Gazeta Digital

Agentes penitenciários cruzam os braços para pressionar governo


Otmar de Oliveira/Arquivo

Os agentes penitenciários de Mato Grosso vão paralisar parte das atividades do sistema prisional por 72 horas, nos dias 25, 26 e 27 deste mês. Durante o movimento os servidores prestarão apenas os serviços básicos como soltura, prisão, segurança, alimentação e assistência médica.

A greve foi aprovada no último dia (18) durante assembleia geral. Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Mato Grosso (Sindspen-MT), João Batista Pereira de Souza, o movimento cobra o cumprimento da negociação feita com o Governo.

“Nada do que foi negociado com o governo, ainda em dezembro do ano passado, foi cumprido pelo Estado. Já estamos há 5 meses de 2018 e nenhum candidato foi convocado, o auxílio fardamento eles dizem que não é possível cumprir, agora estão jogando tudo para a PEC do Teto. O Governo está utilizando tudo isso para não cumprir o que foi acordado”, declara Batista.

Entre as reivindicações dos servidores estão o reajuste do adicional de insalubridade, extinção do cargo de assistente penitenciário, auxilio fardamento, isenção de ICMS na aquisição de armamento, quebra de interstício para progressão de nível e aproveitamento de tempo de serviço no executivo, concurso público.

“O governo fez pouco caso das demandas, não tomou nenhuma providência seja nos itens que necessitam de recurso ou apenas de vontade política”, pontua o presidente da Sindspen ao afirmar que a paralisação será aderida pelos mais de 2,4 mil servidores em Mato Grosso.

Durante a greve as visitas, banho de sol, transferência de presos e atendimentos a oficiais de Justiça, advogados e assistência penal estarão suspensos.

Por meio de nota a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) afirmou tomar as medidas cabíveis em relação a greve, que declara não ser justificável em razão de as pautas já estar em andamento, e ainda ressaltou que o movimento causa estranheza à gestão, por alegar sempre estar de “portas abertas” para debates da categoria.

Veja nota da Sejudh na íntegra

PARALISAÇÃO SISPEN - 21.05.2018

Em relação à paralisação anunciada pelo Sindicato dos Servidores do Sistema Penitenciário para esta semana, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos informa que está tomando as medidas cabíveis, pois entende que as pautas alegadas estão em andamento não se justificando, portanto, a realização do movimento paredista.

As portas da secretaria sempre estiveram abertas para debate das demandas da categoria e por isso, tal movimento causa estranheza à gestão da Sejudh.

Cuiabá, Segunda, 21/05/2018
 

Facebook Instagram


Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 21/05/2018
D1f041d7a04ba04c4ffc9a628f06da54 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Projeto reconhece como família união entre pessoas independente do gênero




Logo_classifacil









Loja Virtual