Trens, trilhos e outros equipamentos do VLT ficarão com o Estado | Gazeta Digital

Quarta, 06 de dezembro de 2017, 08h04

política de MT

Trens, trilhos e outros equipamentos do VLT ficarão com o Estado

Gláucio Nogueira, repórter de A Gazeta


Os trens, trilhos e equipamentos para sinalização e operação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) pretencem ao Estado de Mato Grosso. O material, a exemplo de todo e qualquer componente já pago pela gestão estadual, será usado pela nova empresa a ser contratada para a conclusão das obras de implantação do metrô de superfície.

Arquivo/GD

Nesta terça-feira (5), foi publicado o ato de rescisão unilateral do contrato, estimado inicialmente em R$ 1,4 bilhão, por supostas irregularidades cometidas pelo Consórcio VLT, contratado na gestão do ex-governador Silval Barbosa. O consórcio ainda não foi notificado oficialmente do rompimento.

De acordo com o procurador Carlos Perlin, tudo aquilo pelo qual o Estado já pagou, como por exemplo as 40 composições e todo o chamado material rodante, não pertencem mais ao consórcio construtor.

“Vão surgir algumas questões neste sentido, como, por exemplo, qual a situação do que está parcialmente concluído. Para delimitar bem esta questão, o parecer e a rescisão determinaram que fosse feita a medição rescisória. Ela é a última medição que vai aferir o que está feito, o que não está, quanto foi cumprido de cada etapa. Mas o que está pronto, até porque já foi pago, pertence ao Estado de Mato Grosso”.

O trabalho de medição de toda a obra, segundo Perlin, será executado por técnicos da Secretaria de Estado de Cidades (Secid), pasta que havia assumido a condução do contrato com o Consórcio VLT. “A gente estima que demore entre um a dois meses para a conclusão deste trabalho, por conta da complexidade da obra, do tamanho dela”.

Uma situação curiosa que poderá surgir, mesmo após a retomada das obras, é a possibilidade de contratação de uma das empresas que fazem parte do consórcio, a espanhola CAF, responsável pela montagem dos veículos e desenvolvimento do sistema de operação.

“A CAF é a fabricante do trem e só ela tem a expertise para tocar. Pode ser que, futuramente, em uma fase anterior à operação, seja necessário contratar a CAF para fazer a manutenção dos trens, uma vez que, como fabricante, só ela teria este conhecimento técnico”.

Outra questão a ser enfrentada trata dos valores a serem pagos ou recebidos pelo Estado, por conta das três medições que não foram quitadas desde 2014 e das indenizações que ainda estão sob análise. Conforme Perlin, quatro pontos impactam estes custos. “O primeiro deles é a multa, de R$ 147 milhões, o equivalente a 10% do total do contrato”.

Um outro ponto trata de alterações de cláusulas do contrato em relação ao que previa o edital. Em apenas uma delas, o consórcio teria obtido, segundo o procurador, um ganho de R$ 11,5 milhões. “O edital previa que o consórcio ressarcisse o Estado dos ganhos que poderiam ser auferidos nos adiantamentos e isso foi excluído no contrato”.

Já o terceiro fator trata do orçamento-base, elaborado pelo Estado quando fez a contratação do consórcio. Por fim, terá impacto nos valores, o débito que o governo tem com o consórcio, tanto de medições quanto de atualizações, como a variação cambial dos materiais importados. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quarta, 10 de janeiro de 2018

15:14 - Comissão tem 60 dias para elaborar edital para retomada do VLT

Domingo, 07 de janeiro de 2018

08:35 - Prefeito decide aguardar licitação do VLT, mas ainda fala em plantar palmeiras

Segunda, 04 de dezembro de 2017

23:39 - Estado rompe com o Consórcio VLT e cobra multa de R$ 147 mi

Quarta, 29 de novembro de 2017

18:12 - Governo decide licitar por RDC e lança novo edital do VLT até fevereiro

Segunda, 30 de outubro de 2017

19:17 - MPE aciona prefeito e quer detalhes sobre plantio de palmeiras

Terça, 24 de outubro de 2017

17:51 - Wilson apresenta a Taques as saídas para o VLT

Terça, 17 de outubro de 2017

16:50 - Wilson Santos admite que VLT não ficará pronto nesta gestão

Quinta, 05 de outubro de 2017

09:40 - Após 4 anos de alagamentos, começa obra de drenagem no Viaduto da UFMT

Quarta, 04 de outubro de 2017

18:01 - Interdição da Tancredo Neves é adiada por falta de projeto de sinalização viária

Segunda, 02 de outubro de 2017

15:19 - Governo instaura processo para rescindir o contrato do VLT


// leia também

Quinta, 18 de janeiro de 2018

12:04 - TRE prorroga revisão do eleitorado para 30 de março em Cuiabá, VG e Sinop

11:29 - Aliança não é eterna, diz Garcia sobre Taques

11:09 - Pedro Taques diz estar tranquilo sobre CPI dos Fundos para investigar governo

11:00 - Governador empossa novos titulares da Secretaria de Fazenda e PGE

07:30 - Silval Barbosa afirma não sentir culpa pelo atraso do VLT

Quarta, 17 de janeiro de 2018

19:30 - Pedro Taques avisa que Estado não vai liberar recursos para Carnaval

17:26 - Governador Taques busca liberação de R$ 100 milhões para a saúde

15:30 - Depoimentos de Silval à CGE respingam em 106 empresas e vários servidores

13:28 - Em jantar com presidentes do TJ e AL, Taques promete R$ 40 milhões

10:28 - Escolha de membros da CPI que investigará Taques fica para depois


 veja mais
Cuiabá, Quinta, 18/01/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Quinta, 18/01/2018
9ee939b5a8a4bad7141e63886c5d344b anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O governador Pedro Taques não vai liberar dinheiro para o Carnaval nos municípios. O que você acha disso?




Logo_classifacil









Loja Virtual