Odebrecht diz que pagou R$ 900 mil em propina no governo de Maggi -Veja vídeo | Gazeta Digital

Sexta, 14 de abril de 2017, 12h40

LAVA JATO

Odebrecht diz que pagou R$ 900 mil em propina no governo de Maggi -Veja vídeo

Keka Werneck, repórter do GD


 Vídeo mostra trecho da delação do diretor da Odebrecht, João Antônio Pacífico Ferreira, em que confirma propinas pagas a agentes públicos de Mato Grosso na ocasião do então governo do atual ministro Blairo Maggi (PP) na ordem de R$ 900 mil entre 2006 e 2007.

Agencia Brasil

Pagamentos remontam governo Maggi

Os agentes públicos beneficiados, conforme o empresário da Odebrecht, foram o ex-secretário de Fazenda, Edmilson José dos Santos, à época secretário adjunto do Tesouro Estadual, cujo condinome era "cofrinho", o ex-procurador-geral do Estado, João Virgílio Nascimento Sobrinho, "Careca", e o procurador aposentado Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, o “Chico Lima”, chamado pelo esquema de "Manhoso".

Otmar de Oliveira

Procurador aposentado Chico Lima é citado

Os três receberam cada um deles R$ 330 mil, além de um agente público do Mato Grosso do Sul, José Miguel Milé, cujo codinome era "Palha", que ficou com R$ 83.500 mil em 2006.

A Gazeta

Delação aponta também João Virgílio

Na ocasião, Ferreira respondia pela empresa CNO, do grupo Odebrecht, que atuava em Mato Grosso, além da CDPO, que atuava em Mato Grosso do Sul. Na delação, ele informa que designou o engenheiro Pedro Leão para verificar pendências dessas empresas com governos desses dois estados. O empresário diz que Leão o referendou que havia pendência da União com ambos, referentes a aposentadorias da ocasião de separação do Estado. Ficou acertado que se a União repassasse esses créditos poderiam, na sequência, repassar também pendências com a Odebrecht, quanto às obras da MT-010 e da MS-030.

Para analisar o caso, foi formada comissão especial, com agentes públicos dos dois estados e a União. A Odebrecht diz não ter interferido na composição. "Mas houve pagamento de propina no sentido de que fossem incentivados a fazer esse trabalho, que foi feito com muita dedicação", revela o empresário.

Sendo assim, o quanto antes fosse levantado quais eram esses valores pendentes, mais rápido seria feito o encontro de contas com a União, que repassaria os débitos e a Odebrecht também receberia o quer era devido.

Confira a parte da delação em que João Antônio Ferreira conta como o esquema ocorreu.

 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 12 de dezembro de 2017

11:37 - Odebrecht muda política para separar família e gestão

11:29 - Moro estende perícia a sistema de propina da Odebrecht revelado pela Suíça

11:28 - Relator da CPMI da JBS pede indiciamento de Janot e Pelella por três crimes

07:57 - Marqueteiros falam em R$ 20 milhões de caixa dois a Haddad

Segunda, 11 de dezembro de 2017

12:04 - Picciani admite ter vendido gado para empresa suspeita de caixa 2

08:36 - Operação da Polícia Federal investiga esquema de propina em créditos tributários

Quinta, 07 de dezembro de 2017

08:48 - Futuro da investigação da Lava Jato está em jogo, diz delegado da PF

Quarta, 06 de dezembro de 2017

08:54 - Mãe de Geddel e Lúcio teria papel ativo na lavagem de dinheiro

Terça, 05 de dezembro de 2017

11:36 - Tribunal de 2ª instância de Lava Jato mantém bloqueio de ativos de Bendine

08:23 - Relator dá celeridade a recurso de Lula no TRF-4


// leia também

Terça, 12 de dezembro de 2017

19:32 - Vereadores de Cuiabá concedem 13º salário para si mesmos

19:02 - Deputados aprovam orçamento de R$ 20,3 bilhões para o Estado

16:50 - TCE dá 15 dias para Emanuel explicar falta de pagamento à empresa

16:01 - Comissão no Senado aprova liberação de quase R$ 500 mi do FEX para MT

14:04 - Recriação da SEC 300 é aprovada na Câmara

10:49 - Vereador quer cancelar interrogatório de prefeito na CPI do Paletó

10:29 - PSOL lança pré-candidatura de índio Kayapó a deputado estadual

10:08 - Câmara recontrata mais 2 servidores por gabinete neste fim de ano

Segunda, 11 de dezembro de 2017

18:30 - Ex-prefeito ainda espera por explicação de Emanuel Pinheiro

11:08 - Eder Moraes diz que falta gestão e competência ao governo Taques


 veja mais
Cuiabá, Quarta, 13/12/2017
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 13/12/2017
4d4ff3f31814f4dd069405738f837313 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

MPE deu prazo para a Prefeitura de Cuiabá arborizar e dar acessibilidade a praças e avenidas




Logo_classifacil









Loja Virtual