Câmara dos Deputados aprova punição maior para estupro coletivo | Gazeta Digital

Quinta, 08 de março de 2018, 09h10

Brasil

Câmara dos Deputados aprova punição maior para estupro coletivo


Estadao

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira, 7, um projeto que promove mudanças no Código Penal para aumentar a punição para estupro coletivo e tipificar o crime de "importunação sexual", conhecido pelo assédio sexual em espaço público. O projeto integra a pauta da bancada feminina na semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher. A matéria seguirá para o Senado.

Impactados pelos casos de constrangimento de mulheres em transportes coletivos, os deputados incluíram na legislação o tipo penal "importunação sexual", que consiste em praticar, sem a anuência, o ato libidinoso com o objetivo de satisfazer o assediador. O projeto prevê pena de reclusão de um a cinco anos.

"Embora qualquer pessoa possa ser sujeito ativo dessa prática, esse tipo de constrangimento covarde geralmente é cometido por homens, tendo como vítimas as mulheres. O projeto preenche uma lacuna no Código Penal e dará mais segurança às mulheres", disse a deputada Maria do Rosário (PT-RS).

Wilson Dias/Agência Brasil

O projeto também tipifica como crime a divulgação de cena de estupro ou que faça apologia que induza a prática. Também foi incluído no projeto a propagação de cena de sexo, nudez ou pornografia sem o consentimento da vítima. A pena prevista para esses casos é de um a cinco anos de prisão.

Nestes casos, a pena será aumentada em dois terços se o crime for praticado por alguém que mantém ou tenha mantido relação íntima com a vítima, ou com objetivo de vingança ou humilhação. O texto diz que não haverá crime se a divulgação for de natureza jornalística, científica, cultural ou acadêmica, desde que não haja identificação da vítima, se ela for maior de 18 anos e autorizar a divulgação.

O induzimento ou instigação do crime contra a dignidade sexual também passa a ser tipificado no projeto, com pena de um a três anos de prisão. "É um projeto que inova no Código Penal. É uma legislação moderna, atual proporcional", disse o deputado Marcos Rogério (DEM-RR).

Estupro

A proposta aprovada nesta quarta endurece a punição para o estupro coletivo e o chamado "estupro corretivo" - termo usado para denominar situações onde o agressor abusa sexualmente da vítima com o objetivo de "corrigir" seu comportamento sexual. Nestes casos, a pena será aumentada em um terço. Nos casos de estupro corretivo, a pena é acrescida em metade se o agente é parente, tutor, empregador da vítima ou pessoa que exerça autoridade sobre a vítima. Hoje, a pena para casos de estupro varia de seis a 10 anos de prisão e estupro de vulnerável varia de oito a 15 anos de reclusão.

Os deputados também acrescentaram ao projeto o aumento de pena de metade a dois terços se o estupro causar gravidez e de um terço a dois terços se o estuprador transmitir doença sexualmente transmissível, abusar de vítima idosa ou pessoa com deficiência. O texto garante que uma vez denunciado o crime, a ação penal pública seguirá independente da vontade da vítima. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Quinta, 08 de março de 2018

16:07 - Greve e protestos marcam Dia Internacional da Mulher pelo mundo

14:50 - Homens de MT se negam a lavar louça, denunciam mulheres no 8M

13:55 - Não queremos flor, queremos respeito e mais amor

11:38 - Uma em cada 4 mulheres de SP já sofreu assédio no transporte coletivo

11:37 - Baixa presença feminina na Câmara põe Brasil em 152º lugar entre 190 países

11:31 - Temer pede que mulheres olhem a Constituição para defender igualdade de direitos

10:18 - Jornal francês vende edição mais cara para homens no 8 de março

09:52 - Clube vê mulheres como cifrão, e não como torcedoras, afirma associação

09:14 - Maria da Penha; pena para quem descumprir restrições é aprovada

07:20 - 8 de Março amanhece sob protesto de mulheres em MT


// leia também

Domingo, 17 de junho de 2018

15:13 - Menina Vitória Gabrielly é enterrada no município de Araçariguama

09:58 - Ministério da Saúde tenta identificar origem de surto de toxoplasmose

09:46 - Após intervenção, número de tiroteios cresceu 36% no RJ

Sábado, 16 de junho de 2018

17:00 - Brasil é país mais preocupado com notícias falsas, diz estudo global

16:30 - Cai percentual de estudantes que querem ser professores, diz OCDE

16:00 - Associação critica projetos para rádios comunitárias

14:00 - Atlas liga violência a indicadores sociais

09:09 - Jungmann sugere que intervenção continue por mais um ano no RJ

09:03 - Itamaraty acompanha casos de crianças separadas dos pais nos EUA

Sexta, 15 de junho de 2018

13:10 - Metade dos homicídios no Brasil ficou concentrada em 123 cidades em 2016


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 18/06/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 18/06/2018
4e47432e5d7c10f8cc440c97a233c10f anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Canarinho Pistola, mascote da seleção brasileira, foi vetado dos jogos da Copa




Logo_classifacil









Loja Virtual