Os beija-flores e a hospitalidade | Gazeta Digital

Quarta, 16 de dezembro de 2015, 00h00

Os beija-flores e a hospitalidade


O mundo se tornou inóspito. Não foi a natureza, foi à sociedade quem se poluiu. Veja o caso do vendaval de Mariana-MG, rolaram-se lamas, polui-se mais de oitocentos quilômetros do Rio Doce, que vai de Mariana, passando por Governador Valadares e se desembocando no mar de Espírito Santo. A mineradora causadora desse desastre foi uma empresa que faz parte da Vale do Rio Doce, privatizada para mãos que não hospeda o bem, mas sim procura hospedar apenas a avareza por dinheiro. Que se dane o meio ambiente. Para esses empresários o meio ambiente não deve hospedar ninguém, deve ser objeto de exploração em busca da riqueza. Para que fauna? Flora?
Caminhando aqui em Cuiabá, pelo Parque Mãe Bonifácia, há doze anos, temos notado a redução da fauna e flora, ali existentes. As cotias, macacos e pássaros estão se reduzindo em sua diversidade! O que se vê ali são motos e carros com seus escapamentos poluentes, logo pela manhã, contrariando a vontade de quem ali caminha em busca de ar puro, benéficos para a saúde! Nem o lindo beija-flor não se vê nestas paragens de área verde! No tempo em que o criador do Parque Mãe Bonifácia - o governador Dante de Oliveira - os policiais faziam a vigilância usando como veículo a bicicleta: muito mais salutar para os frequentadores do parque, bem como para os próprios policiais.
Falando em beija-flor, não mais o vejo no Parque Mãe Bonifácia, mas tenho um encontro marcado quase todos os dias em minha residência. Quando abro a janela, logo cedo, antes de sair para a caminhada, dou de cara com ele: o suave beija-flor! É uma higiene mental maravilhosa. Penso e às vezes entro em transe, e digo que maravilha meu Deus! Mas como é lindo esse danadinho! ... A leveza de seu bater de asas já deve ter impressionado os cientistas mais estudiosos. Eles pairam no ar enquanto sorvem o pólen das flores! Aqui no Brasil tivemos um folclórico jogador de futebol - o Dadá Maravilha -, que jogou nos maiores times de futebol do Brasil: Atlético Mineiro, Internacional e Flamengo. Este dizia que quem pairava no ar era só ele e o beija-flor.
Quando assistimos a tragédia da barragem que rompeu em Minas Gerais, obra diabólica do capitalismo selvagem, em que desamparou milhares de pessoas. Pensamos: São os paradoxos e mistérios da natureza contrastando-se com as mãos destruidoras do homem! Quanta diversidade... Enquanto uns nascem para beija-flores, outros provocam desastres e nos faz respirar dióxido de carbono e nos faz beber água contaminada por excesso de ferro, chumbo e mercúrio. São homens que visam encher a sua conta bancária e nos tratam como se fossemos carniça.
Mas, a vida continua com seus paradoxos na natureza, na política, hospedando e alimentando a consciência do efêmero e do infinito, nos dando a certeza que nem tudo são beija-flores, pois há pessoas destituídas de valores.

João da Costa Vital é contador, pedagogo e jornalista. Colaborador deste jornal, às quartas-feiras, há 21 anos. E-mail: jcvital@gmail.com

Gazeta Digital também está no Facebook, YouTube e Instagram   



Aguarde! Carregando comentários ...


// leia também

Quarta, 30 de dezembro de 2015

00:00 - O sentido do tempo

Quarta, 23 de dezembro de 2015

00:00 - História de Natal

Quarta, 09 de dezembro de 2015

00:00 - O Brasil precisa gastar menos

Quarta, 02 de dezembro de 2015

00:00 - Greves nas instituições de ensino

Quarta, 25 de novembro de 2015

00:00 - O ócio e o decoro parlamentar

Quarta, 18 de novembro de 2015

00:00 - O nacionalista Itamar Franco

Quarta, 11 de novembro de 2015

00:00 - Novas lideranças políticas

Quarta, 04 de novembro de 2015

00:00 - A corrupção e a tolerância

Quarta, 28 de outubro de 2015

00:00 - Dia do Servidor Público

Quarta, 21 de outubro de 2015

00:00 - Educação democrática


 veja mais
Cuiabá, Segunda, 11/12/2017
 

Facebook Instagram

Fogo Cruzado
titulo_jornal Segunda, 11/12/2017
A93eb4c7313af4c52e31e9e52d3bdd37 anteriores



Indicadores Econômicos

Mais Lidas Enquete

Sobre o surgimento dos outsiders, pessoas influentes de fora da política, nas próximas eleições




Logo_classifacil









Loja Virtual