Defaz prende 16 em MT, SP e SC por sonegação milionária | Gazeta Digital

Quinta, 07 de dezembro de 2017, 09h08

CRÉDITO PODRE

Defaz prende 16 em MT, SP e SC por sonegação milionária

Celly Alves e Valquiria Castil, repórter do GD


Oliveira Júnior

Policiais em diligências na operação Crédito Podre

Atualizada às 11h51 - Dezesseis pessoas envolvidas no esquema de sonegação Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços ( ICMS)  foram presas em Mato Grosso, Santa Catarina e São Paulo na manhã desta quinta-feira (7). Entre elas estão empresários, contadores, comerciantes e corretores. 

Com isso, a Polícia Civil conseguiu cumprir todos os mandados de prisão preventiva, além das 34 ordens de busca e apreensão e 9 conduções coercitivas, expedidos pela Vara do Crime Organizado (7ª Vara) de Cuiabá. Os mandados foram cumpridos nas cidades Cuiabá, Várzea Grande, Campo Verde, Rondonópolis, Sorriso, Barra do Garças e Indaiatuba (SP), São Paulo (SP).

Impacto financeiro

A investigação, conduzida pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), apurou que as fraudes na comercilização de grãos como (como milho, algodão, feijão, soja, arroz, milho, sorgo, painço, capim, girassol e niger) sonegou mais de R$ 140 milhões em ICMS. Ao todo foram movimentados 2,1 bilhões desde o ano de 2012, por 30 empresas fantasmas.

Conforme a Sefaz autuava as irregularidades, as empresas iam fechando e os proprietários criavam novas empresas em nome de outras pessoas, os chamados "laranjas". 

Todos os alvos tiveram R$ 100 mil bloqueados das contas bancárias, um total de mais de R$1 bilhão bloqueado. Além disso, o registro das empresas também foram bloqueados pela Secretaria de Fazenda (Sefaz) para impedir que continuem operando. Foram identificadas 30 empresas "fantasmas" que articulavam a venda de grãos (como milho, algodão, feijão, soja, arroz, milho, sorgo, painço, capim, girassol e niger).

O inquérito policial foi instaurado no dia 9 de fevereiro deste ano, após informações encaminhadas pela equipe técnica da Sefaz, para apurar suposta organização criminosa, que mediante documentos ideologicamente falsos e articulada para a comercialização de grãos, estava promovendo a sonegação de ICMS, gerando enorme dano aos cofres públicos do Estado de Mato Grosso. A operação foi denominada de "Crédito Podre".

Divulgação/PJC-MT

Alvos que tiveram mandados de prisão expedidos.
Divulgação/PJC-MT

Alvos que tiveram mandados de condução coercitiva.

 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 23 de janeiro de 2018

11:17 - Juiz torna réus 18 acusados de sonegar R$ 140 milhões de ICMS

Quinta, 07 de dezembro de 2017

07:47 - Operação da Polícia Civil desmonta esquema de sonegação de ICMS em MT


// leia também

Sexta, 20 de abril de 2018

13:59 - Brasil terá perda de 30% nas exportações de frango para a Europa

13:54 - Brasil abre 56 mil vagas de trabalho com carteira assinada em março

10:07 - Governo abre processo contra Oi Móvel por infrações ao consumidor

09:55 - Liberar FGTS teria impacto de R$ 25 bilhões

08:16 - Ampliar saque do PIS/Pasep está dentro de projeção, diz Dyogo Oliveira

Quinta, 19 de abril de 2018

17:30 - PIB deve crescer 3% em 2018 e 3% em 2019, mesmo sem reformas

17:06 - Construção corta 2,3 mil vagas de trabalho em fevereiro

17:04 - Dólar volta a subir por conta de cenário externo

15:05 - União Europeia proíbe importação de aves de 20 frigoríficos do Brasil

14:09 - União arrecada R$ 22,456 milhões com venda de imóveis em Brasília


 veja mais
Cuiabá, Sábado, 21/04/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Sábado, 21/04/2018
2c5b9f564ba4b43891053024cd08f036 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Candidatos poderão arrecadar recursos para campanha em financiamento coletivo




Logo_classifacil









Loja Virtual