Defesa de Chico Lima refuta delação da Odebrecht | Gazeta Digital

Quinta, 20 de abril de 2017, 17h47

'MANHOSO'

Defesa de Chico Lima refuta delação da Odebrecht

Celly Silva e Welington Sabino, repórteres do GD


Após ter seu nome citado na operação Lava Jato pelo ex-executivo da Construtora Norberto Odebrecht (CNO), João Antônio Pacífico, como recebedor de R$ 330 mil em propina para conseguir junto à União recursos necessários para quitação de dívida do Estado com a empresa, a defesa do ex-procurador do Estado Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, o Chico Lima, contestou a citação.

Otmar de Oliveira

Ex-procurador também responde a processos criminais nas operações Sodoma e Seven

“Não ocorreu citação do Chico Lima, do ponto de vista processual formal. Houve o anúncio de uma situação que, obviamente, tem que ser investigada . Está meramente aberta a fase de investigação”, disse o advogado João Cunha à imprensa, na tarde desta quinta-feira (20).

Cunha ainda levantou suspeita sobre a delação premiada do delator ao Ministério Público Federal (MPF), que pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, a abertura de inquérito contra o ministro da Agricultura e ex-governador de Mato Grosso, Blairro Maggi (PP), cuja segunda gestão seria a época em que os fatos apurados teriam ocorrido.

“Tem que ter o termo de homologação, tem que ter o áudio dessa oitiva. Se a oitiva do Pacífico é aquilo que a TV apresentou, certamente é ato nulo. (...) Todo delator tem que apresentar provas do que fala e não pode mentir. O delator, além de fazer prova do que afirma, tem que fazer prova - ou documental ou prova efetiva - de que dinheiro tivera realmente sido repassado, coisa que eu ignoro” afirmou.

No vídeo vazado da delação de João Pacífico, ele relata que a quantia de R$ 330 mil teria sido paga não só a Chico Lima, apelidado de “Manhoso”, mas também ao ex-procurador-geral do Estado João Virgílio Sobrinho, que recebeu o codinome “Careca” e ao então secretário-adjunto do Tesouro estadual Edmilson José dos Santos, que tinha o apelido de “Cofrinho” nas planilhas de propina da Odebrecht.

Os três teriam participado do processo para garantir, junto ao governo federal, recursos provenientes de previdência de servidores remanescentes da divisão de Mato Grosso, mas que também seriam usados para pagar uma dívida deixada por gestões anteriores com a empreiteira, que fez obras na MT-010. 

João Vieira

João Cunha, advogado de Chico Lima

O advogado ainda registrou que seu cliente ainda não teve a oportunidade de se defender nos autos. “Até o presente momento, a defesa não foi de nenhuma maneira oficialmente instada a se manifestar nessa apuração específica, onde uma delação de João Pacífico assegurou uma série de fatos”.

Questionado sobre a reação de Chico Lima após ser novamente vinculado a escândalo de corrupção (ele já é processado nas operações Sodoma e Seven – que apuram desvio de dinheiro público na gestão de Silval Barbosa), João Cunha disse que ainda não tratou do assunto com o procurador aposentado.

“Nós não tivemos oportunidade de conversar pessoalmente porque ontem, ele que é idoso e diabético, foi trazido erroneamente às dependências do fórum. Em razão de que eu estive, em sentido contrário, a procurá-lo no CCC e tivera sido impossível o nosso encontro”, explicou.
 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quarta, 21 de fevereiro de 2018

11:49 - Solto na madrugada, Wesley Batista aguarda colocação de tornozeleira eletrônica

08:20 - Wesley Batista deixa carceragem da Polícia Federal em São Paulo

Terça, 20 de fevereiro de 2018

20:12 - STJ manda soltar os irmãos e delatores Wesley e Joesley Batista

11:53 - Comandante da Marinha diz que Lava Jato não atrasou construção de submarinos

Domingo, 18 de fevereiro de 2018

14:00 - Primo de Aécio é acusado de violar uso de tornozeleira

Quinta, 15 de fevereiro de 2018

10:56 - Lula pede suspensão de perícia sobre sistema de propina da Odebrecht

Quarta, 14 de fevereiro de 2018

12:25 - Ministro do STF prorroga prazo de inquérito contra Blairo Maggi

Segunda, 12 de fevereiro de 2018

18:34 - Preso desde abril de 2015, Vaccari recorre ao Supremo

08:22 - Marcelo Odebrecht entrega nota de pagamento a filme sobre Lula

Sábado, 10 de fevereiro de 2018

14:30 - Caso de irmão de Dirceu levou quase 5 meses entre o veredicto no TRF e a prisão


// leia também

Quarta, 21 de fevereiro de 2018

19:12 - Dilemário quer acareação entre Silvio e Alan Zanatta na CPI do Paletó

15:44 - Deputados se dividem em três blocos na Assembleia Legislativa

14:23 - Antônio Joaquim prorroga decisão sobre candidatura

09:38 - Ex-secretário Alan Zanata diz que gravou delator para se proteger

Terça, 20 de fevereiro de 2018

17:45 - Botelho diz que sabia de fraude e admite que errou ao manter contrato no Detran

17:07 - Executiva do PDT indica Viana como pré-candidato; deputado torce por Mendes

15:48 - Savi diz que 'não tem medo do MP' e permanece à frente da CPI

11:36 - Vereador pede que depoimento de Sílvio em CPI seja enviado ao MPF

11:05 - Estado quer trocar dívida de banco americano com Banco Mundial

09:46 - Blairo Maggi deve recuar de disputa no Senado e deixar a política


 veja mais
Cuiabá, Quarta, 21/02/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 21/02/2018
8f70e213f4be8d228fc2aa2916150244 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Preço da gasolina em MT custa o triplo do preço da refinaria




Logo_classifacil









Loja Virtual