Governo propõe R$ 979 para o salário mínimo em 2018 | Gazeta Digital

Domingo, 13 de agosto de 2017, 08h41

Governo propõe R$ 979 para o salário mínimo em 2018

Silvana Bazani, repórter de A Gazeta


Otmar de Oliveira

Para 2018, o salário mínimo poderá aumentar 4,5% e passar dos atuais R$ 937 para R$ 979, a partir de 1º de janeiro. O novo valor com acréscimo de R$ 42 está previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), sancionada pelo presidente da República, Michel Temer na última quarta-feira (9). Estudos realizados pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socieconômicos (Dieese) apontam que, em julho, o salário mínimo deveria ser de R$ 3,810 mil para suprir as necessidades básicas das famílias. De acordo com o Dieese, o valor atual do mínimo está defasado em 17 anos.

Para o economista Edisantos Amorim, se confrontado o reajuste de R$ 42 no valor do mínimo com o cenário de desemprego elevado, custo de vida alto e taxa de inadimplência superior a 50% da capacidade de pagamento de grande parte da população, os efeitos do reajuste são anulados. Contudo, se considerado o cenário de deflação e a possibilidade de novos cortes na inflação ao longo do ano - com patamar mínimo previsto -, o aumento do salário mínimo é positivo, contrapõe o economista.

Chico Ferreira

Economista Edisantos Amorim diz que efeitos do reajuste de R$ 42 reais são anulados diante do custo de alto e cenário de desemprego elevado

Para Amorim, os setores mais beneficiados com os reajustes do piso são o comércio e de serviços. “Neste momento as pessoas estão consumindo menos por conta da inadimplência e porque o poder de compra diminuiu”, expõe. “Com preço deflacionado o trabalhador começa a ter uma sensação de poder de compra melhor”.

Na opinião do vice-presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio/MT), Roberto Peron, o novo valor do salário possibilita o consumo à parcela da população que depende dessa renda. “Acho que a correção do salário deve ficar compatível com a inflação acumulada, mas não acima disso, para não impactar outros segmentos”, pondera.

O acréscimo de R$ 42 sobre o salário mínimo atual é irrisório, na opinião do integrante da diretoria da Federação de Aposentados e Pensionistas de Mato Grosso (Fedapi), Gerson Borges de Moraes. “Em linhas gerais é um aumento irrisório, ínfimo, comparando com a necessidade que os aposentados têm”. Para ele, o argumento que um reajuste maior no salário mínimo aumentaria o deficit previdenciário não se sustenta.

“Enquanto isso, outros segmentos recebem reajustes maiores e salários muito superiores”. Ele observa ainda que invariavelmente após o aumento salarial os preços dos produtos são majorados. “Então, continua tudo igual ou até pior”.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Segunda, 21 de agosto de 2017

13:26 - Ministro diz que são falsas notícias de que salário mínimo será reduzido

Quinta, 17 de agosto de 2017

13:30 - Presidente do Senado diz que salário terá pelo menos correção da inflação

Terça, 15 de agosto de 2017

21:50 - Previsão de salário mínimo para 2018 cai para R$ 969


// leia também

Quinta, 19 de outubro de 2017

17:44 - Emprego na construção civil cresce pelo segundo mês seguido

17:35 - Salário médio de admissão tem alta real de 5,59% em setembro, mostra Caged

15:30 - Governo autoriza criação de 1,9 mil vagas de trabalho em universidades federais

15:01 - Arrecadação em setembro soma R$ 105,595 bi, alta de 1,17% ante agosto

13:38 - Fazenda autoriza aumento das tarifas de serviços dos Correios

13:21 - BC lança campanha para uso consciente do cartão de crédito

08:37 - Entenda como a nova regra do governo dificulta a fiscalização do trabalho escravo

08:25 - PIS será pago a partir de hoje para 3,5 milhões de pessoas em todo País

Quarta, 18 de outubro de 2017

14:40 - Com avanço de reestruturação, Eletrobras prevê alavancagem abaixo de 3x

14:27 - Multas de trânsito poderão ser pagas com débito ou parceladas no crédito


 veja mais
Cuiabá, Sexta, 20/10/2017
 
Facebook Instagram
GDEnem

Fogo Cruzado
titulo_jornal Sexta, 20/10/2017
2b95336a644f97d5c7b35708aef8fdfb anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Prefeito Emanuel Pinheiro tenta garantir, em Brasília, recursos para os 300 anos de Cuiabá.




Logo_classifacil









Loja Virtual