Empregos informais representam mais de 60% das vagas em todo o mundo | Gazeta Digital

Segunda, 30 de abril de 2018, 19h00

Empregos informais representam mais de 60% das vagas em todo o mundo


Agência Brasil

Os empregos informais já representam mais de 60% das vagas em todo o mundo. A conclusão está no relatório Mulheres e homens na economia informal, divulgado hoje (30) pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). No total, são mais de 2ábilhões de pessoas sem contratos fixos ou carteiras assinadas. Os dados não consideramápessoas fora do mercado de trabalho.

A informalidade se altera fortemente quando observadas as condições socioeconômicas dos países. Enquanto nas economias mais ricas, a média de vagas informais fica em 18,3%, nas em desenvolvimento e de menor renda o índiceásalta para 79%. Ou seja, um trabalhador vivendo em uma nação com economias mais frágeis temáquatro vezes mais chances de ficar em um posto informal do que aqueles em áreas com melhores indicadores.

A presença do trabalho informaláé maior na África (71,9%), seguida de Ásia e Pacífico (60%), Américas (40%) e Europa e Ásia Central (25%). Na América Latina, o índice fica em 53%.

Nas zonasárurais, o emprego informalárepresenta 80% do total, quase o dobro do índice verificado nas regiões urbanas (43,7%). Na agricultura, chega a atingir 93,6% dos trabalhadores, enquanto na indústria e nos serviços os percentuais caem, respectivamente, para 57,2% e 47,2%. A informalidade está vinculada também a determinadas modalidades de contratação. O fenômeno é mais comum em vagas de tempo parcial (44%), temporárias (60%) e na combinação dessas duas características (64%). Já em atividades de tempo integral, o índice cai para 15,7%.

‘Evidências mostram que a maioria das pessoas entram na economia informal não por escolha, mas como uma consequência da falta de oportunidades na economia formal e na ausência de meios de subsistência‘, destaca a pesquisa.

Gênero, idade e formação

No recorte porágênero, a informalidade atinge mais homens (63%) do que mulheres (58%). Entretanto, em mais da metade dos países pesquisados a ocorrência do problema é maior entre o sexo feminino do que entre oámasculino.

A presença é maior na África (71,9%), seguida de Ásia e Pacífico (60%), Américas (40%) e Europa e Ásia Central (25%). Na América Latina, o índice fica em 53%.

Já na análise por faixa etária, o trabalho informal é mais comum entre jovens (77%) e idosos (78%). Nas pessoas com idades entre 35 e 54 anos, o índice cai para 55%.áO estudo também avaliou como a educação formal se relaciona com a informalidade. Quanto maior a escolaridade, maior o percentual de trabalho formal, e vice-versa. Enquanto metade das pessoas nos postos informais não tem educação formal ou não ultrapassaram o nível primário, apenas 7% tem um grau de formação elevado.

Impactos e saídas

Na avaliação da OIT, a informalidade traz como consequências a má qualidade do trabalho, a queda de rendimentos e proteções sociais aos trabalhadores. Mas também tem impactos no conjunto da economia, minando a sustentabilidade das empresas, tensionando negativamente a produtividade e afetando as arrecadações dos governos.

A OIT destaca que a transição para a prevalência da economia formal é uma meta estabelecida em diversos fóruns internacionais, como a Conferência Internacional do Trabalho (2015) e a Agenda 2030 pelo Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Este é um objetivo estratégico da organização na promoção do trabalho decente.

Uma primeira tarefa apontada pela organização é qualificar o monitoramento da informalidade, muitas vezes não captada de forma adequada pelas estatísticas governamentais. A OIT aponta que um retrato mais fiel do fenômeno permite compreendê-lo na sua diversidade, uma vez que a informalidade varia de país a país e entre condições específicas nos variados recortes (gênero, classe e idade, entre outros).

O enfrentamento deste quadro, recomenda a OIT, passa por facilitar a transição para postos formais, garantindo direitos e seguridade social; promover a sustentabilidade de empresas que oferecem vagas de qualidade; e prevenir processos que sirvam como vetores de estímulo ao crescimento de empregos informais. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sexta, 18 de maio de 2018

14:35 - Brasil criou 115,8 mil empregos em abril, anuncia Temer

Terça, 15 de maio de 2018

11:00 - Central de Emprego

Quarta, 09 de maio de 2018

17:15 - Ministro aposta em geração de emprego em 2018, mesmo com cenário pior

Sábado, 28 de abril de 2018

09:05 - Analistas já revisam para baixo projeções para emprego em 2018

Segunda, 09 de abril de 2018

18:33 - Medo do desemprego diminui no primeiro trimestre, revela pesquisa da CNI

Sexta, 23 de março de 2018

19:23 - Empregos formais têm melhor 1º bimestre desde 2014

18:00 - SC, MT e MS lideraram criação de empregos em fevereiro

Quinta, 22 de março de 2018

14:13 - Podemos ter 94 milhões de pessoas trabalhando no fim de 2018, diz Meirelles

Segunda, 05 de março de 2018

16:35 - Sine Municipal divulga oportunidades de empregos para esta semana

Sexta, 02 de março de 2018

09:19 - País abre 77,8 mil vagas formais em janeiro, melhor resultado desde 2012


// leia também

Segunda, 21 de maio de 2018

10:33 - Brasil e mais 13 países não reconhecem resultado das eleições na Venezuela

09:51 - Paraguai inaugura embaixada em Jerusalém, seguindo decisão de EUA e Guatemala

09:36 - Maduro vence eleição em que menos da metade votou; opositor denuncia fraude

Domingo, 20 de maio de 2018

14:00 - Sobe para 21 número de casos confirmados de ebola no Congo

12:30 - Guerra comercial com China está 'em suspenso', mas pode haver tarifas, dizem EUA

11:36 - Sobe para 13 o número de feridos em tiroteio em escola no Texas

10:38 - Não foi encontrado qualquer sinal de conluio com Rússia na campanha, diz Trump

10:10 - Venezuela escolhe presidente em meio a crise e boicote da oposição

Sábado, 19 de maio de 2018

16:30 - Ministro de Saúde Pública confirma três novos casos de Ebola no Congo

15:00 - Coreia do Norte exige retorno de 12 garçonetes que foram para o Sul em 2016


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 21/05/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 21/05/2018
D1f041d7a04ba04c4ffc9a628f06da54 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Projeto reconhece como família união entre pessoas independente do gênero




Logo_classifacil









Loja Virtual