Após fraco resultado, setor de transporte mantém otimismo cauteloso para 2018 | Gazeta Digital

Segunda, 04 de dezembro de 2017, 13h57

ECONOMIA

Após fraco resultado, setor de transporte mantém otimismo cauteloso para 2018


Agência Brasil

O ano de 2017 foi de desempenho abaixo do esperado para as empresas do setor de transportes. Para 2018, a expectativa do setor é de um “otimismo cauteloso”, apesar da “baixa confiança na gestão econômica do país”. A constatação é da Confederação Nacional do Transporte (CNT), tendo por base dados divulgados nesta segunda-feira (4) por meio da Sondagem Expectativas Econômicas do Transportador 2017.

As projeções do setor de transportes para o próximo ano têm como ponto de partida a expectativa relativa ao Produto Interno Bruto (PIB, (a soma de todas as riquezas produzidas no país) de 2017 e 2018. De acordo com a maior parte dos empresários do setor (54,8%), o PIB brasileiro será maior em 2018 do que em 2017 – ano que, segundo as empresas, teve desempenho abaixo do esperado no setor.

Em parte isso se explica pelo aumento do custo operacional que foi percebido por 76,3% dos entrevistados; e pela queda de receita registrada por 32,8% das empresas. Na avaliação de 38,9% dos entrevistados, a retomada do crescimento econômico só será percebida em 2019.

Chico Ferreira

Após fraco resultado, setor de transporte mantém otimismo cauteloso para 2018

No caso dos transportadores rodoviários de carga, o desempenho em 2017 foi pior do que o esperado, segundo 31,9% das empresas. Além disso, 19,7% dessas transportadoras apresentaram queda de receita em 2017. A absoluta maioria das empresas deste segmento (92,8%) disseram não ter constatado “em nenhum momento”, a redução do preço do diesel após a mudança de política de preços da Petrobras.

Para 53,2% dos entrevistados,“a crise de confiança no governo federal é o “principal entrave” para a realização de novas concessões”. Na avaliação da CNT, a queda de confiança na gestão da economia afeta diretamente as expectativas dos transportadores para o próximo ano, mesmo com as empresas de transporte já começando a se recuperar do período recessivo. A avaliação é de que a retomada da economia será “em ritmo mais lento do que o esperado”.

Diante deste cenário, 54,8% dos entrevistados disseram que pretendem manter o tamanho da frota em 2018, enquanto 32,1% disseram ter em seus planos aumentar a contratação formal de empregados em 2018. Segundo a pesquisa da CNT, 80% das empresas que usam o sistema ferroviário para o transporte de cargas têm a expectativa de aumento do volume de investimentos privados em ferrovias ao longo de 2018.

A confiança na gestão econômica do país pelo governo federal é baixa, com 59,8% dos entrevistados demonstrando “baixo grau de confiança” na atual gestão do país, e 85,4% dizendo não acreditar que as ações governamentais sejam suficientes para recuperar e adequar a infraestrutura de transporte no Brasil.

Ainda segundo o levantamento, “os motivos mais citados para o atraso das obras de infraestrutura de transporte foram interferência política nas agências do governo (65,2%), e excesso de burocracia para começar obras (54,8%)”.

No caso do setor metroferroviário, todas as empresas entrevistadas consideram “insuficiente” a infraestrutura de transporte urbano sobre trilhos; e metade (50%) afirma que houve aumento do custo da energia elétrica em termos percentuais referentes ao custo operacional do sistema.

Apesar da avaliação negativa das políticas de governo, 66,1% dos empresários do setor receberam de forma positiva a reforma trabalhista por ele implantada. Já a reforma tributária, caso seja feita, foi apontada como “passo importante modernização do Estado”, com 46,5% dos entrevistados dizendo ser necessária a redução da carga tributária no país, e 20,5% defendendo a simplificação do sistema de cobrança de tributos.

Setor aéreo

Todas as empresas do setor aéreo afirmaram ter registrado aumento no número de passageiros transportados em voos domésticos durante o ano de 2017. Também 100% delas disseram concordar que o governo federal deve continuar com o programa de concessão de aeroportos, como estratégia para melhorar a qualidade dos serviços aeroportuários.

