Sábado, 07 de janeiro de 2017, 09h43

Eleição americana

Relatório confirma tentativa de Putin de ajudar Trump


R7

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, "ordenou" uma campanha para tentar influenciar o resultado da eleição de 8 de novembro nos Estados Unidos. É o que diz o relatório da Inteligência Nacional sobre o caso, cuja versão "não confidencial" foi divulgada nesta sexta-feira (6). As informações são da Agência Ansa.

Confirmando o que já havia sido dito pela CIA (Agência Central de Inteligência) nas últimas semanas, o objetivo do Kremlin era ajudar o republicano Donald Trump a derrotar a democrata Hillary Clinton. Contudo, apesar de o magnata ter sido eleito, o relatório afirma que a ação patrocinada por Moscou não alterou o resultado das urnas.

Os serviços de inteligência dos Estados Unidos alegam que hackers russos, com a anuência do presidente Vladimir Putin, invadiram os computadores do Partido Democrata e repassaram as informações obtidas ao site WikiLeaks, de Julian Assange. Esses dados continham e-mails que indicavam um suposto favorecimento da legenda a Hillary nas primárias.

O caso levou à expulsão de 35 diplomatas russos acusados de espionagem pelo presidente Barack Obama. Para o magnata republicano, trata-se de uma "caça às bruxas" realizada pelos seus adversários, que estão "envergonhados" por terem perdido a eleição.

"Os ataques [cibernéticos] não tiveram absolutamente nenhum efeito sobre o resultado da votação", declarou Trump, ecoando a conclusão apresentada pela Inteligência Nacional. O presidente eleito teve sua vitória ratificada pelo Congresso, em sessão conjunta, nesta sexta-feira.

Essa era a última etapa formal antes da posse do republicano e de seu vice, Mike Pence, marcada para o próximo dia 20. O magnata recebeu 304 votos no colégio eleitoral, contra 227 de Hillary, embora a democrata tenha vencido na votação popular (48% a 46%).

A discrepância nos resultados ocorre porque a eleição para presidente dos EUA é indireta. Como Trump faturou estados importantes e com muitos delegados, incluindo Wisconsin, Michigan e Pensilvânia, acabou superando a rival.
 



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Sexta, 24 de fevereiro de 2017

16:53 - Casa Branca proíbe entrada de CNN, New York Times e outros veículos

16:05 - Smurfs se juntam à ONU na promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

16:02 - China diz que questão nuclear da Coreia do Norte é problema dos EUA

11:17 - Campanha global declara guerra a plásticos nos oceanos

11:16 - Atentado com carro-bomba mata pelo menos 42 pessoas na Síria

Quinta, 23 de fevereiro de 2017

15:02 - Candidato independente de 39 anos pode vencer eleição presidencial na França

12:09 - 14 mil são obrigados a se retirar de suas casas na Califórnia

12:01 - Conselho Eleitoral confirma segundo turno no Equador

11:07 - Trump anula norma que permitia transgênero escolher banheiro

Quarta, 22 de fevereiro de 2017

17:21 - Governo Trump vai abandonar regra de Obama sobre banheiro para transgêneros


 veja mais
Cuiabá, Sexta, 24/02/2017
 

WhatsApp Twuitter
WhatsApp

Fogo Cruzado waze

titulo_jornal Sexta, 24/02/2017
A62e5578094d90cd223922c882d8cb18 anteriores




Rádios ao vivo
  • cbn
  • cbn
Indicadores Financeiros
Dólar Comercial 3,0656 -0,12%
Ouro - BM&F (à vista) 122,40 +0,66%
+ veja mais
Mercado Agropecuário
Boi Gordo @ 126,00
Soja - saca 60 kg 64,50
+ veja mais
Mais Lidas Enquete

Reforma trabalhista prevê que patrões e empregados poderão negociar a jornada de trabalho, desde que não exceda 220h/mês. Qual sua opinião?



Logo_classifacil