Embraer sobe 4% com proposta de criar nova empresa em parceria com a Boeing | Gazeta Digital

Sábado, 03 de fevereiro de 2018, 12h30

Embraer sobe 4% com proposta de criar nova empresa em parceria com a Boeing


Estadao

A Boeing apresentou na sexta-feira, 2, ao governo brasileiro a proposta de criar uma terceira empresa para unir as operações de aviação comercial com a Embraer, segundo fontes de mercado. O negócio de defesa da Embraer, segmento que o Brasil considera estratégico, ficaria de fora dessa estrutura. A expectativa de que isso poderia facilitar o fechamento do negócio entre a fabricante nacional e a gigante americana fez os papéis da Embraer dispararem ontem na Bolsa paulista.

A intenção de criar uma terceira empresa foi apresentada a autoridades federais, mas ainda não houve decisão sobre a proposta, disseram fontes. A discussão foi antecipada jornal O Globo. Com a notícia, porém, a ação ordinária ON da fabricante brasileira registrou a maior alta de ontem da B3, de 4,41%, fechando a R$ 22,72. O resultado foi obtido mesmo em um dia negativo para o principal índice da Bolsa paulista, o Ibovespa, que fechou em baixa de 1,7%.

A criação de uma empresa voltada apenas à aviação comercial contemplaria o principal interesse da americana na Embraer - os jatos de médio porte para voos regionais. O movimento da americana seria uma resposta à franco-alemã Airbus, que anunciou a compra de uma fatia majoritária do projeto C-Series, da canadense Bombardier, que concorre diretamente com os E-Jets, da Embraer.

Com a nova proposta, o comitê criado pelo governo para avaliar o negócio vai decidir se os interesses de defesa do Brasil estarão protegidos. A primeira avaliação, porém, parece positiva. Uma das pessoas que acompanham o tema disse que, para o governo, o mais importante é excluir a área militar do acordo.

Essa decisão é decorrente do receio que futuras decisões estratégicas para a área de defesa da Embraer tenham de passar pelo crivo dos Estados Unidos. Esse é o risco de a Boeing eventualmente participar do controle de toda a Embraer.

Uma das fontes ouvidas pelo Estado aponta que o governo brasileiro avalia apenas questões protegidas pela chamada golden share - ação que dá ao Planalto poder de veto a decisões estratégicas da empresa. A negociação comercial não é preocupação do governo brasileiro.
Em relação ao assunto, há a percepção em Brasília de que a Boeing ‘tem mais pressa para fechar o negócio que o governo‘. Como o Estado antecipou na semana passada, executivos da Boeing gostariam de concluir as negociações para evitar que o negócio seja tema das eleições presidenciais.

Reação

A divulgação do eventual novo desenho do negócio levou a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a questionar a Embraer. Ontem, a fabricante de aeronaves divulgou um comunicado afirmando que ‘as partes envolvidas ainda estão analisando possibilidades de viabilização de uma combinação de outros negócios, que poderão incluir a criação de outras sociedades‘.

‘Quando e se definida a estrutura para combinação de negócios, sua eventual implementação estará sujeita à aprovação não somente do governo brasileiro, mas também de órgãos reguladores nacionais e internacionais e dos órgãos societários das duas companhias‘, informou a gigante brasileira.

Procurada pela reportagem, a Boeing não quis comentar o assunto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sexta, 23 de fevereiro de 2018

15:06 - Quatro bancos brasileiros acumularam lucro de R$ 57,6 bilhões em 2017

Quinta, 22 de fevereiro de 2018

15:20 - Corte de R$ 14 bilhões no orçamento é apenas a ponta do iceberg

15:11 - Clientes do Banco do Brasil poderão fazer transações pelo Facebook

Quarta, 21 de fevereiro de 2018

14:58 - Poupança ocupam a segunda opção na preferência por investimentos

14:18 - Varejo e private somam R$ 2,66 trilhões em 2017, revela Anbima

Terça, 20 de fevereiro de 2018

14:55 - Índices apontam retomada do crescimento econômico, diz FGV

Segunda, 19 de fevereiro de 2018

14:16 - Juízes ganham R$ 211 milhões com 'auxílios' atrasados

Quinta, 15 de fevereiro de 2018

17:30 - União pagou em janeiro R$ 118,95 mi de dívidas em atraso do RJ, diz Tesouro

15:36 - Supremo homologa última ação sobre acordo entre bancos e poupadores

15:29 - Cresce 4% expectativa do brasileiro na recuperação da economia


// leia também

Sábado, 24 de fevereiro de 2018

10:54 - Após 2 anos de queda, consumo de energia em SP fecha 2017 em alta de 1,9%

10:21 - Receita vai exigir mais dados sobre bens na declaração do IR

Sexta, 23 de fevereiro de 2018

18:30 - É possível que reforma da Previdência fique para 2019, admite Meirelles

17:35 - Cerca de 43% dos municípios ainda não prestaram contas de gastos com educação

15:38 - Contribuintes podem quitar IPVA sem juros e multas até dia 28

14:16 - Receita exigirá mais informações do contribuinte na declaração de 2019

11:43 - País tem 2,786 milhões de pessoas buscando trabalho há 2 anos ou mais, diz IBGE

09:35 - Demonstrativo de rendimentos já está disponível no site do INSS

09:14 - Pesquisa do IBGE mostra que 26,3 milhões de pessoas estão sem emprego

Quinta, 22 de fevereiro de 2018

21:58 - CMN aumenta teto de financiamento para produtores de baixa renda comprarem terra


 veja mais
Cuiabá, Sábado, 24/02/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Sábado, 24/02/2018
116961967de356eee6ddd02c7d0c8fb3 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Lei municipal permite que ruas sem saída em Cuiabá sejam fechadas por moradores




Logo_classifacil









Loja Virtual