Dogmas e o Direito | Gazeta Digital

Terça, 06 de março de 2018, 18h48

Victor Maizman

Dogmas e o Direito

Victor Humberto Maizman


Alguém sustenta que dogma é tudo aquilo que tememos entender ou contestar. 

Na ciência do Direito estamos cercados de conceitos dogmáticos que merecem reflexão.

Realmente um dos dogmas mais comuns é aquele em que a lei não se discute, deve ser cumprida.

Porém, tal enunciado comporta alguns questionamentos.

Pois bem, dentro da nossa sistemática jurídica normativa, a Constituição Federal fixa regras e princípios que prevalecem sobre toda e qualquer lei municipal, estadual e federal.

Aliás, a Constituição Federal tem o papel de no campo tributário determinar quem é que pode instituir tributos e quais os tributos possíveis de serem exigidos. Trata-se do conceito de competência tributária.

Além da regra de competência, a Constituição Federal impõe limites ao Poder Público quanto ao poder de tributar, ou seja, com uma mão autoriza a instituição de tributos e, com a outra, impõe limites.

Um dos vários exemplos dessa limitação é o fato de que resta defeso a administração fiscal exigir tributo de forma retroativa, devendo assim, apenas ser exigido posteriormente a sua instituição.

A mesma regra vale quando há aumento da carga tributária.

Nesse sentido, se o Município, o Estado ou a União instituir através de lei um tributo para ser exigido de forma retroativa, haverá necessariamente violação da respectiva lei frente ao Princípio da Irretroatividade, conforme assegurado na Constituição Federal.

É claro que enquanto não for afastada pelo Poder Judiciário a validade de tal lei inconstitucional, não restará outra solução para o contribuinte, senão, ficar submetido aos efeitos de tal norma.

Assim, uma lei inconstitucional pode não ser cumprida, desde que afastados seus efeitos por ordem judicial, inclusive através de medidas urgentes, uma vez que é pedra de toque em nossa Constituição Federal de que lesão ou ameaça a direito, deve ser sempre tutelada pelo Poder Judiciário, quando assim provocado.

Portanto, se é certo de que a lei deve ser sempre cumprida, não mesmo escorreita é a condição de que a mesma deve estar em consonância com a Constituição Federal.

Victor Humberto Maizman é advogado e consultor jurídico tributário, professor em Direito Tributário, ex-Membro do Conselho de Contribuintes do Estado de Mato Grosso e do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais da Receita Federal/Carf

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 19 de junho de 2018

17:30 - Imposto sobre a morte?

Segunda, 30 de abril de 2018

16:18 - O joio e o trigo

Sexta, 30 de março de 2018

14:14 - Tributar o consumo é fácil!

Quarta, 14 de março de 2018

16:59 - Programa de malefícios fiscais

Terça, 13 de fevereiro de 2018

16:12 - O Carnaval tributário

Quarta, 07 de fevereiro de 2018

13:40 - Na contramão do desenvolvimento

Quarta, 31 de janeiro de 2018

00:00 - Irresponsabilidade do sócio

Quinta, 18 de janeiro de 2018

12:47 - Lei de bloqueio do patrimônio

Segunda, 08 de janeiro de 2018

14:54 - E o Temer vetou

Segunda, 27 de novembro de 2017

15:10 - A taxa judicial


// leia também

Sexta, 22 de junho de 2018

00:00 - Desligue o piloto automático

00:00 - Envelhecimento, um grande desafio

00:00 - Temer está quebrando o Brasil

00:00 - Trajetória histórica dos Irantxe

00:00 - Dias de luta e dias de festa

Quinta, 21 de junho de 2018

18:22 - A nova era da relação entre médico e paciente

00:00 - Geopolítica em evidência

00:00 - Analfabeto funcional

00:00 - Mudança urgente de gestão

00:00 - Não trabalhe mais


 ver todas as notícias
Cuiabá, Sexta, 22/06/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Sexta, 22/06/2018
Af26a0a03727faf425edeb0c3956f831 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O que os eleitores vão depositar nas urnas em outubro?




Logo_classifacil









Loja Virtual