Número de brasileiros com contas em atraso cai em agosto | Gazeta Digital

Quarta, 13 de setembro de 2017, 15h58

ECONOMIA

Número de brasileiros com contas em atraso cai em agosto


Agência Brasil

O número de brasileiros com contas em atraso e registrados nos cadastros de devedores caiu 0,41% em agosto, na comparação com o mesmo mês do ano passado. Este foi o sexto mês consecutivo em que há retração no volume de inadimplentes. De acordo com dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o país encerrou o mês de agosto com 59,1 milhões de brasileiros com alguma conta em atraso e com o CPF restrito para contratar crédito ou fazer compras parceladas. Na comparação com julho, houve queda de 0,06%. O último aumento no número de devedores foi registrado em fevereiro deste ano, de 0,41%.

O número de inadimplentes caiu em todas as regiões do país. No Sudeste foi verificada a queda mais acentuada, de 5,07% na comparação com o mesmo mês do ano passado. Em segundo lugar ficou a Região Sul, que apresentou queda de 3,70% na quantidade de devedores, seguido do Centro-Oeste (-0,76%), Norte (-0,65%) e Nordeste (-0,27%).

Reprodução

Número de inadimplentes caiu em todas as regiões do país

Segundo a pesquisa, em números absolutos, a região Sudeste é a que concentra maior quantidade de consumidores inadimplentes, chegando a 24,45 milhões, o que corresponde a 37% do total dos moradores dessa região. Em segundo lugar aparece o Nordeste, com 16,32 milhões de negativados, ou 40% da população. Em seguida, aparece o Sul, com 8,02 milhões de inadimplentes (36% da população adulta).

O indicador mostrou também que cerca de 16,8 milhões de consumidores com contas sem pagar têm entre 30 e 39 anos. Logo em seguida aparecem os adultos com idade entre 40 e 49 anos (12,8 milhões) e em terceiro lugar, os consumidores de 50 a 64 anos (11,7 milhões). Jovens adultos de 25 a 29 anos são 7,8 milhões de inadimplentes, e os idosos de 65 a 84 anos, são 4,7 milhões. Na faixa etária dos mais jovens, de 18 a 24 anos, 5,1 milhões de consumidores têm alguma conta em atraso e o CPF registrado em cadastros de devedores.

“A faixa dos 30 anos de idade coincide com um período de grandes responsabilidades da vida adulta, como casamento, filhos, aluguel ou aquisição da casa própria. É um momento em que as atribuições financeiras crescem de forma muito acentuada, exigindo organização”, justifica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Segundo a economista, com a perspectiva de que a economia e o consumo se recuperarão de forma lenta e gradual ao longo dos próximos meses, a expectativa é de que a inadimplência não volte a crescer a taxas expressivas no período, mas apresente sinais de estabilidade.

“Com a retomada do ambiente econômico acontecendo de forma lenta, ainda demorará para termos um aumento expressivo do número de empregos e renda, fatores que impactam de forma positiva tanto no pagamento de pendências, quanto na propensão ao consumo por parte do consumidor e na concessão de crédito por parte das instituições financeiras. Mesmo sem o volume de inadimplentes crescer de forma significativa no curto prazo, o estoque de brasileiros nessa situação continua em patamar elevado”, disse.

Na avaliação do presidente da CNDL, Honório Pinheiro, o recuo da inadimplência se explica porque o consumidor, no geral, está se endividando menos. “Se por um lado, as dificuldades do cenário recessivo fazem crescer o número de devedores, a maior restrição do crédito age na direção contrária, limitando a tomada de crédito e o crescimento da inadimplência”, disse.

Dívidas

O volume de dívidas em nome de pessoas físicas teve variação negativa de 4,82% em agosto na comparação com agosto do ano passado e de 0,30% na comparação mensal, entre julho e agosto de 2017, sem ajuste sazonal. Segundo o SPC Brasil e a CNDL, as dívidas com o comércio foram as que mostraram a maior queda em agosto: menos 6,38%. Os atrasos com o setor de comunicação, que engloba contas de telefonia, internet e TV por assinatura, recuaram 4,46% na comparação anual.

As dívidas bancárias, como cartão de crédito, financiamentos e empréstimos e, que respondem sozinhas por 49% do total das dívidas a pagar, caíram 2,63% em agosto deste ano frente ao mesmo período de 2016. Já as contas básicas de água e luz, que em um passado recente apresentavam as altas mais expressivas, caíram 1,55% no último mês de agosto.

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quarta, 23 de maio de 2018

17:00 - Ambiente externo traz alívio à tarde e juros fecham entre estabilidade e queda

14:09 - Com crise, brasileiro opta por alimento mais barato, diz estudo da Fiesp

Terça, 22 de maio de 2018

18:30 - Além do BB, Bradesco também avalia pagamento à vista a poupadores por planos

14:22 - Cai o número de endividados no Brasil

Sexta, 18 de maio de 2018

17:15 - Governo estuda baratear preço do combustível, diz Moreira Franco

Quinta, 17 de maio de 2018

14:54 - Mercado projeta déficit de R$ 138,5 bilhões nas contas públicas

Terça, 15 de maio de 2018

14:21 - Não haverá renegociação de dívida rural com bancos, diz Guardia

Quinta, 10 de maio de 2018

14:30 - Mais de 40% da população adulta brasileira está inadimplente, diz SPC

Domingo, 06 de maio de 2018

09:10 - Prazo para motoristas com deficiência pedirem isenção cai para 3 dias

Quinta, 03 de maio de 2018

15:37 - Transações financeiras por aplicativos cresceram 70% em 2017


// leia também

Quinta, 24 de maio de 2018

09:18 - INSS passa a agendar mais serviços a partir de hoje. Veja lista

09:15 - Petrobras calcula perda de R$ 350 milhões com corte de 10% no preço do diesel

Quarta, 23 de maio de 2018

18:30 - Banco do Brasil lança serviço de compra de euros por smartphone

14:15 - Petrobras reduz preço da gasolina e do diesel pelo 2º dia consecutivo

09:33 - Protestos dos caminhoneiros afetam as entregas dos Correios

09:24 - Brasileiro precisa trabalhar três dias para encher o tanque do carro

Terça, 22 de maio de 2018

16:46 - Governo vai zerar Cide sobre a gasolina e o diesel, diz Rodrigo Maia

15:49 - Junho deve ter bandeira tarifária amarela, prevê diretor da Aneel

15:21 - Brasileiros apostam em inflação de 5,3% para os próximos 12 meses

15:00 - Governo reduz estimativa de crescimento para 2,5% em 2018


 veja mais
Cuiabá, Quinta, 24/05/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Quinta, 24/05/2018
277143c492047e9092189af323a8546f anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Alta no preço dos combustíveis vem pesando no bolso dos brasileiros




Logo_classifacil









Loja Virtual