Pacientes continuam sem atendimento na Farmácia de Alto Custo do Estado | Gazeta Digital

Sábado, 13 de maio de 2017, 09h31

caos que se repete

Pacientes continuam sem atendimento na Farmácia de Alto Custo do Estado

Silvana Ribas, repórter do GD


Drama de pacientes que precisam de medicamentos da farmácia de alto custo do estado continua. As denúncias são de que há meses as pessoas peregrinam até a sede do órgão, no complexo da saúde localizado no bairro do Porto e a única resposta que ouvem dos servidores é que os processos para compra de medicamentos estão em andamento.

É o caso do professor Paulo Pinho, 34, morador do Jardim Imperial. Portador de glaucoma ele é cadastrado junto a farmácia para pegar mensalmente um frasco do colírio Xalaton. O frasco com 5 milímetros custa entre R$ 140 a R$ 160, com doses para 30 dias no máximo. Ele fez a denúncia pelo Whatsapp do Gazeta Digital, pelo telefone (65) 9.9987-2065.

Otmar de Oliveira/Arquivo

Pacientes procuram meses pelos  medicamentos 

Disse estar cadastrado há sete anos, e nos últimos três meses não tem obtido a medicação. “A desculpa é sempre a mesma, que está sendo realizado processo licitatório. Nunca em todos estes anos fiquei tanto tempo sem conseguir a medicação”, desabafa. Salienta que da última vez que foi até a farmácia constatou o abandono que está o local, sem medicamentos e sem pacientes, que já estão desistindo de procurar os remédios, cansados de perderem as viagens.

A paciente Beatriz Imperial Maiolino, 39, acompanha de perto o drama de outros pacientes, que como ela sofrem de doenças crônicas que atingem o intestino, entre elas a retocolite ulcerativa e a doença de crohn, que exigem doses regulares de anti inflamatórios muito potentes.

Sem os medicamentos, os pacientes passam a ter crises intermináveis de diarréias e cólicas, ficam desidratados, com imunidade baixa e correm risco de morte. Beatriz está há oito meses sem conseguir o medicamento pela farmácia e tem buscado outras alternativas para bancar o R$ 1 mil do custo. Mas diz que muitos pacientes que moram inclusive em outras cidades passam por situações desesperadoras, pois não tem condições de comprar o medicamento. Com isso passam mal, perdem peso e correm risco de não resistir.

Segundo Sadi Oliveira dos Santos, que preside a Associação Mato-grossense de Portadores de Doenças Inflamatórias e Intestinais (AMPDII), a situação é desesperadora. Apesar das cobranças junto ao poder público, nada tem sido feito para atenuar o sofrimento da população mais carente, que sofre pela falta dos medicamentos que podem controlar a doença e dar uma melhor qualidade de vida.

Outro lado - Em nota a Secretaria de Estado de Saúde informa que a Superintendência de Assistência Farmacêutica tem em seu estoque os medicamentos Mesalazina 1000 mg supositório, Mesalazina 500 mg supositório, Mesalazina 500 mg comprimidos.

As Outras apresentações da Mesalazina também foram adquiridos, mas como foram entregues com prazos de validades diferentes do exigido no edital, foram devolvidos. Estes seriam os medicamentos destinados para os pacientes com doenças intestinais.

Em relação ao paciente de glaucoma, informa que o Xalatan já tem registro de preço para aquisição.


 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sábado, 18 de novembro de 2017

09:26 - Número de pessoas com planos de saúde no Brasil cresceu em outubro

Sexta, 17 de novembro de 2017

10:20 - 11 a cada 100 bebês de MT nascem antes do tempo

09:59 - 'Quem nomeia e exonera sou eu', diz Pedro Taques aos deputados

Terça, 14 de novembro de 2017

09:05 - Enfermeira chora pelo fim de UTI para crianças - Veja vídeo

Segunda, 13 de novembro de 2017

12:50 - Consultas e exames estão mantidos em dias marcados no hospital Júlio Muller

09:27 - Governo precisa investir no interior para desafogar Cuiabá, diz vereador

08:45 - Devolver doentes é lamentável, diz deputado

08:30 - Diabetes atinge 184 mil adultos e crianças em MT

Sexta, 10 de novembro de 2017

16:51 - Prefeito devolve pacientes do interior e libera R$ 10 milhões para amenizar colapso

14:15 - Quando a raiva deixa de ser só uma crise de 'pavio curto' e vira transtorno


// leia também

Sexta, 10 de novembro de 2017

10:02 - Moradores estão sem água há 30 dias no Ouro Branco

Segunda, 06 de novembro de 2017

07:45 - Morador denuncia rua escura há 2 meses em VG

Domingo, 05 de novembro de 2017

12:20 - Morador se irrita e denuncia asfalto mal feito e sem rede de esgoto - veja vídeo

Segunda, 30 de outubro de 2017

07:45 - Grávida do 5º filho, mãe de 23 anos não consegue laqueadura

Domingo, 29 de outubro de 2017

10:32 - Moradores da Guia denunciam série de envenenamentos de cães e gatos

Sábado, 28 de outubro de 2017

18:15 - Chuva forte deixa mais de 17 mil sem energia e derruba muro da PM

Quinta, 19 de outubro de 2017

08:34 - 3 órfãs de feminicídio precisam de fralda e leite

Quinta, 12 de outubro de 2017

08:00 - Mãe reclama de atendimento na Policlínica do Planalto

Sexta, 06 de outubro de 2017

11:30 - Autônomo reclama da 'longa' greve dos Correios - Veja vídeo

08:55 - Filha vende toda a rifa de cesta de chocolate para garantir transplante da mãe


 ver todas as notícias
Cuiabá, Segunda, 20/11/2017
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 20/11/2017
C4f32a23995d24db0f5269f57ef9b491 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O que você vai fazer com o 13º salário?




Logo_classifacil









Loja Virtual