Brasil vive a marcha da insensatez | Gazeta Digital

Sexta, 02 de março de 2018, 00h00

Brasil vive a marcha da insensatez

Celso Tracco


A marcha da insensatez de Troia ao Vietnã, de Bárbara Tuchman. Neste livro a autora faz uma análise, profunda e brilhante, sobre grandes eventos da humanidade que, pela insensatez dos governos e governados, levaram povos a guerras, destruições e enormes sofrimentos. Sirvo-me deste título para refletir sobre o momento atual de nossa sociedade, que está vivendo um período de calamidades crescentes e pouco, ou nada, faz para mudar um destino que parece cada vez mais sombrio e mais próximo.

Parece estar claro que o maior entrave para o crescimento sustentado do Brasil é seu atual sistema político e isto já é consenso entre alguns políticos conscientes. Para dizer o mínimo, é um sistema anárquico. Começando pela arrecadação de impostos: do total arrecadado, cerca de 57% vai para a união, 25% para os estados e 18% para os municípios. Ora, as pessoas vivem nos municípios e precisam mais de "brasis" do que de Brasília. Dos 5.570 municípios brasileiros, em torno de 65% deles não fecharam suas contas em 2017, a maioria dos estados está com sua situação financeira caótica, o deficit federal só cresce.

Como disse recentemente a ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, "o cidadão está cansado de todos nós", referindo-se a que o povo brasileiro está cansado da ineficiência das instituições governamentais. O que fazer? Bem, parece claro: ou tornamos as instituições eficientes ou acabamos com elas. Manter o status quo não parece ser muito sensato.

Hoje dispomos de uma ferramenta poderosa: a internet, ela é democrática. Como sugestão acesse: www.mudamos.org e conheça seu conteúdo. Baixe o aplicativo em seu celular, é gratuito e permite que qualquer cidadão proponha, participe, assine projeto de iniciativa popular que pode tornar-se lei e transformar nossa realidade caótica. É um instrumento de cidadania.

A sociedade pode e deve participar e não apenas em ano de eleição. Afinal o país que desejamos depende de nós. Exemplo: algumas escolas de samba cariocas demonstraram toda sua indignação com as mazelas governamentais no principal desfile de carnaval do país. Participar é decisivo, ou devemos usar nosso poder apenas para escolher o eliminado em realities shows e se interessar pela atual vida amorosa de um futebolista e uma jovem atriz de novela?

Voltando ao título: a maior insensatez humana é pensar que, fazendo as coisas do jeito que sempre foram feitas, no futuro, conseguiremos resultados melhores que os atuais.

Celso Luiz Tracco é economista e escritor, autor do livro Às Margens do Ipiranga - A esperança em sobreviver numa sociedade desigual.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Sexta, 22 de junho de 2018

00:00 - Desligue o piloto automático

00:00 - Envelhecimento, um grande desafio

00:00 - Temer está quebrando o Brasil

00:00 - Trajetória histórica dos Irantxe

00:00 - Dias de luta e dias de festa

Quinta, 21 de junho de 2018

18:22 - A nova era da relação entre médico e paciente

00:00 - Geopolítica em evidência

00:00 - Analfabeto funcional

00:00 - Mudança urgente de gestão

00:00 - Não trabalhe mais


 ver todas as notícias
Cuiabá, Sexta, 22/06/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Sexta, 22/06/2018
Af26a0a03727faf425edeb0c3956f831 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O que os eleitores vão depositar nas urnas em outubro?




Logo_classifacil









Loja Virtual