Tabagismo traz muito prejuízo | Gazeta Digital

Quarta, 29 de novembro de 2017, 00h00

Hélcio Corrêa

Tabagismo traz muito prejuízo

Hélcio Corrêa Gomes


A Alemanha nazista, após a descoberta da relação entre cancro no pulmão, doença cardiovascular e tabagismo, realizou entre 1930/1940, uma pioneira e grande campanha antitabagista nacional. Ela tinha os estudos científicos mais avançados do mundo.

A medicina alemã já tratava na década de 30 a nicotina como veneno de grande potencialidade de morbidade e mortalidade. Mas atribuía no ideológico nazista aos judeus o espalhar do fumo no mundo.

Britânicos e norte-americanos redescobrem os danos à saúde causados pelo fumo tão somente a partir da década de 50.

Foi depois da última grande guerra que as indústrias tabagistas distorceram as pesquisas e geraram dúvidas nos malefícios do tabaco.

Além desenvolver marketing forte para tratar os movimentos antitabagistas como fanáticos.

As companhias do tabaco a partir de 1954 até facilitam contrabandos para rebaixarem preços e tributos dos cigarros. E introduzem o fumo alterado e mais viciante no mercado. Hoje é mais fácil qualquer pessoa largar do crack, da cocaína do que do fumo.

Os Estados Unidos, por ordem judicial, iniciaram no último dia 24, enorme campanha publicitária paga pela indústria tabagista para corrigir a histórica propaganda enganosa, que dizia dentre tantas coisas, que o cigarro não era prejudicial ao fumante.

Doravante o público americano estará recebendo informações fidedignas pelos canais de televisão, rádios, internet e jornais. Uma delas salienta que o cigarro atual foi projetado com maior grau de nicotina para criar mais dependência e vício incontrolável.

Ação judicial proposta durante o governo Bill Clinton e transitada em julgado em 2017 acusou as indústrias de conspirarem contra a saúde coletiva ao diluírem falsamente os riscos do hábito de fumar.

O fumo causa muita doença que leva à morte de mais de 400 mil pessoas ao ano nos Estados Unidos, segundo Agência EFE. E quase 160 mil ao ano no Brasil, segundos dados da Fiocruz.

Nenhum outro vício tem índice de mortalidade equiparado ou tão alto quanto ao tabagismo.

Enquanto isto, no Brasil nenhuma medida judicial e de maior impacto prospera, e filiais da Philip Morris, R.J. Reynolds e outras do tabaco são declaradas culpadas por danos diretos e indiretos causados à população.

Aqui nem o argumento tributário nacional tem validade. Afinal, se arrecada anualmente valor menor que R$ 13 bilhões com tabaco. E têm gastos com saúde por causa dele na ordem de R$ 56,9 bilhões ao ano por doenças, incapacidades e mortes precoces, conforme indica o Instituto Nacional do Câncer. Um déficit anual de mais de R$ 43 bilhões ao erário.

Vale ressaltar que somente o SUS registra dispêndios anuais de R$ 39,4 bilhões com tratamentos médicos e custos hospitalares por doenças relacionadas ao tabagismo. O tabagismo significa só despesas na rede de saúde. Idem na previdência e na assistência social.

Não se tem justa razão para se deixar inimputável as indústrias do tabaco operando no Brasil, diante de tantos danos à população e aos cofres públicos.

Hélcio Corrêa Gomes, advogado.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quarta, 21 de fevereiro de 2018

00:00 - Imigração venezuelana da fome

Quarta, 27 de dezembro de 2017

00:00 - Loucura contra os loucos

Quarta, 18 de outubro de 2017

00:30 - Defender a lei a todo custo

Quarta, 04 de outubro de 2017

00:00 - Brasil acolhe refugiados

Quarta, 20 de setembro de 2017

00:00 - Brasil dificulta empreender

Quarta, 13 de setembro de 2017

00:00 - Juventude ao abismo

Quarta, 16 de agosto de 2017

00:00 - Obesidade, problema de saúde pública

Quarta, 02 de agosto de 2017

00:00 - Temer, o protegido

Quarta, 26 de julho de 2017

00:00 - PCC e Hezbollah unidos

Quarta, 19 de julho de 2017

00:00 - Reforma Trabalhista tardia


// leia também

Sexta, 22 de junho de 2018

00:00 - Desligue o piloto automático

00:00 - Envelhecimento, um grande desafio

00:00 - Temer está quebrando o Brasil

00:00 - Trajetória histórica dos Irantxe

00:00 - Dias de luta e dias de festa

Quinta, 21 de junho de 2018

18:22 - A nova era da relação entre médico e paciente

00:00 - Geopolítica em evidência

00:00 - Analfabeto funcional

00:00 - Mudança urgente de gestão

00:00 - Não trabalhe mais


 ver todas as notícias
Cuiabá, Sexta, 22/06/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Sexta, 22/06/2018
Af26a0a03727faf425edeb0c3956f831 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O que os eleitores vão depositar nas urnas em outubro?




Logo_classifacil









Loja Virtual