Delator de esquema do Detran pode ir para cadeia, diz procurador | Gazeta Digital

Segunda, 05 de março de 2018, 17h54

Política de MT

Delator de esquema do Detran pode ir para cadeia, diz procurador

Karine Miranda, repórter do GD


O procurador-geral de Justiça Mauro Curvo afirmou que é possível que a delação premiada feita pelo ex-presidente do Departamento de Trânsito (Detran), Teodoro Moreira Lopes, conhecido como Doia, seja anulada em razão de possíveis omissões dos fatos narrados. Com isso, o delator pode parar na cadeia.

A delação foi utilizada como base para a Operação Bereré, executada pelo Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e a Delegacia Fazendária (Defaz), no último dia 19, para apurar a existência de uma suposta organização criminosa que atuava junto ao Detran, para desvios de recursos.

Leia mais - Gaeco deflagra operação contra fraudes no Detran; deputados são alvos - fotos e vídeo

Otmar de Oliveira

O Procurador Geral de Justiça, Mauro Curvo, 

“Se ficar comprovado, que omitiu os fatos ou se ficar comprovado que ele quis proteger alguém não narrando tudo aquilo que ele sabe, e ficar comprovado que ele atuou na colaboração com reserva mental, que seria a expressão, qualquer pessoa poderia vir a pedir o beneficio”, disse o procurador.

A possibilidade de omissão veio à tona na última semana, quando um empresário, que foi alvo da operação, teria entregue documentos que comprovariam que o ex-presidente não delatou alguns fatos criminosos que também teriam ocorrido no Detran.

Na delação, Doia narrou a existência de um esquema envolvendo a empresa EIG Mercados, contratada para fazer serviços de registro, cadastro, informatização e certificação de documentos de veículos. Entre os envolvidos estão os deputados Mauro Savi e Eduardo Botelho, o ex-deputado federal Pedro Henry, além de servidores, particulares e a própria empresa.

Leia mais - Savi e Botelho são apontados como líderes de organização criminosa por delator

O esquema teria desviado aproximadamente R$ 27,7 milhões dos cofres públicos. O procurador afirmou ainda que não tem conhecimento se, de fato, a delação seja parcial. Contudo, garantiu que, independentemente de haver omissão, as informações repassadas continuam válidas. Apenas o benefício é rescindido.

“Não conheço o caso dele, pois está em sigilo a delação, mas qualquer colaborador está passível de ter a colaboração rescindida”, assegurou.

Além da delação de Doia, as delações do ex-governador Silval Barbosa e do irmão dele, Antônio Barbosa, contribuíram para desbaratar todo o esquema.
 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sexta, 22 de junho de 2018

16:25 - Pressionados, procuradores ingressam com 4º pedido por liberdade de Savi

Quinta, 21 de junho de 2018

10:18 - STJ nega liberdade a empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré

Quarta, 20 de junho de 2018

09:17 - Ministra cita criação artificial de provas para manter Paulo Taques preso

Terça, 19 de junho de 2018

13:20 - Ministra não reconhece legitimidade da AL para interceder por Mauro Savi

Segunda, 18 de junho de 2018

09:30 - Mauro Savi completa 40 dias na cadeia

Sexta, 15 de junho de 2018

16:03 - Ministra do STJ nega mais um pedido de liberdade ao deputado Mauro Savi

10:38 - Ministra do STJ mantém prisão do ex-secretário Paulo Taques

08:05 - Assembleia suprime instância para tentar soltar deputado Mauro Savi

07:41 - Irmãos Taques pedem que ministra reavalie necessidade de prisões

Quinta, 14 de junho de 2018

17:29 - Tribunal de Justiça nega recurso e mantém prisão de Mauro Savi


// leia também

Domingo, 24 de junho de 2018

08:00 - Silval diz que relatórios do TCE na Copa foram usados para chantagem - veja vídeo

Sábado, 23 de junho de 2018

08:20 - Ex-deputado nega propina, mas não explica dinheiro que recebeu e guardou em pasta

Sexta, 22 de junho de 2018

16:52 - Família de servidor dado como 'morto' se revolta e quer processar o MP

12:00 - Após anunciar desistência, conselheiro tenta liberar aposentadoria

10:55 - Ministério Público investiga pagamentos a servidor morto há 28 anos

07:35 - Índias suspeitas de enterrar bebê vivo vão usar tornozeleiras

Quinta, 21 de junho de 2018

07:14 - Juiz da 7ª Vara fica com ação contra Maggi por compra de vaga no TCE

Quarta, 20 de junho de 2018

18:14 - TJ nega liberdade a acusado de desviar R$ 23 milhões de cooperativa

16:55 - Eder Moraes tacha delação de Silval como 'sorrateira' e forjada com aliado

13:39 - Juiz nega pedido para João Arcanjo visitar shopping


 veja mais
Cuiabá, Domingo, 24/06/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Domingo, 24/06/2018
264aa11e3277d28a72d32c9ea77980c2 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Qual sua opinião sobre o comportamento dos brasileiros fora do Brasil?




Logo_classifacil









Loja Virtual