Com relação às novas regras para o exercício da profissão de aeronauta, 80,0% das companhias aéreas dizem que elas “têm potencial para comprometer os custos das empresas”, em especial no que se refere à jornada de trabalho. A aprovação de um teto de 12% do ICMS que incide sobre o querosene de aviação – usado como combustível pelas aeronaves – foi apontado como “muito importante” por 80% das empresas deste segmento.

Setor aquaviário

A qualidade dos portos brasileiros é “regular, ruim ou péssima” segundo 92,9% das empresas do setor aquaviário. Apesar da má qualidade dos portos, 37,1% das empresas de navegação registraram aumento de receita bruta em 2017; e 51,4% acreditam que a receita deverá aumentar também em 2018.

O programa Porto sem Papel, iniciativa implementada pelo governo federal com o objetivo de desburocratizar procedimentos portuários, já está sendo usado por 66,7% das empresas de navegação marítima e por 26,1% das empresas de navegação interior. O programa está atingindo seus objetivos, segundo 69,2% das empresas que o adotaram.

Transporte Urbano de Passageiros

A maior parte (60,5%) das empresas que prestam serviço de transporte urbano de passageiros registraram queda de receita bruta em 2017. Em parte, isso se explica pelo fato de 85,9% das empresas de ônibus terem registrado “variação negativa do volume de passageiros diários nos últimos 12 meses”; e por 55,3% afirmarem ter perdido clientes para outros modais de transporte.

O serviço de transporte por aplicativos de celulares foi apontado como motivo da perda de clientes por 36,2% das empresas entrevistadas. Diante desse cenário, apenas 28,8% dos entrevistados disseram esperar aumento de receita bruta no transporte urbano em 2018.

A Sondagem ouviu representantes de 823 empresas de transporte rodoviário de cargas e passageiros, ferroviário de cargas, aquaviário (navegação marítima e interior), aéreo de passageiros e serviços de transporte urbano de passageiros por ônibus e metroferroviário, entre os dias 16 de outubro e 10 de novembro, em todo o país. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sexta, 12 de janeiro de 2018

14:51 - S&P rebaixa ratings de bancos, incluindo BB, Bradesco, Itaú e Santander

14:38 - Moeda virtual não pode ser considerada ativo financeiro, diz CVM

Quinta, 11 de janeiro de 2018

18:00 - Orçamento de 2018 não prevê correção da tabela do IR, informa Receita

15:50 - AGU vai recorrer de decisão que suspende MP de privatização da Eletrobras

15:05 - Governo anuncia reajuste do seguro-desemprego

14:11 - Piauí entra com ação no STF contra a Caixa por financiamento de R$ 315 milhões

13:59 - Programa coloca mais de 369 mil jovens no mercado de trabalho em 2017

Quarta, 10 de janeiro de 2018

15:59 - Consumo aparente de bens industriais cresceu 1,9% em novembro, diz Ipea

14:00 - Inflação baixa esconde preços altos de energia, gás e combustível

Terça, 09 de janeiro de 2018

21:00 - Variação de preço de material escolar pode chegar a 260% para o mesmo item


// leia também

Terça, 16 de janeiro de 2018

10:27 - Petrobras anuncia queda de 0,60% no preço da gasolina e recuo de 0,40% no diesel

08:41 - Conta dos Estados sai do azul para rombo de R$ 60 bi

08:32 - Alimentos mais caros pressionam inflação ao consumidor

Segunda, 15 de janeiro de 2018

21:30 - Mercado projeta inflação de 3,95% e crescimento do PIB de 2,7%

19:30 - Pela Previdência, Marun tenta buscar apoio da indústria

14:20 - Central de Emprego

14:05 - Levantamento da ANP mostra aumento no preço do etanol sobe em 18 Estados

13:33 - Número de famílias endividadas registra aumento médio de 0,6%

11:29 - Petrobras anuncia queda de 0,80% no preço da gasolina e alta de 0,10% no diesel

11:29 - Caixa emprestou R$ 3,4 bi a Estados e municípios


 veja mais
Cuiabá, Terça, 16/01/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Terça, 16/01/2018
525898e38d98c5884d744481421366ca anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O próximo presidente da República deve dar importância aos direitos humanos?




Logo_classifacil









Loja Virtual