Diferencial de mercado | Gazeta Digital

Segunda, 12 de fevereiro de 2018, 00h00

Diferencial de mercado

Carolina Amorim


Um dos grandes desafios profissionais da atualidade é estabelecer um diferencial que torne a atividade ou profissão, mais competitiva. Na corrida por estabelecer-se profissionalmente, homens e mulheres buscam todos os dias percorrer caminhos considerados de sucesso, frequentemente, baseados em um padrão externo de profissional de sucesso. Há uma concepção de que ser bom no que se faz é estudar cada vez mais, expandir o currículo, participar de eventos relevantes, percorrer os caminhos do sucesso, seguindo os modelos de "como ser bem-sucedido" na profissão escolhida.

Como que em um consenso, acredita-se ser possível realizar-se, fazendo escolhas baseadas naquilo que a maioria das pessoas faz. Será que é mesmo?

É certo que percorrer caminhos já percorridos por pessoas de destaque é agir com estratégia. Contudo a adoção de um referencial externo, o trabalho para seguir algo feito por outra pessoa, privilegia os talentos e habilidades de outra pessoa e é importante compreender que nem sempre a maioria está certa. Além de uma geração de profissionais "mais do mesmo", a adoção de um modelo externo tem gerado um grande esgotamento nas pessoas. Na ânsia de gerir informação e "ter muito para entregar", muitas pessoas optam por encher seus currículos de cursos, diplomas, estar nos locais mais "explorados", "mais visitados", não porque tudo isso é relevante e sim pela crença de que precisa "seguir a tendência do mercado".

A constante adoção de um modelo a ser seguido, deixando de lado o verdadeiro Eu é um padrão que, infelizmente, afasta talentos e habilidades peculiares em busca da atuação, conforme o que se reconhece externamente como status, sucesso, segurança financeira, dentre outras características da vida profissional.

Os profissionais estão cada vez mais esgotados, sem tempo para filhos, hobbies, a vida tem se baseado na incessante tentativa de acompanhar o ritmo de "todos" os acontecimentos e os profissionais não nutrem um diferencial de mercado, uma marca registrada e exclusiva.

Há um comportamento disseminado na vida profissional que se assemelha a uma maratona, onde os profissionais competem pelos primeiros lugares e elegem tudo como prioridade, tudo é importante, tudo é necessário, o que leva a pessoa a ser rigorosa, cobrar muito de si o desempenho e a infalibilidade. Possuir um diferencial é ter uma característica única, um traço pessoal inimitável, algo que nos distingue de outros profissionais.

Para conquistar esta qualidade, é imprescindível que o modelo de superação, o padrão de desenvolvimento, o caminho a ser percorrido, as metas, objetivos, estejam intimamente ligados ao próprio Eu. Se a meta é sua, os melhores cursos, os melhores horários, a melhor forma de expor o seu conteúdo, os melhores meios de divulgação, a melhor comunicação visual, são os que estiverem conectados com quem você verdadeiramente é.

Comece a prestar atenção nos elogios que recebe ou tente identificar aquilo que as pessoas pedem para você fazer, porque do seu jeito é melhor. Aquilo que você faz de uma forma toda especial, o seu "ser diferente", geralmente está ligado a experiências de vida e habilidades que você desenvolveu. Estas características normalmente são reconhecidas pelas pessoas que a cercam e são declaradas. Pode ser algo que comumente as pessoas a chamem para desempenhar ou que as façam sempre lembrar de você. Será que você mesmo reconhece estes traços?

Percorrer o caminho interno te levará a uma ampliação de consciência e esta sim, te proporcionará diferencial de mercado e satisfação plena, tempo de qualidade e atuação conforme as suas verdadeiras possibilidades. Lembre-se: Concorrer é "fazer junto", portanto, seja o profissional que você quer ser. Utilize o que você já sabe para ir além do que se espera.

Carolina Amorim é Coach de Vida com foco em carreiras e relacionamentos

Contato: coachcarolinaamorim@gmail.com

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Domingo, 17 de junho de 2018

00:00 - Olhar tacanho

00:00 - Carne bovina, um rio de água?

00:00 - Conduções coercitivas

00:00 - O status é inimigo do bem-viver

00:00 - Violência cibernética e real

Sábado, 16 de junho de 2018

00:00 - O vazio de outubro

00:00 - Federalismo traído

00:00 - Saiba se comunicar

00:00 - Uns torcem, outros faturam

00:00 - Um ato de amor


 ver todas as notícias
Cuiabá, Domingo, 17/06/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Domingo, 17/06/2018
06e60112abf039588e79d3613d6ca555 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Canarinho Pistola, mascote da seleção brasileira, foi vetado dos jogos da Copa




Logo_classifacil









Loja Virtual