Liderança feminina na empresa | Gazeta Digital

Quarta, 07 de março de 2018, 00h00

Liderança feminina na empresa

Eduardo Shinyashiki


A mulher vem cada vez mais galgando grandes e merecidos espaços no mercado de trabalho. Apesar disso, infelizmente sua presença em cargos de liderança no mundo é de apenas 15%, segundo a pesquisa Women in the Boardroom a global perspective, realizada pela Deloitte.

Esse resultado é um desperdício. A liderança feminina possui características particulares, que são de grande valia para a gestão das empresas moderna. Entre elas, estão a flexibilidade, adaptabilidade, inovação, empatia, resiliência e criatividade, que até pouco tempo atrás eram julgadas secundarias à gestão das organizações, mas hoje são consideradas extremamente importantes para promover mudanças nas empresas e para guiar os colaboradores nos novos desafios que os tempos atuais exigem.

Tão diferenciada é a liderança feminina que pode representar mais lucro para a empresa. Um estudo da consultoria americana McKinsey revelou que ter mulheres em cargos de liderança aumenta em até 21% as chances de uma empresa ter resultados acima da média. Algumas características que têm como origem o papel cultural e tradicional da mulher podem explicar a conclusão da pesquisa.

Habilidades como a facilidade para a criação de equipes unidas e cooperativas, o pensamento sistêmico e em "redes", mais atento a fazer conexões entre informações diferentes e a adaptação a mudanças e a novos contextos com mais flexibilidade -pois são menos ligadas a paradigmas profissionais do passado e a pensamentos automáticos do tipo: "sempre foi assim"-, contribuem para a produtividade dos colaboradores e equipe como um todo, elevando assim os resultados.

Mesmo existindo ainda fatores socioculturais ligados à organização do mundo coorporativo que tradicionalmente e por muitos séculos foram masculinos, há uma ocupação cada vez maior e significativa da força e da liderança feminina. Isso representa um movimento de mudança irreversível, onde homens e mulheres se encontram caminhando juntos.

Cada vez mais a gestão de pessoas comprova que é por meio da valorização das diferenças que se desenvolve uma liderança de sucesso. A diversidade é complementar e não excludente. Respeitando as diferenças se promove o intercâmbio de ideias e a realização do trabalho em conjunto, aumentando o desempenho corporativo, a concretização de resultados e a realização pessoal e profissional.

Eduardo Shinyashiki é presidente do Instituto Eduardo Shinyashiki, mestre em Neuropsicologia e Liderança Educadora,

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Sexta, 22 de junho de 2018

00:00 - Desligue o piloto automático

00:00 - Envelhecimento, um grande desafio

00:00 - Temer está quebrando o Brasil

00:00 - Trajetória histórica dos Irantxe

00:00 - Dias de luta e dias de festa

Quinta, 21 de junho de 2018

18:22 - A nova era da relação entre médico e paciente

00:00 - Geopolítica em evidência

00:00 - Analfabeto funcional

00:00 - Mudança urgente de gestão

00:00 - Não trabalhe mais


 ver todas as notícias
Cuiabá, Sexta, 22/06/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Sexta, 22/06/2018
Af26a0a03727faf425edeb0c3956f831 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O que os eleitores vão depositar nas urnas em outubro?




Logo_classifacil









Loja Virtual