Imagens aéreas mostram estragos após rompimento de barragens | Gazeta Digital

Quarta, 07 de fevereiro de 2018, 12h49

são josé do rio claro

Imagens aéreas mostram estragos após rompimento de barragens

Keka Werneck, repórter do GD


Após rompimento de 2 Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e 3 represas, instaladas dentro de propriedades rurais de 3 grupos agropecuários em São josé do Rio Claro (315 km a Médio-Norte de Cuiabá), equipe da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e da Defesa Civil estão na região, fazendo um levantamento in loco dos prejuízos econômicos, sentido pelos fazendeiros, e ambientais, causados pela força das águas.

Imagens aéreas, feitas com apoio da aeronave do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer), da Polícia Militar, na tarde desta terça-feira (6), impressionam e mostram que a tragédia poderia ter sido grande, a exemplo do que ocorreu em Mariana, Minhas Gerais, em 2015. O rompimento da barragem de mineração da Samarco destruiu o distrito mineiro de Bento Rodrigues, tomado pela lama, e matou 19 moradores.

Desastre em Mariana é o maior acidente mundial do século

               

Defesa Civil

Águas seguiram das barragens ao rio Arinos

Como trecho para onde a água escoou das barragens até o rio Arinos não é habitada, não houve feridos, desabrigados e nem pessoas mortas.

Os fazendeiros dos grupos plantadores de grãos Bom Futuro, Esplanada e Libra ainda não divulgaram os prejuízos materiais que tiveram e o que as águas destruíram.

As PCHs e represas que romperam ficam em fazendas de grãos e distribuíam energia ao sistema nacional. Sendo assim, o prejuízo dos empresários do campo pode ser tanto com as lavouras quanto com a suspensão da produção hidrelétrica.

Defesa Civil

Do ponto de vista ambiental, major Bruno Nascimento, que participou do sobrevoo à área atingida, já fala em mata ciliar alagada, com característas de cerrado de transição para floresta amazônica, e mortandade de animais. "É muito cedo para darmos uma noção exata dos danos ambientais", resume o major.

Sargento Wagner da Defesa Civil, que está em São José do Rio Claro, explica que uma equipe está descendo, nesta quarta-feira (7), de embarcação, o rio Arinos, para avaliar, até amanhã, se o manancial elevou de nível e se alguma comunidade ribeirinha mais adiante foi surpreendida com alagamentos.

Sema e Defesa Civil vistoriam barragens rompidas e apontam danos ambientais

O Gazeta Digital tentou falar com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), para saber qual é a avaliação dos fazedeiros mas não conseguiu contato até o fechamento desta matéria.

O prefeito de São José, Valdomiro Lachovicz, afirma que a situação está sob controle.

Mineração 

O órgão responsável pela fiscalização das barragens de mineração é o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Em 2016, o Ministério Público Federal também abriu procedimento para verificar a segurança de todas as instaladas em MT.

Barragens de MT estão sob investigação

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// matérias relacionadas

Terça, 06 de fevereiro de 2018

18:44 - Sema e Defesa Civil vistoriam barragens rompidas e apontam danos ambientais

Segunda, 05 de fevereiro de 2018

19:15 - Barragens de 3 hidrelétricas rompem e assustam população - veja vídeo


// leia também

Sábado, 24 de fevereiro de 2018

14:11 - Mais de 34 mil candidatos fazem prova do concurso de Várzea Grande neste domingo

13:11 - Semob prepara operação para clássico Fla-Flu neste sábado

10:45 - Especialista aponta 5 passos para evitar lesões durante atividade física

09:14 - Por obra de escola, indígenas mantêm engenheiro refém em aldeia

Sexta, 23 de fevereiro de 2018

18:12 - Chuva inunda ruas de bairro e Bombeiros são acionados - Veja vídeo

17:23 - Saúde fará contrato de R$ 30 milhões para compra de medicamentos

12:27 - Sesc Pantanal inaugura novo espaço para mobilizar jovens de Poconé

09:40 - Corpo de prematuro filho de bolivianos é repatriado

Quinta, 22 de fevereiro de 2018

16:55 - Prefeitura de VG e Estado entregam títulos definitivos de propriedade

15:52 - Ponto turístico tradicional, Mirante em Chapada é desapropriado


 veja mais
Cuiabá, Sábado, 24/02/2018
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Sábado, 24/02/2018
116961967de356eee6ddd02c7d0c8fb3 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Lei municipal permite que ruas sem saída em Cuiabá sejam fechadas por moradores




Logo_classifacil









Loja Virtual