Despesa com a cesta básica abocanha 53% do mínimo | Gazeta Digital

Quinta, 07 de julho de 2016, 11h04

Na ponta do lápis

Despesa com a cesta básica abocanha 53% do mínimo

Vinícius Bruno, repórter de A Gazeta


Com a cesta básica custando R$ 430,78 em junho, o trabalhador cuiabano que tem um salário mínimo como remuneração (R$ 880) precisou trabalhar o equivalente a 107h42 para conseguir comprar os 13 produtos. O período trabalhado foi 4,9% maior do que em maio, quando foram necessárias 102h31, já que a cesta básica custou R$ 410,09 naquele mês. Os dados também são do Dieese.

O peso da cesta básica para o consumidor de baixa renda é a evidência de um cálculo oneroso, já que comprometeu 53,12% do salário. Em maio, esse percentual estava em 50,65%. Ao considerar o salário mínimo como provedor das necessidades básicas, que dá direito à saúde, educação, lazer, habitação e transporte, tudo isso com dignidade, o valor do mínimo hoje no Brasil, considerados os valores correntes, deveria ser de R$ 3.777,93, conforme cálculos do Dieese. Este valor é 329,3% vezes maior que a cifra paga hoje, de R$ 880.

Contudo, esse abismo entre a teoria e a realidade já foi muito maior no início do Plano Real, em 1994, quando em julho daquele ano o salário mínimo custava R$ 64,79, enquanto que o ideal para manter as necessidades básicas daquela época era equivalente a R$ 590,33, uma diferença de 811,14%.

O valor do salário mínimo ideal em 1994 só foi alcançado em 18 anos depois, em janeiro de 2012, quando o mínimo vigente passou a ser de R$ 622. Mas aí já era tarde demais, pois a remuneração ideal para se viver em já estava 285,6% maior, em R$ 2.398,82.

6ª mais cara do país 

A cesta básica de Cuiabá é a 6ª mais cara entre as 26 unidades da federação. Em junho, os cuiabanos pagaram R$ 430,78 por 13 itens, valor que ficou 5,05% maior se comparado ao mês anterior. O custo do feijão foi o que mais pesou no aumento sentido pelos consumidores, com a discrepante majoração de 97,73% na comparação com maio deste ano. Os dados foram divulgados pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Os preços elevados nos alimentos básicos na mesa do consumidor têm mudado o comportamento de muitas famílias, como a da dona de casa Helena Rúbia Oliveira do Prado, 47. “Tudo está mais caro e a diferença nos preços a gente está sentindo na mesa. Temos feito só o básico. Antes ainda havia uma mistura diferente. Agora é só o essencial. Não estamos passando necessidades, mas a quantidade de alimentos está diminuindo a cada dia”. Helena explica que as compras no supermercado eram mais fartas com 2 ou 3 quilos dos principais itens da cesta básica, mas que agora tem levado apenas o mínimo para casa, comprado mais somente quando acaba.

Já a estudante Elenita de Oliveira Neves, 39, relata que faz um bom tempo que não vai ao supermercado para fazer aquela compra do mês. “Como meu marido é cabeleireiro, o dinheiro sempre chega picado. Dessa forma, vamos várias vezes ao supermercado em um mês”. Ela explica que desembolsa em média R$ 800 para manter a casa abastecida, mas diz estar economizando em itens supérfluos para conseguir fechar as contas no azul. “Deixamos de comprar roupas e calçados como forma de economizar, assim sobra um pouco mais para garantir o pão de cada dia”.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quarta, 09 de maio de 2018

14:31 - Preço da cesta básica diminui em 16 capitais em abril, diz Diesse

Quinta, 05 de abril de 2018

14:52 - Preço da cesta básica cai em 12 capitais brasileiras, diz Dieese

Terça, 06 de março de 2018

14:00 - Valor da cesta básica cai em 13 de 20 capitais em fevereiro, diz Dieese

Quarta, 01 de novembro de 2017

14:43 - Pesquisa indica que custo da cesta básica caiu em Cuiabá e mais10 cidades

Terça, 13 de junho de 2017

16:04 - Puxada por alimentos, cesta básica tem alta de 0,33% em maio, diz Procon-SP

Sexta, 02 de dezembro de 2016

09:24 - Cesta básica em Cuiabá fica 5% mais barata

Quarta, 30 de novembro de 2016

15:56 - Vendas de supermercados crescem 1,16% no acumulado do ano

Sexta, 07 de outubro de 2016

10:46 - Cesta básica de Cuiabá é a 4ª mais cara do país

Quinta, 06 de outubro de 2016

15:25 - Custo da cesta básica cai em 14 capitais e sobe em 13

Sexta, 09 de setembro de 2016

15:45 - Cesta básica ficou mais cara em 18 capitais em agosto


// leia também

Sábado, 23 de junho de 2018

14:00 - Juiza mantém 7 na prisão por desvios no Rodoanel norte

13:30 - Com titulares poupados, seleção faz treino leve após vitória sobre a Costa Rica

13:00 - Medidas do ajuste fiscal emperram Congresso

09:10 - Projeto do pré-sal favorece Petrobras

08:56 - Combustível de aviação mais caro eleva preços das passagens

Sexta, 22 de junho de 2018

18:58 - Inadimplência em condomínios abre espaço para venda das dívidas

15:20 - Dólar engata alta no final do dia e vai a R$ 3,78 em sessão de poucos negócios

13:15 - BR Distribuidora vai analisar aplicabilidade de processo do TST sobre Petrobras

12:45 - Para retomar transporte de carga, empresas ignoram tabela de frete

11:21 - Bovespa começa em alta superior a 1% com petróleo e exterior


 veja mais
Cuiabá, Sábado, 23/06/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Sábado, 23/06/2018
00cd1afd8757c6b9bf1a877a182fcfcc anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Qual sua opinião sobre o comportamento dos brasileiros fora do Brasil?




Logo_classifacil









Loja Virtual