sexta, 04 de maio de 2018

15:33 - Assaí Atacadista é condenado por perseguir, humilhar e xingar funcionários

Quinta, 03 de maio de 2018

13:39 - MPT ajuíza ação contra Atacadão por alvará do Corpo de Bombeiros vencido


// leia também

Segunda, 21 de maio de 2018

18:10 - Juíza Selma considera suspensão de escolta 'desproporcional' e vai recorrer

16:03 - Juíza Selma quebra protocolo e perde direito a escolta

15:17 - MP descobre núcleo que ajudava lavar dinheiro desviado do Detran - veja nomes

14:15 - Dodge pede que Luiz Fux remeta inquérito de Blairo e Sérgio Ricardo para o STJ

10:46 - Servidor que alegou trabalho infantil tem estabilidade anulada na ALMT

10:11 - Justiça retoma audiência sigilosa por fraudes de R$ 65 milhões em ICMS

09:40 - Fachin precisa decidir se investigação contra Blairo vai para 1ª instância

07:58 - Tribunal redistribui ação da Bereré para desembargador Zuquim

07:45 - STF manda para Mato Grosso investigação criminal contra Sachetti

Domingo, 20 de maio de 2018

14:02 - Delação de Alan Malouf é homologada no STF e deve complicar Taques


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 21/05/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 21/05/2018
D1f041d7a04ba04c4ffc9a628f06da54 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Projeto reconhece como família união entre pessoas independente do gênero




Logo_classifacil









Loja Virtual