Polícia de Maringá investiga venda de bebê por R$ 1,6 mil | Gazeta Digital

Sexta, 19 de maio de 2017, 15h27

BRASIL

Polícia de Maringá investiga venda de bebê por R$ 1,6 mil


R7

A Polícia Civil de Maringá, na região noroeste do Paraná, abriu um inquérito para investigar a venda de um bebê recém-nascido em Sarandi, município da Região Metropolitana.

Um denunciante anônimo de Sarandi entrou em contato com a Polícia Militar e com o Conselho Tutelar na quinta-feira (18), informando que uma mulher da cidade teria vendido o filho por R$ 1,6 mil.

O Conselho Tutelar foi até o endereço passado na denúncia e conversou com a mãe. Ela confirmou ter parido recentemente, mas disse que a criança foi raptada na saída da maternidade por um casal. “O que é estranho é que ela teve alta do hospital há dois dias e ainda não tinha registrado nenhum boletim de ocorrência do rapto”, disse o coordenador institucional do Conselho Tutelar de Maringá, Carlos Bonfim.

De acordo com Bonfim, a mulher de 22 anos deu à luz um menino na última segunda-feira (15), na Santa Casa de Maringá. Mesmo sendo moradora de Sarandi, no cadastro do hospital ela deu um endereço de Maringá.

No endereço fornecido no cadastro, uma pessoa que não está envolvida no caso disse que conhecia o casal que estava com um bebê recém-nascido, e a Polícia conseguiu localizar o homem de 44 anos e a esposa dele, de 42.

Na quinta-feira, a Polícia Civil de Maringá reuniu todos os envolvidos na delegacia, e os três negaram que a venda do bebê. Porém, cada um deles apresentou uma versão diferente para o caso.

O homem de 44 anos afirma que a mãe do menino teria dito que ele é o pai e, por não ter condições de criar o bebê, pediu para que ele ficasse com o menino. Ele disse ainda não ter certeza de que o bebê é seu filho e que pretende fazer um exame de DNA. Antes disso, no entanto, ele havia afirmado que era mesmo o pai da criança.

A mãe biológica disse que o homem não é pai do menino e manteve a versão de que teve o filho roubado na maternidade. 

Segundo o Conselho Tutelar, a mulher do suposto pai, se apresentou no hospital como tia da mãe e foi sua acompanhante durante o parto. Ela disse à polícia que ajudava a mulher com alimentos e dinheiro durante a gestação e afirmou ainda, que a mãe do bebê pediu para que ela e o marido cuidassem da criança depois do nascimento.

A Polícia Civil já solicitou a realização de exame de DNA. Depois de prestar depoimento, os três envolvidos foram liberados. Já o bebê, que está com quatro dias de vida, está em um abrigo de Maringá e aguarda o desfecho do caso.



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sexta, 05 de maio de 2017

08:09 - Ex-prefeito vira réu por desviar cilindro de hospital para tomar cerveja

Quinta, 06 de abril de 2017

08:27 - Polícia Federal deflagra Operação Bagre contra tráfico de drogas no Paraná

Quarta, 29 de março de 2017

08:53 - Criança de 11 anos é estuprada e engravida em cidade do Paraná

Quarta, 15 de fevereiro de 2017

11:40 - Operação Research investiga fraudes em bolsas de estudo da Federal do Paraná

Quinta, 13 de outubro de 2016

17:44 - Estudantes já ocupam 285 colégios no Paraná


// leia também

Sábado, 27 de maio de 2017

17:32 - Vítima de acidente na Sapucaí no carnaval piora e está em estado grave

15:30 - Presidente do IBGE assumirá o BNDES após saída de Maria Silvia

14:28 - Conheça as regras para drones, aeromodelos e balões no Brasil

14:27 - Chuvas fortes provocam quatro mortes em Maceió

14:20 - Parques de São Paulo ganham usina solar

13:17 - Crime organizado muda estratégia para abastecer usuários de crack

09:31 - Dobra número de usuários de crack na Princesa Isabel

08:55 - Justiça autoriza Prefeitura a apreender usuário da Cracolândia para avaliação

08:34 - Governo paraense afasta 29 policiais envolvidos em chacina - Veja vídeo

Sexta, 26 de maio de 2017

16:08 - Idosa de 84 anos é agredida pelo próprio filho no Maranhão


 veja mais
Cuiabá, Sábado, 27/05/2017
 

GD Empregos

WhatsApp Twuitter
WhatsApp

Fogo Cruzado waze

titulo_jornal Sábado, 27/05/2017
A15215da12928356f3b205355fe27350 anteriores




Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

O que o poder público deve fazer para acabar com áreas conhecidas como cracolândias nas cidades?



Logo_classifacil









Loja Virtual