Cooperativismo em tempos de retração | Gazeta Digital

Terça, 27 de fevereiro de 2018, 00h00

Cooperativismo em tempos de retração

Aifa Naomi Uehara de Paula


Os números apresentados pelo Sicoob referentes aos resultados de 2017 mostram um movimento diferente no setor financeiro. Durante muito tempo os bancos anunciaram, junto com os altos lucros, um acentuado crescimento em suas redes de atendimento. Isso mudou. Pelo menos no que diz respeito à expansão das agências, o que vem se verificando agora com as cooperativas de crédito.

O Sicoob, por exemplo, que já era a maior instituição financeira cooperativista do país, conseguiu alcançar a quinta posição entre as maiores redes de atendimento. Também chegamos à marca dos 4 milhões de cooperados no Brasil. Enquanto o Sistema expandiu 5,7%, comparado com o ano anterior, as instituições financeiras tradicionais fecharam mais de 1.400 agências. Interessante que várias das agências que abrimos recentemente em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul ocupam imóveis que foram instituições bancárias.

Nosso movimento, seguindo os princípios cooperativistas, tem sido no sentido de nos aproximarmos cada vez mais de nossos associados, que na verdade são nossos sócios, os verdadeiros donos das instituições financeiras. Nas cooperativas a preocupação é em oferecer um atendimento mais humanizado, pessoal, sem abrir mão dos benefícios que as novas tecnologias oferecem. Neste ponto, inclusive, somos pioneiros.

Se trata de estar próximo de nosso associado, de atendê-lo da melhor forma, escutá-lo, fazer com que se sinta em casa mesmo. Afinal, as cooperativas são isso mesmo. Ao visitar uma agência, ele está visitando algo que é seu e, como tal, merece o melhor tratamento possível. Isso é feito tanto no acolhimento como no oferecimento dos mesmos produtos do sistema bancário tradicional com taxas bem menores.

Ao dar aos nossos cooperados melhores condições de negócios, estamos colaborando para que progridam. No cooperativismo a busca é pelo progresso da comunidade, do meio em que se está inserido. Queremos estar sempre próximos de nossos associados e trabalhamos para que ele tenha plena condição de alcançar seus objetivos.

Em tempos de economia retraída e crédito restrito, de falta de esperança numa melhora do mercado, a boa e velha máxima "a união faz a força" mostra ser a mais acertada. A história mostra bem isso. Em alguns dos momentos mais difíceis da humanidade a solução veio, não por acaso, graças à cooperação mútua.

Aifa Naomi Uehara de Paula é presidente do Sicoob Central MT/MS

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Segunda, 18 de junho de 2018

00:00 - Todos contra os canudinhos

00:00 - Organização e burocratização

00:00 - A logística na Copa do Mundo

00:00 - Diversidade não é clichê

00:00 - Pai pobre, filho pobre

Domingo, 17 de junho de 2018

00:00 - Olhar tacanho

00:00 - Carne bovina, um rio de água?

00:00 - Conduções coercitivas

00:00 - O status é inimigo do bem-viver

00:00 - Violência cibernética e real


 ver todas as notícias
Cuiabá, Segunda, 18/06/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 18/06/2018
4e47432e5d7c10f8cc440c97a233c10f anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Reino Unido firma pacto com empresas para reduzir uso de plástico e poluição




Logo_classifacil









Loja Virtual