Pacientes continuam sem atendimento na Farmácia de Alto Custo do Estado | Gazeta Digital

Sábado, 13 de maio de 2017, 09h31

caos que se repete

Pacientes continuam sem atendimento na Farmácia de Alto Custo do Estado

Silvana Ribas, repórter do GD


Drama de pacientes que precisam de medicamentos da farmácia de alto custo do estado continua. As denúncias são de que há meses as pessoas peregrinam até a sede do órgão, no complexo da saúde localizado no bairro do Porto e a única resposta que ouvem dos servidores é que os processos para compra de medicamentos estão em andamento.

É o caso do professor Paulo Pinho, 34, morador do Jardim Imperial. Portador de glaucoma ele é cadastrado junto a farmácia para pegar mensalmente um frasco do colírio Xalaton. O frasco com 5 milímetros custa entre R$ 140 a R$ 160, com doses para 30 dias no máximo. Ele fez a denúncia pelo Whatsapp do Gazeta Digital, pelo telefone (65) 9.9987-2065.

Otmar de Oliveira/Arquivo

Pacientes procuram meses pelos  medicamentos 

Disse estar cadastrado há sete anos, e nos últimos três meses não tem obtido a medicação. “A desculpa é sempre a mesma, que está sendo realizado processo licitatório. Nunca em todos estes anos fiquei tanto tempo sem conseguir a medicação”, desabafa. Salienta que da última vez que foi até a farmácia constatou o abandono que está o local, sem medicamentos e sem pacientes, que já estão desistindo de procurar os remédios, cansados de perderem as viagens.

A paciente Beatriz Imperial Maiolino, 39, acompanha de perto o drama de outros pacientes, que como ela sofrem de doenças crônicas que atingem o intestino, entre elas a retocolite ulcerativa e a doença de crohn, que exigem doses regulares de anti inflamatórios muito potentes.

Sem os medicamentos, os pacientes passam a ter crises intermináveis de diarréias e cólicas, ficam desidratados, com imunidade baixa e correm risco de morte. Beatriz está há oito meses sem conseguir o medicamento pela farmácia e tem buscado outras alternativas para bancar o R$ 1 mil do custo. Mas diz que muitos pacientes que moram inclusive em outras cidades passam por situações desesperadoras, pois não tem condições de comprar o medicamento. Com isso passam mal, perdem peso e correm risco de não resistir.

Segundo Sadi Oliveira dos Santos, que preside a Associação Mato-grossense de Portadores de Doenças Inflamatórias e Intestinais (AMPDII), a situação é desesperadora. Apesar das cobranças junto ao poder público, nada tem sido feito para atenuar o sofrimento da população mais carente, que sofre pela falta dos medicamentos que podem controlar a doença e dar uma melhor qualidade de vida.

Outro lado - Em nota a Secretaria de Estado de Saúde informa que a Superintendência de Assistência Farmacêutica tem em seu estoque os medicamentos Mesalazina 1000 mg supositório, Mesalazina 500 mg supositório, Mesalazina 500 mg comprimidos.

As Outras apresentações da Mesalazina também foram adquiridos, mas como foram entregues com prazos de validades diferentes do exigido no edital, foram devolvidos. Estes seriam os medicamentos destinados para os pacientes com doenças intestinais.

Em relação ao paciente de glaucoma, informa que o Xalatan já tem registro de preço para aquisição.


 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quinta, 18 de janeiro de 2018

13:52 - Estado e prefeitura de Cuiabá negam dívidas com hospitais filantrópicos

Terça, 16 de janeiro de 2018

10:29 - Nova terapia para conter casos de aids no País está restrita a 3 postos públicos

Segunda, 15 de janeiro de 2018

15:22 - Funcionários da Santa Casa deflagram greve e unidade recusa pacientes

10:42 - Prefeitura de Tangará da Serra vai assumir gestão de UTI no município

07:30 - Casos de chikungunya disparam a 141% e MT Saúde faz campanha contra o Aedes

Sexta, 12 de janeiro de 2018

16:30 - Primeira morte por febre amarela em 2018 é confirmada no Rio de Janeiro

11:51 - Hospitais filantrópicos fecham UTIs e deixam de receber pacientes do SUS

Quinta, 11 de janeiro de 2018

18:30 - Secretaria confirma a morte de 67 macacos bugios pela febre amarela

10:08 - Adolescente de 15 anos morre sem diagnóstico e família vai processar

Quarta, 10 de janeiro de 2018

17:30 - São Paulo vacinou sete milhões contra febre amarela em 2017


// leia também

Quinta, 28 de dezembro de 2017

14:30 - Barbeiro solidário corta cabelo e faz barba de mendigo - Veja antes e depois

Domingo, 17 de dezembro de 2017

08:12 - Terreno baldio é ocupado por entulhos e preocupa moradores

Quinta, 14 de dezembro de 2017

07:10 - Idosa pede ajuda para construir casa que está desmoronando

Segunda, 11 de dezembro de 2017

15:10 - Morador anda de canoa na rua onde mora para denunciar alagamento

Quinta, 07 de dezembro de 2017

13:50 - Princípio de incêndio em escola expõe 260 alunos a risco

Segunda, 27 de novembro de 2017

12:30 - Faxineira foge com 2 filhos só com roupa do corpo, após agressão do marido

Quinta, 23 de novembro de 2017

08:50 - Idoso procura irmã e diz sentir 50 anos de saudade

Quarta, 22 de novembro de 2017

12:10 - Vigilantes da Arena Pantanal estão há 4 meses sem salário

Terça, 21 de novembro de 2017

08:25 - Morador reclama que rua dele virou 'lagoa de lama'

Sexta, 10 de novembro de 2017

10:02 - Moradores estão sem água há 30 dias no Ouro Branco


 ver todas as notícias
Cuiabá, Sexta, 19/01/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Sexta, 19/01/2018
B4342464d885d68375f74fddbcec4a71 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O governador Pedro Taques não vai liberar dinheiro para o Carnaval nos municípios. O que você acha disso?




Logo_classifacil









Loja Virtual