Ritual do corte de cabelo | Gazeta Digital

Sexta, 23 de fevereiro de 2018, 00h00

Ritual do corte de cabelo

Elias Januário


Entre as várias etnias existentes no Estado de Mato Grosso, os Mebengôkre têm conseguido, ao longo de todo o processo de contato com a sociedade envolvente, manter uma rotina sistemática de realização dos seus rituais tradicionais, práticas culturais que são fundamentais na manutenção da identidade e da cultura desse povo.

A partir de informações obtidas com os anciãos deste povo, tenho a oportunidade de proporcionar a vocês leitores, informações e dados importantes e instigantes relacionado a esses indígenas que vivem na aldeia Kapot, no município de Peixoto de Azevedo.

Na grande maioria dos rituais realizados pelos povos indígenas, a música costuma fazer parte da cerimônia, expressada na forma de cantos, sons de instrumentos como chocalhos, flautas, apitos, tambores, sons feitos com o movimento do corpo como a batida dos pés e das mãos, entre outras formas de produzir sons e musicalidade.

O ritual do corte de cabelo das moças está relacionado com a festa do milho, ou seja, acontece justamente no momento de produção agrícola. Para isso primeiro ocorre o preparo da roça, com a derrubada da mata, queimada, limpeza e plantio das sementes. Quando o milho começa a produzir espigas é o momento de realizar o ritual do corte de cabelo, que de certa forma está relacionado com uma boa produção de espigas.

O ritual também é marcado pela retirada de palhas de buriti que são amarrados no corpo como adorno, enquanto os homens entoam cantos específicos deste ritual tocando os chocalhos. A preparação geralmente atravessa a noite toda até o dia amanhecer. Durante a realização dos cantos as moças que vão cortar os cabelos ficam acompanhadas de suas madrinhas. Terminado o canto os homens retornam para a casa central, onde decidem sobre a caçada e sobre os mais jovens que irão cortar o cabelo das moças.

Após a caçada e o preparo dos alimentos, tem início novamente os cantos cerimoniais acompanhados pelo som dos chocalhos. Em seguida as moças são posicionadas no pátio da aldeia e os rapazes mais jovens é que realizam o corte do cabelo das moças, conforme a tradição. Após o corte do cabelo a alimentação é distribuída entre os presentes e encerra-se assim o ritual do corte de cabelo, esperando uma boa produção nas roças de milho.

Essa tradição tem sido mantida pelos indígenas, tendo grande importância a transmissão dos cantos por meio da oralidade de uma geração para outra, como forma de valorização da língua materna e dos conhecimentos tradicionais que estão sendo transmitido ao longo de gerações.

Elias Januário é educador, antropólogo e historiador, escreve às sextas-feiras em A Gazeta. E-mail: eliasjanuario@terra.com.br

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Sexta, 22 de junho de 2018

00:00 - Desligue o piloto automático

00:00 - Envelhecimento, um grande desafio

00:00 - Temer está quebrando o Brasil

00:00 - Trajetória histórica dos Irantxe

00:00 - Dias de luta e dias de festa

Quinta, 21 de junho de 2018

18:22 - A nova era da relação entre médico e paciente

00:00 - Geopolítica em evidência

00:00 - Analfabeto funcional

00:00 - Mudança urgente de gestão

00:00 - Não trabalhe mais


 ver todas as notícias
Cuiabá, Sexta, 22/06/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Sexta, 22/06/2018
Af26a0a03727faf425edeb0c3956f831 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O que os eleitores vão depositar nas urnas em outubro?




Logo_classifacil









Loja Virtual