Diferença entre preço e valor | Gazeta Digital

Segunda, 20 de novembro de 2017, 00h00

Diferença entre preço e valor

Mário Rodrigues


Existe uma grande confusão entre os significados de valor e preço. São duas coisas completamente distintas no mundo das negociações. Quando se fala em valor de determinado produto, as pessoas imediatamente remetem para o gasto, ou seja, para quanto estão dispostas a desembolsar. E é aí que está o X da questão: dinheiro está relacionado a preço e não a valor. O valor só existirá se o produto ou serviço apresentar algum benefício ao cliente.

Certo dia, ouvi de um cliente que o produto dele era de grande valor, porque permitia isso e aquilo. Quando terminou de falar, eu tive de dizer a ele: "seu produto não tem valor algum". Depois de assustá-lo, expliquei que, na verdade, o produto dele tinha características que poderiam significar potenciais benefícios, mas que esses benefícios teriam que ser percebidos pelos clientes, e não por quem estava vendendo.

Assim, o valor não é próprio do produto, mas é algo dado a esse produto pelo comprador. Para algumas pessoas, esse sentimento é mais forte ou mais necessário que para outras. Alguns pagam, por exemplo, R$ 1.000 em uma garrafa de frisante, pois enxergam os benefícios em desembolsar essa quantia. Apenas quando consegue enxergar esse valor, o cliente terá a sensação de que a aquisição, independentemente do preço, foi um bom negócio.

É nesse momento que o vendedor tem uma enorme importância, já que é papel dele entender e mostrar que as características do produto se conectam às necessidades do comprador, para que ele dê seu valor ao objeto e não tenha o preço como empecilho na hora de escolha. Para isso, ouvir e identificar as necessidades do cliente é fundamental para a venda, pois muitas vezes ele vem com a ideia pronta, quer o produto, porém não o adquire por achar muito caro. Muitas vezes, isso acontece, entre outros fatores, porque as necessidades do cliente não foram identificadas corretamente.

Sendo assim, vendedores e líderes de equipes devem sempre lembrar-se de um caminho muito importante para a concretização do negócio: primeiro, ouçam o comprador, identifiquem suas necessidades, e então as relacionem com as características do produto. Somente assim, o cliente poderá enxergar, de fato, o valor de sua aquisição.

Mário Rodrigues é diretor do Instituto Brasileiro de Vendas (IBVendas) - www.ibvendas.com.br

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Quarta, 25 de abril de 2018

00:00 - Com os pés no futuro

00:00 - Cavalos ou jogadores?

00:00 - Atenção aos ciberataques

00:00 - Uma data memorável

00:00 - Guerra sobre rodas

Terça, 24 de abril de 2018

11:34 - Como se preparar para voltar ao mercado de trabalho?

10:56 - Salgadeira... E agora?

00:00 - Cigarro paraguaio: eixo do crime

00:00 - O Pantanal e os microchips

00:00 - Escolhendo o presidente


 ver todas as notícias
Cuiabá, Quarta, 25/04/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 25/04/2018
72a9403112aff7a049263a318f98e418 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Proposta sugere que presos ainda não condenados tenham prisão substituída por atividades escolares




Logo_classifacil









Loja Virtual