Blairo Maggi quer restrições para soja e milho | Gazeta Digital

Sexta, 17 de fevereiro de 2017, 11h49

Blairo Maggi quer restrições para soja e milho


Estadao

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, é favorável à autorização para que estrangeiros possam comprar terras no Brasil. No entanto, ele defende a adoção de restrições no caso das chamadas ‘culturas anuais‘, como soja e milho - dois dos principais produtos de exportação do Brasil. O receio é que fundos estrangeiros possam adquirir parcela substancial da área destinada a essas culturas e, em determinado ano, em função dos preços mais baixos no mercado internacional, decidam não plantar.

‘Isso seria um caos para a economia, para os municípios, para os transportes, para todo mundo‘, afirmou o ministro ao Broadcast Agro, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado. ‘Acho que esse é um ponto em que a gente tem que dar uma olhada. Agora, terras para culturas perenes, como café, laranja, cana e eucalipto, você não muda de um ano para outro. Se está ruim ou se está bom, você tem que trabalhar. É na média que vai o negócio‘, acrescentou.

O ministro cita o exemplo da celulose. ‘O Brasil é muito forte nisso, mas as indústrias que fazem celulose, que precisam de capital estrangeiro, não gostam de ficar nas mãos de fornecedores. Elas têm que ter um porcentual próprio de produção para atender o empreendimento.‘

Blairo acredita que a restrições em culturas específicas pode ser a solução para chegar a um acordo para aprovação da compra de terras por estrangeiros. ‘Não é proibir. Pode-se exigir uma produção anual ou que o produtor não pare de um ano para outro. Ou que ele tenha terras, mas arrende para brasileiros‘, exemplificou. ‘Me parece que quem é o dono da terra é o que menos importa. A terra é brasileira, está aqui, não vai embora, ninguém vai levar. O uso da terra é que importa nesse negócio.‘

Críticas

A questão, no entanto, é polêmica e o projeto é alvo de críticas antes mesmo de ser apresentado. O líder do PT na Câmara dos Deputados, Carlos Zarattini (SP), afirma que a compra de terras por estrangeiros interessa aos especuladores. ‘O que interessa a esses empresários do campo é a especulação do valor da terra. Evidentemente, vindo interesses de fora, o preço da terra vai aumentar e, com isso, a compra e a venda ganha outra dinâmica, com outros valores‘, afirmou Zarattini.

Relator da proposta, o deputado Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG) é filho do ex-governador de Minas Newton Cardoso, de tradicional família ruralista. O pai dele declarou em 2009 ter mais de cem fazendas, conforme apontou reportagem do jornal O Estado de S. Paulo de novembro passado. Em 1982, seu tio, Manoel Cardoso, foi condenado como mandante do assassinato de um advogado que defendia famílias que ocupavam uma área de sua propriedade no sul do Pará. Ao jornal, o deputado disse que o fato de sua família possuir grandes extensões de terra não significa que haja conflito de interesse.

Para Zarattini, o projeto ‘abre a porteira completamente e permite qualquer tipo de negócio e entrada de grandes capitais no Brasil‘. Segundo ele, os estrangeiros poderão usar as terras para produzir alimentos para outros países, ‘sem nenhum benefício para o Brasil‘.

Essa também é a avaliação do coordenador de Políticas Públicas do Greenpeace no Brasil, Marcio Astrini. ‘O Brasil já tem mecanismos bem utilizados e conhecidos para fomentar a produção agrícola. Há o Plano Safra, com bilhões e bilhões de financiamento subsidiado, e todos os programas de perdão de dívidas e do passivo ambiental dos produtores‘, argumentou. ‘É difícil acreditar que a venda de terras para estrangeiros não seja para atender a interesses locais, para valorizar a terra e atender a certos grupos que apostam no comércio de terras na Amazônia.‘ 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 26 de setembro de 2017

17:54 - Maggi defende mais abertura do mercado brasileiro para impulsionar exportações

Terça, 05 de setembro de 2017

15:19 - Maggi diz que Brasil se esforça para agregar valor às exportações agropecuárias

Quarta, 30 de agosto de 2017

10:47 - Mesmo investigado, Maggi 'ganha' banco do governo Temer

Terça, 29 de agosto de 2017

11:32 - Governadores fazem ato de apoio a Maggi após delação de Silval Barbosa

Domingo, 23 de julho de 2017

13:26 - Empresa da família Maggi leva 70% do subsídio em leilão público

Segunda, 24 de abril de 2017

11:36 - Maggi usa jato particular em viagem oficial

Quarta, 12 de abril de 2017

10:19 - Site ironiza Maggi por ida às ruas contra corrupção

Terça, 28 de março de 2017

11:09 - Indicação política é defeito da política brasileira, diz Maggi

Quarta, 22 de março de 2017

12:12 - Disputa política afeta fiscalização, afirma Blairo Maggi

Quinta, 16 de março de 2017

19:29 - Maggi explica pedido de licença de 10 dias


// leia também

Segunda, 23 de outubro de 2017

10:09 - Mercado prevê inflação de 3,06% e nova queda da Selic esta semana

09:48 - Cidades remaneja recursos do FGTS entre Estados a pedido da Caixa

08:32 - Mega-Sena acumula e prêmio é estimado em R$ 16 milhões

Domingo, 22 de outubro de 2017

15:18 - Salto tecnológico da Petrobrás levou à marca de 1 milhão de barris por dia

14:33 - Em 11 anos, pré-sal brasileiro já compete comercialmente com Oriente Médio

09:12 - Agência Nacional de Saúde quer limitar valor cobrado pela coparticipação

09:00 - Vendas de veículos usados têm redução de 70% em MT

08:56 - 'Se privatizar a Eletrobras, tomaremos de volta', diz ex-ministro Ciro Gomes

Sábado, 21 de outubro de 2017

14:30 - Expectativa de crescimento favorece criação de vagas temporárias

13:25 - Falta de recursos ameaça cronograma de obras do DNIT


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 23/10/2017
 
Facebook Instagram
GDEnem

Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 23/10/2017
00fb8b126cd455c6f67973a912cf7e56 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Circula na Câmara a proposta de reduzir de 25 para 19 o número de vereadores na Capital




Logo_classifacil









Loja Virtual