Curso técnico pode ajudar a conseguir emprego em meio à crise | Gazeta Digital

Quarta, 13 de setembro de 2017, 16h35

caminho alternativo

Curso técnico pode ajudar a conseguir emprego em meio à crise


Agência Brasil

Mesmo com a crise econômica, que resultou em fechamento de vagas em diversos setores da economia, alguns ramos têm conseguido reagir e abrir vagas de emprego.

Entre os setores que houve aumento no nível de emprego estão a indústria de transformação, comércio, serviços, agropecuária e construção civil. Levantamento feito pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) mostra que as áreas ligadas ao consumo – como vestuário, alimentos, eletrodomésticos e veículos – estão entre as que mais abriram oportunidades de trabalho.

Na contramão, apresentaram saldos negativos os setores utilidade pública, administração pública e extrativa mineral.

Reprodução

Entre os setores que houve aumento no nível de emprego estão a indústria de transformação, comércio, serviços, agropecuária e construção civil.

Formação técnica

De acordo com diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi, candidatos com nível técnico podem ter mais chances de recolocação no mercado, já que 78% das ocupações industriais exigem esse tipo de formação.

"Em tempos de crise, 70% dos egressos [dos cursos técnicos] estão inseridos no mercado de trabalho já no primeiro ano", afirma. "O salário inicial de uma formação técnica gira em torno de R$ 2 mil. Em dez anos de atividade, esse salário varia entre R$ 8,5 mil e R$ 12 mil", acrescentou.

Para os profissionais com nível superior, o mercado de trabalho está mais retraído, conforme levantamento do Senai.

O número de vagas de trabalho com carteira assinada cresceu em julho. Conforme o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, houve crescimento de 35.900 postos de trabalho - resultado de 1.167.770 admissões e de 1.131.870 desligamentos. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sexta, 22 de setembro de 2017

17:54 - Após forte queda nas últimas sessões, juros futuros fecham perto da estabilidade

16:31 - Compras no exterior podem ter entregas reduzidas em até 10 dias

08:20 - Governo pressiona Tesouro para liberar até R$ 15 bi do Orçamento

Quinta, 21 de setembro de 2017

18:03 - Meirelles sobre privatização dos correios: estamos olhando com muito cuidado

16:45 - Diretor do BC diz que consumidor já sente sinais de melhoria na economia

Quarta, 20 de setembro de 2017

16:20 - Governo espera que internet das coisas aporte US$ 50 bi na economia

Terça, 19 de setembro de 2017

15:55 - Pagamento em espécie é motivo de preocupação em todo o mundo, diz Coaf

Segunda, 18 de setembro de 2017

18:01 - Mais de 80% das empresas brasileiras têm irregularidades, aponta estudo

17:45 - Preços de mensalidades no ensino superior sobem 1,2% no 2º semestre

Domingo, 17 de setembro de 2017

10:21 - Novo programa automotivo terá incentivo igual para indústria local e importador


// leia também

Domingo, 24 de setembro de 2017

17:30 - ONU estima que 470 mil rohingyas precisam de ajuda para refúgio

17:00 - Prazo para produtores rurais aderirem a parcelamento acaba esta semana

12:07 - Mega-Sena acumula pela sexta vez seguida e deverá pagar R$ 40 milhões

12:00 - Em São Paulo, cresce oferta de apartamentos com menos de 30 m²

11:22 - Briga entre ministérios ameaça atrasar novo regime automotivo

Sábado, 23 de setembro de 2017

17:30 - Meirelles diz que PIB para 2017 está próximo de 1%

17:00 - Oi confirma conversas com China Telecom

16:15 - Caixa reduz para 50% limite para financiamento de imóveis usados

10:16 - Bares e restaurantes vão fazer campanha por horário de verão

10:08 - Apesar de política indefinida, empresas testam mercado de elétricos no País


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 25/09/2017
 
Facebook Instagram
GDEnem

Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 25/09/2017
27404591e818e43fa949ce26e20c68da anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Ex-secretário de Fazenda de Mato Grosso, Marcel de Cursi, quer ser indenizado pelos 2 anos em que ficou preso




Logo_classifacil









Loja Virtual