Trens, trilhos e outros equipamentos do VLT ficarão com o Estado | Gazeta Digital

Quarta, 06 de dezembro de 2017, 08h04

política de MT

Trens, trilhos e outros equipamentos do VLT ficarão com o Estado

Gláucio Nogueira, repórter de A Gazeta


Os trens, trilhos e equipamentos para sinalização e operação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) pretencem ao Estado de Mato Grosso. O material, a exemplo de todo e qualquer componente já pago pela gestão estadual, será usado pela nova empresa a ser contratada para a conclusão das obras de implantação do metrô de superfície.

Arquivo/GD

Nesta terça-feira (5), foi publicado o ato de rescisão unilateral do contrato, estimado inicialmente em R$ 1,4 bilhão, por supostas irregularidades cometidas pelo Consórcio VLT, contratado na gestão do ex-governador Silval Barbosa. O consórcio ainda não foi notificado oficialmente do rompimento.

De acordo com o procurador Carlos Perlin, tudo aquilo pelo qual o Estado já pagou, como por exemplo as 40 composições e todo o chamado material rodante, não pertencem mais ao consórcio construtor.

“Vão surgir algumas questões neste sentido, como, por exemplo, qual a situação do que está parcialmente concluído. Para delimitar bem esta questão, o parecer e a rescisão determinaram que fosse feita a medição rescisória. Ela é a última medição que vai aferir o que está feito, o que não está, quanto foi cumprido de cada etapa. Mas o que está pronto, até porque já foi pago, pertence ao Estado de Mato Grosso”.

O trabalho de medição de toda a obra, segundo Perlin, será executado por técnicos da Secretaria de Estado de Cidades (Secid), pasta que havia assumido a condução do contrato com o Consórcio VLT. “A gente estima que demore entre um a dois meses para a conclusão deste trabalho, por conta da complexidade da obra, do tamanho dela”.

Uma situação curiosa que poderá surgir, mesmo após a retomada das obras, é a possibilidade de contratação de uma das empresas que fazem parte do consórcio, a espanhola CAF, responsável pela montagem dos veículos e desenvolvimento do sistema de operação.

“A CAF é a fabricante do trem e só ela tem a expertise para tocar. Pode ser que, futuramente, em uma fase anterior à operação, seja necessário contratar a CAF para fazer a manutenção dos trens, uma vez que, como fabricante, só ela teria este conhecimento técnico”.

Outra questão a ser enfrentada trata dos valores a serem pagos ou recebidos pelo Estado, por conta das três medições que não foram quitadas desde 2014 e das indenizações que ainda estão sob análise. Conforme Perlin, quatro pontos impactam estes custos. “O primeiro deles é a multa, de R$ 147 milhões, o equivalente a 10% do total do contrato”.

Um outro ponto trata de alterações de cláusulas do contrato em relação ao que previa o edital. Em apenas uma delas, o consórcio teria obtido, segundo o procurador, um ganho de R$ 11,5 milhões. “O edital previa que o consórcio ressarcisse o Estado dos ganhos que poderiam ser auferidos nos adiantamentos e isso foi excluído no contrato”.

Já o terceiro fator trata do orçamento-base, elaborado pelo Estado quando fez a contratação do consórcio. Por fim, terá impacto nos valores, o débito que o governo tem com o consórcio, tanto de medições quanto de atualizações, como a variação cambial dos materiais importados. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Segunda, 11 de junho de 2018

13:15 - Silval depõe na Justiça Federal e nega fraudes na licitação do VLT - veja vídeo

Quarta, 06 de junho de 2018

15:00 - Silval sugere que Taques seja processado por atrasos em obras - veja vídeo

Quinta, 08 de março de 2018

09:05 - Tribunal de Contas da União determina auditoria no contrato do VLT

Terça, 06 de março de 2018

11:39 - Silval Barbosa e Maurício Guimarães depõem sobre fraudes no VLT

Quinta, 01 de março de 2018

15:33 - CGE intima empresas citadas por Silval Barbosa em fraudes e propina do VLT

Segunda, 26 de fevereiro de 2018

08:40 - Silval desiste de Maluf e Sérgio Ricardo como defesa em ação de R$ 148 mi

Sexta, 09 de fevereiro de 2018

11:30 - Em meio à briga judicial, Estado vai retomar edital para concluir o VLT

Terça, 06 de fevereiro de 2018

15:53 - Governo mantém rescisão unilateral com o Consórcio VLT

Quinta, 25 de janeiro de 2018

14:04 - Decisão do TJ não muda situação do empacado VLT

Terça, 23 de janeiro de 2018

13:06 - Desembargadora anula rescisão de contrato entre Estado e Consórcio VLT


// leia também

Segunda, 18 de junho de 2018

13:30 - Selma Arruda ganha escolta de empresa de segurança privada

07:22 - Leitão corre atrás de assinaturas para diminuir deputados e senadores

07:15 - Emanuel quer base unida para eleição da Mesa Diretora na Câmara

Domingo, 17 de junho de 2018

08:58 - Pré-candidata Margareth Buzetti não se apega a cargo e quer destravar economia - vídeo

Sábado, 16 de junho de 2018

15:15 - Gustavo de Oliveira descumpre estatuto da FIEMT e pode sofrer impugnação

11:17 - Ex-reitora da UFMT admite dificuldade na disputa ao Senado

10:51 - Vereador propõe que cargo de chefia só pode ser exercido por servidor efetivo

08:00 - Emanuel avalia que pré-candidatura de Mauro Mendes não muda cenário

Sexta, 15 de junho de 2018

14:36 - Apenas duas empresas se interessam por licitação de R$ 11 bilhões

13:14 - Governo destinará 20% do Fundo da Saúde aos hospitais filantrópicos


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 18/06/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 18/06/2018
4e47432e5d7c10f8cc440c97a233c10f anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Reino Unido firma pacto com empresas para reduzir uso de plástico e poluição




Logo_classifacil









Loja Virtual