Relatório confirma tentativa de Putin de ajudar Trump | Gazeta Digital

Sábado, 07 de janeiro de 2017, 09h43

Eleição americana

Relatório confirma tentativa de Putin de ajudar Trump


R7

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, "ordenou" uma campanha para tentar influenciar o resultado da eleição de 8 de novembro nos Estados Unidos. É o que diz o relatório da Inteligência Nacional sobre o caso, cuja versão "não confidencial" foi divulgada nesta sexta-feira (6). As informações são da Agência Ansa.

Confirmando o que já havia sido dito pela CIA (Agência Central de Inteligência) nas últimas semanas, o objetivo do Kremlin era ajudar o republicano Donald Trump a derrotar a democrata Hillary Clinton. Contudo, apesar de o magnata ter sido eleito, o relatório afirma que a ação patrocinada por Moscou não alterou o resultado das urnas.

Os serviços de inteligência dos Estados Unidos alegam que hackers russos, com a anuência do presidente Vladimir Putin, invadiram os computadores do Partido Democrata e repassaram as informações obtidas ao site WikiLeaks, de Julian Assange. Esses dados continham e-mails que indicavam um suposto favorecimento da legenda a Hillary nas primárias.

O caso levou à expulsão de 35 diplomatas russos acusados de espionagem pelo presidente Barack Obama. Para o magnata republicano, trata-se de uma "caça às bruxas" realizada pelos seus adversários, que estão "envergonhados" por terem perdido a eleição.

"Os ataques [cibernéticos] não tiveram absolutamente nenhum efeito sobre o resultado da votação", declarou Trump, ecoando a conclusão apresentada pela Inteligência Nacional. O presidente eleito teve sua vitória ratificada pelo Congresso, em sessão conjunta, nesta sexta-feira.

Essa era a última etapa formal antes da posse do republicano e de seu vice, Mike Pence, marcada para o próximo dia 20. O magnata recebeu 304 votos no colégio eleitoral, contra 227 de Hillary, embora a democrata tenha vencido na votação popular (48% a 46%).

A discrepância nos resultados ocorre porque a eleição para presidente dos EUA é indireta. Como Trump faturou estados importantes e com muitos delegados, incluindo Wisconsin, Michigan e Pensilvânia, acabou superando a rival.
 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Quarta, 13 de dezembro de 2017

15:27 - Em reunião, UE deve isolar Trump sobre crise em Jerusalém

14:59 - Coreia do Norte é acusada de roubar bitcoins em ataque hacker

10:12 - México proíbe Odebrecht de obter contratos públicos no país por quatro anos

10:09 - Israel bombardeia postos do Hamas em Gaza após lançamento de mísseis

Terça, 12 de dezembro de 2017

15:06 - Banco Mundial deixará de financiar exploração de gás e petróleo depois de 2019

14:53 - Dicionário norte-americano elege 'feminismo' como a palavra do ano

11:36 - Explosão em usina de gás natural na Áustria mata 1 e fere 18

09:41 - Embaixador dos EUA no Reino Unido diz esperar visita de Trump no próximo ano

09:34 - Mortes violentas na Venezuela superam as de países em guerra

Segunda, 11 de dezembro de 2017

14:25 - Reforma tributária nos EUA pode distorcer o comércio internacional


 veja mais
Cuiabá, Quarta, 13/12/2017
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Quarta, 13/12/2017
4d4ff3f31814f4dd069405738f837313 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Vereadores de Cuiabá criaram o 13º salário para si mesmos




Logo_classifacil









Loja Virtual