Recurso de Blairo Maggi contra bloqueio de R$ 4 milhões sobe para o STJ | Gazeta Digital

Quarta, 07 de fevereiro de 2018, 14h23

compra de vaga no tce

Recurso de Blairo Maggi contra bloqueio de R$ 4 milhões sobe para o STJ

Celly Silva e Welington Sabino, do GD


Divulgação

Blairo Maggi é ré réu na ação por improbidade relativa à suposta compra de vaga no TCE-MT

A vice-presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), desembargadora Marilsen Andrade Addario, acatou e deu seguimento a um recurso especial impetrado pelo ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP) para que suba ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ele questiona um acórdão proferido pela 1ª Câmara de Direito Público e Coletivo que manteve um bloqueio de R$ 4 milhões em suas contas determinado numa ação por improbidade que resultou no afastamento do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), Sérgio Ricardo, acusado de ter comprado a vaga na Corte de Contas.

Na prática, Blairo que é processado numa ação civil pública juntamente com outros 8 réus, agora terá seu recurso apreciado pelo Superior Tribunal de Justiça, que vai decidir se reforma ou não a decisão do colegiado do Tribunal de Justiça de Mato Grosso que manteve o bloqueio milionário determinado pelo juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior, da Vara Especializada Ação Civil Pública e Ação Popular de Cuiabá em janeiro de 2017. A decisão da magistrada foi proferida na última segunda-feira (5).

Ex-governador de Mato Grosso por dois mandatos, Blairo Maggi é apontado nos autos como ‘avalista’ dos empréstimos irregulares efetuados pelo então secretário de Fazenda, Eder Moraes, junto ao empresário Gércio Marcelino Mendonça Júnior, o Júnior Mendonça, à época em que era governador do Estado. Ou seja, o Ministério Público o acusa de ter dado aval para empréstimo dos R$ 4 milhões supostamente utilizados para pagar a compra da vaga no TCE. O MP argumenta que para pagar os empréstimos foram utilizados dinheiro público desviados dos cofres do Estado.

Ascom TJMT

Desembargadora Marilsen Andrade

Consta nos autos que a defesa de Maggi interpôs agravo de instrumento, com pedido de liminar, contra a decisão proferida pelo juiz Luís Aparecido Bortolussi Júnior que recebeu a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE) e determinou, em caráter liminar, a indisponibilidade de bens até R$ 4 milhões contra Blairo e outros réus.

São eles: os ex-conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Alencar Soares Filho e Humberto Bosaipo, o ex-secretário de Estado de Fazenda Eder Moraes, o ex-deputado José Riva e o empresário Júnior  Mendonça. 

Em julho do ano passado, Blairo impetrou com agravo interno contra decisão do desembargador Márcio Vidal, que na condição de substituto legal, determinou a redistribuição dos autos ao desembargador Luiz Carlos da Costa, por entender ser este prevento para julgar o caso.

Na época, Blairo também pediu a suspeição tanto do juiz Aparecido Bortolussi e, posteriormente, do desembargador Luiz Carlos da Costa.

Leia também - Blairo Maggi pede suspeição de desembargador por pré-condenação

No recurso especial, o ministro da Agricultura aponta violação do Código de Processo Civil e questiona se o fim da convocação de juiz cooperador, uma vez transitado em julgado o processo no qual atuou, faz cessar a prevenção e também se a posterior distribuição de outros agravos de instrumento a outro órgão colegiado, sob relatoria de outro magistrado finaliza à prevenção dos primeiros juízes.

O questionamento se deu porque no acórdão que ele tenta derrubar, ficou demonstrado que “cessada a vinculação de Juiz Cooperador em razão de sua desconvocação da Câmara de Julgamento, bem como pelo julgamento definitivo do recurso, impõe-se a distribuição normal dos processos, sob pena de flagrante e inadmissível violação à regra constitucional do juiz natural”. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 15 de maio de 2018

09:02 - Maggi recorre para que PGR arquive processo por compra de vaga

Segunda, 14 de maio de 2018

19:10 - Vice-presidente do TJ nega retorno de Sérgio Ricardo

Sexta, 04 de maio de 2018

19:13 - Blairo Maggi reforça defesa e permanece no Mapa

Quarta, 02 de maio de 2018

17:11 - Blairo Maggi aponta 'violência' em nova denúncia do MPF

13:38 - PGR denuncia Blairo Maggi e Sérgio Ricardo por compra de vaga no TCE

Terça, 14 de novembro de 2017

20:48 - TJ nega pedido de Blairo Maggi para afastar juiz

Quarta, 02 de agosto de 2017

11:37 - Por compra de vaga, Riva segue com as contas bloqueadas em R$ 4 mi

Terça, 01 de agosto de 2017

15:12 - Ministra do STF manda Procuradoria e TCE se manifestarem em 3 dias

Quinta, 27 de julho de 2017

18:36 - TCE tenta anular no STF o afastamento de conselheiro

Quarta, 26 de julho de 2017

12:20 - Sérgio Ricardo acusa conselheiro substituto de manobra para 'tomar' vaga


// leia também

Quarta, 23 de maio de 2018

14:11 - Mulher que se feriu em ônibus deverá receber DPVAT

12:15 - Justiça anula estabilidade de servidora efetivada sem concurso

11:30 - Empresa de transportes é condenada por jornada exaustiva de motoristas

10:07 - Justiça condena grupo em R$ 2,2 milhões por irregularidades em hidrelétrica

08:55 - Ministério Público é contra revogação de prisões da Bereré

08:39 - Silval está inconformado com pena de 14 anos de prisão e apela de condenação

08:14 - Ex-assessora de Selma Arruda confirma prioridade em 'processos midiáticos'

07:42 - Juiz nega pedido do MPE para prender João Arcanjo até 2027

Terça, 22 de maio de 2018

17:56 - OAB consegue liminar que impede transferências irregulares de presos

17:35 - MP notifica Prefeitura para comprovar matrícula de 736 crianças em creches


 veja mais
Cuiabá, Quarta, 23/05/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 23/05/2018
C00a5c77f5135796e2f638a16979bea8 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Alta no preço dos combustíveis vem pesando no bolso dos brasileiros




Logo_classifacil









Loja Virtual