Ministério Público Federal pede proibição | Gazeta Digital

Quinta, 22 de setembro de 2016, 08h24

'correntão'

Ministério Público Federal pede proibição

Keka Werneck, repórter de A Gazeta


O Ministério Público Federal em Mato Grosso (MPF) ajuizou ação civil pública, nesta quarta-feira (21), contra o Estado de Mato Grosso, tendo como alvo a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), pedindo a proibição da técnica de desmatamento chamada informalmente de “correntão”, usada na abertura e limpeza de áreas rurais.

O “correntão”, que era proibido em Mato Grosso, foi legalizado com o voto da maioria dos deputados da Assembleia Legislativa, em julho deste ano. Entidades de defesa do meio ambiente lamentaram a decisão, alegando que esta agressiva forma de desmatar coloca em risco animais e plantas.

Na ação, o MPF requer a adoção de medidas necessárias a proteção da flora e fauna e, entre elas, está a proibição do “correntão”.

Requer ainda a declaração de inconstitucionalidade do Decreto Legislativo no 49/2016, editado pela Assembleia Legislativa, que sustou efeitos de Decreto Estadual que proibia o uso do “correntão”.

A técnica, aprovada pelos deputados, e criticada pelos ambientalistas, consiste no uso de uma corrente pesada, cujas extremidades são presas em dois tratores e, por onde a corrente é arrastada, derruba o que vier pela frente, até mesmo gramíneas, assim como árvores de porte gigantesco.

O MPF destaca que de acordo com Notas Técnicas elaboradas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o método permite a remoção da cobertura vegetal em velocidade superior a outros procedimentos, razão pela qual tornou-se muito popular em Mato Grosso.

Entretanto, causa danos irreparáveis a fauna e flora, em especial as ameaçadas de extinção; gera agravamento de processos erosivos do solo e ainda pode incentivar o desmatamento ilegal. “Resultando em um grave desequilíbrio ecológico que pode levar anos para ser recomposto”, diz trecho de uma das notas.

Diante da petição do MPF, a Sema reagiu emitindo nota, na qual alega que recebeu demanda do setor produtivo, em favor do “correntão”, mas que, antes do assunto ser devidamente discutido, a Assembleia Legislativa votou e aprovou a questão.

O projeto que legaliza o “correntão” é do deputado estadual Dilmar Dal’Bosco.

A notícia repercutiu internacionalmente, uma vez que o território de Mato Grosso está dentro dos limites da Amazônia Legal. 

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Sábado, 03 de fevereiro de 2018

10:35 - MP pede que Suzane faça 'teste do borrão' antes de decidir soltura

Quarta, 13 de dezembro de 2017

14:32 - IFMT deve publicar membros de banca nos seus concursos públicos

Quinta, 07 de dezembro de 2017

13:59 - Picciani recebeu R$ 11 milhões da Odebrecht, aponta denúncia

13:44 - MPF denuncia Picciani, Albertassi e Paulo Melo à Justiça

Sábado, 18 de novembro de 2017

17:26 - Ministério Público investiga desvio de R$ 200 milhões na PM paulista

Quinta, 16 de novembro de 2017

18:24 - Advogado de Picciani questiona decisão do TRF; MPF espera manutenção de prisão

Terça, 14 de novembro de 2017

14:04 - Raquel vai receber sugestões sobre resolução de Janot que dá superpoderes ao MP

Terça, 07 de novembro de 2017

17:31 - Conselho de Procuradores aprova documento contra PEC que dá autonomia à PF

Terça, 03 de outubro de 2017

16:25 - Justiça condena Bolsonaro por ofensas a quilombolas e negros

Terça, 26 de setembro de 2017

16:35 - Tribunal nega liberdade e mantém Aldemir Bendine atrás das grades


// leia também

Domingo, 15 de julho de 2018

12:42 - Morre engenheiro que ficou internado após cair de caminhonete em Cuiabá

12:06 - Jovem pilota moto sem habilitação, bate em ciclista e morre em Cuiabá

10:34 - Prefeitura abre inscrições para últimas unidades do residencial do Nico Baracat

10:23 - Homem morre atropelado por carreta e motorista foge sem prestar socorro

09:00 - Professora aposentada se dedica à medicina natural e popular há duas décadas

08:00 - Pessoas trans e travestis podem mudar nomes em cartórios de Cuiabá

07:41 - Bebê de 1 mês morre sufocado pela mãe durante o sono

00:11 - Bombeiros encontram corpo de adolescente que se afogou no Rio Verde

Sábado, 14 de julho de 2018

21:03 - Grupo de dança Flor Ribeirinha nega 'confusão' com a Polícia na Rússia

14:31 - Seja Digital participa do Viva Seu Bairro e agenda entrega de kits


 veja mais
Cuiabá, Domingo, 15/07/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Domingo, 15/07/2018
4c289a4d7ee1b93f3fa53b000a87f26a anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Trabalhadores seguem sendo encontrados em situação similar à escravidão




Logo_classifacil









Loja Virtual