Cinco municípios do Araguaia terão que adotar plano de saneamento básico | Gazeta Digital

Sábado, 03 de fevereiro de 2018, 13h40

Cinco municípios do Araguaia terão que adotar plano de saneamento básico

Andréia Medeiros, repórter do MPE


A inexistência do Plano Municipal de Saneamento Básico na região do Vale do Araguaia levou o Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 1ª Promotoria de Justiça Cível de Barra do Garças, a firmar termo de ajustamento de conduta com os gestores de Araguaiana, Torixoréu, Pontal do Araguaia, General Carneiro e Ribeirãozinho. Eles se comprometeram em elaborar no prazo de um ano, a Política Municipal de Saneamento Básico e o Plano Municipal de Saneamento Básico, devendo ainda instituir o Comitê Executivo e de Coordenação que vão acompanhar o trâmite dos trabalhos.

Divulgação

O ‘Comitê Executivo’ deverá ser responsável pela operacionalização do processo de elaboração do Plano, o qual deterá as atribuições de executar ou acompanhar todas as atividades e etapas previstas para a elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico, bem como, em conjunto com a equipe técnica, entregar todos os produtos previstos ao Comitê de Coordenação para aprovação e encaminhamento à Fundação Nacional de Saúde.

Já o ‘Comitê de Coordenação’ consiste na instância consultiva e deliberativa destinada a garantir a participação das comunidades, movimentos e entidades da sociedade, o qual deterá as atribuições de discutir, avaliar e aprovar o trabalho produzido pelo Comitê Executivo, criticar e sugerir alternativas, buscando promover a integração das ações de saneamento, inclusive do ponto de vista de viabilidade técnica, operacional, financeira e ambiental.

No prazo estipulado para a elaboração do documento, 5 etapas deverão ser cumpridas: plano de mobilização social; diagnóstico técnico-participativo; metas de curto, médio e longo prazos, com o objetivo de alcançar o acesso universal aos serviços; programas, projetos e ações, incluindo as ações de emergência e de contingência; mecanismos e procedimentos para monitoramento e avaliação da eficiência, efetividade, eficácia e impacto do Plano Municipal de Saneamento Básico, além da criação de sistema de informações municipal de saneamento básico, o qual deverá ser compatível com o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

Aos cinco municípios ficou acordado que o plano de saneamento básico deverá ser revisto periodicamente, em prazo não superior a 4 anos. O descumprimento de quaisquer das obrigações assumidas incidirá multa cominatória, no montante de R$ 10 mil aos compromitentes. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Sábado, 24 de fevereiro de 2018

15:20 - TJ autoriza entrada de crianças e adolescentes com jogadores no Fla-Flu

13:48 - TAM é condenada a indenizar funcionário obrigado a transportar valores sem segurança

13:41 - TRT anula multa aplicada a empresa que não preenchia cota de deficientes

09:45 - Governo de MT paga dívida e STF descarta intervenção no Estado

07:29 - Ministro manda PF periciar documentos apreendidos na empreiteira da família Avalone

Sexta, 23 de fevereiro de 2018

13:32 - Assembleia que afastou presidente da Fecomércio é anulada pela Justiça

10:30 - Gaeco e Defaz começam interrogar 240 testemunhas sobre desvios no Detran

07:59 - João Emanuel vai ao Supremo para afastar juíza Selma

07:35 - STF autoriza investigação contra Bezerra por suspeita de fraude em licitação

Quinta, 22 de fevereiro de 2018

17:04 - Raquel Dodge pede a junção das delações de Silval e familiares


 veja mais
Cuiabá, Sábado, 24/02/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Sábado, 24/02/2018
116961967de356eee6ddd02c7d0c8fb3 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Lei municipal permite que ruas sem saída em Cuiabá sejam fechadas por moradores




Logo_classifacil









Loja Virtual